Portugaltunas - Tunas de Portugal

/5 ( votos)

A Aventura do Kim

Preferi deixar passar uns dias. É sempre uma notícia que choca.Mais a frio:Conheci o Kim Mendes nos anos 90, aquando das primeiras idas bi anuais a Braga com a "minha" TAULP, então. O Kim rapidamente cativava um comum mortal com aquele fraseado rápido dele a puxar sempre para a graça, para o chiste, para o trocadilho, que - e não raras vezes - levava a reboque a critica cirúrgica não destrutiva, bem pelo oposto, a mais positivista possivel: Ele era um eterno lutador pelo que achava estar certo, correcto, justo.Recordo aquela do "quando fores à cantina em Santa Tecla leva uma moeda e um cigarro, assim, se fores assaltado despachas isso num instante....!" num clara alusão à falta de segurança que - então, não sei hoje se sim se não... - os alunos da Universidade do Minho sentiam quando iam à cantina naquela zona da cidade. Não era criticar por criticar por regra: Era ir um bocadinho mais além. O Kim era, por isso, uma personagem peculiar, única, frontal, justa.Privei de perto uma década com ele. Era presença, então, nesse tempo, à noite, mais ou menos assídua, na sala do Jogralhos, ali" ao pé do jardim do tabaco" - numa alusão à máquina de tabaco que, então, estava à porta da sala. Muitas impressões trocamos, umas mais leves, outras mais a sério, sobre o mundo tuneril. Era uma visão que, de fora - não era Tuno - via o fenómeno por dentro - por ser Jogral. Permitiu-me, por isso, ter à disposição outras visões que, ainda hoje, colhem por pertinentes. O que revela o olhar holístico que o Kim tinha destas coisas.Quando levei o "Noite de Tunas" para a Rádio Universitária do Minho a primeira emissão foi, precisamente, com ele e com o Norberto - forte abraço, amigo Norby.... ! - naquela que considero uma das melhores emissões que fiz em anos de tunas na rádio. Já então o Kim dizia algo como isto: "O formato dos festivais é demasiado espartilhado, rigoroso, fixo; é chegar na sexta, tocar em palco, sábado há pasacalles, toca-se à noite, entrega de prémios, duas festas e está feito! ". Já escrevi sobre este tema várias vezes e, na verdade, o ponto de partida é este quando se fala no modelo de festivais em Portugal. E várias outras perspectivas deixou, então, em outras intervenções na rádio, pertinentes, inteligentes, deveras interessante. Era mais que um mero Jogral, o Kim. Ele pensava estas coisas num tempo onde raros eram os Tunos que o faziam.Foram anos gloriosos, esses, em que em palcos e em estúdios ou na sala do Jogralhos, privei como o Kim, o Norby, os Zés - da Póvoa e da Maia - and so on. Tempos onde raramente se falava sobre tunas, se pensava a tuna, se olhava a tuna porque demasiado ocupados andávamos todos a tocar umas malhas, a beber uns copos e a confraternizar entre todos - e ainda bem!Depois quis a vida que os caminhos de cada um tomassem rumos distintos. Já não via o Kim há uns 20 anos, talvez pouco menos. Ia tomando conhecimento, a espaços, de algumas coisas mas - confesso o meu deficit - nunca fui beber mais um copo com ele. Erro meu.O meu choque resulta da imagem que tenho dele, a última, desses tempos gloriosos, precisamente. O hiato temporal foi demasiado longo e resta aquele imagem de festa, riso, lenço amarelo ao pescoço e jola na mão. Por essa razão se mantem o choque, hoje. Um dia a malta vê-se, Kim. Há umas teorias que quero discutir contigo, na boa. E umas gargalhadas e trocadilhos para fazermos juntos.....

 

Post original em: http://asminhasaventurasnatunolandia.blogspot.com/2020/03/a-aventura-do-kim.html

Parceiros