Portugaltunas - Tunas de Portugal

II Penagoyam
Reportagem 0/5 (0 votos)

II Penagoyam...

Estudantina de Braga vence o II Penagoyam...

ler mais

Bruno Pereira

grande espectaculo!

Santa Marta

O I PENAGOYAM, terminou envolto em alegria e com vontade de nascer outra vez. E assim aconteceu, 2 anos depois, no dia mundial do estudante a 24 de Março de 2012. Pela segunda vez Santa Marta de Penaguião realizou o festival de tunas organizado pelo G.C.R. Golfinhos da Paz. Desta feita os intervenientes foram convidados a percorrer as ruas da vila com destino ao museu das Caves Santa Marta. O ponto alto iniciou às 22 h, no auditório de Santa Marta de Penaguião, com uma das ainda existentes tunas do Marão, a Tuna de Carvalhais, que com a sua experiência e dedicação, tocaram %u201CMarcha da Rua%u201D, %u201CChula%u201D, %u201CValsa Antiga%u201D e para finalizar %u201CContradança%u201D. Queria apenas salientar que esta tuna foi fundada em 1918, pelo Sr. António Lourenço, autodidata que criou o seu próprio sistema de escrita musical, do seu reportório quase centenário fazem parte valsas, tangos, marchas e rebaldeiras. A primeira tuna a apresentar-se a concurso foi a Transmontuna, que executou %u201CEntre os Montes%u201D, o instrumental %u201CFesta Ibérica%u201D, %u201CPromessas Vãs%u201D e terminou com o %u201C Hino da Transmontuna%u201D. Actuação bem conseguida, com destaque para o instrumental, primou a originalidade, o humor e o espírito transmontano. Seguiu-se a Macholatuna, com %u201CFeiticeira%u201D, %u201CHoy Estoi Aqui%u201D, %u201CTripeira%u201D, o instrumental %u201CVultos%u201D e terminou com %u201CCatraia do Porto%u201D. De referir a boa prestação dos pandeiretas e porta- estandarte. A terceira tuna a concurso foi a Estudantina de Braga, que mais uma vez nos brindou com a sua presença, para a defesa do prémio Melhor Tuna. Apresentou %u201C Lenda do Mar%u201D, %u201CNem ás paredes confesso%u201D, o instrumental %u201CIsraelita%u201D, %u201C O teu batom%u201D, %u201C Zé Caloiro%u201D e finalizou com o medley de António Variações. Uma actuação bem conseguida, bem apresentada, com boas prestações dos solistas, dos pandeiretas e porta-estandartes. Finalizou o concurso a In Vinus Tuna, da cidade de Mirandela. Com a irreverência da sua juventude, iniciaram com %u201CBoémio%u201D, seguiu-se o instrumental %u201CMadredeus%u201D, %u201CRica Filha%u201D onde se destacou o solista, %u201CRaparigas%u201D, Adega%u201D e a terminar um %u201CRemix Popular%u201D que levou alguns dos espectadores a um pé de dança no palco. Enquanto o júri deliberava subiu a palco para fechar este II PenaGoyam, a TAUTAD %u2013 Tuna Mista da UTAD. Apresentou %u201CBossa Tuna%u201D, %u201CTuna%u201D ,%u201CSenhora do Mar%u201D, e terminou com o hino %u201CPelas Vielas%u201D. O júri deliberou: Melhor Pandeireta %u2013 Estudantina de Braga Melhor Porta-Estandarte - Estudantina de Braga Melhor Solista %u2013 In Vinus Tuna Melhor Serenata %u2013 Macholatuna Melhor Instrumental - Transmontuna TUNA TUNA - In Vinus Tuna %u2013 Atribuído pela Organização Melhor Tuna- Estudantina De Braga Uma nota para a originalidade dos prémios, enxadas em tamanho real, com o nome dos prémios gravados no cabo. A enxada representa o trabalho e a vontade de todos os Durienses que ao longo do tempo transformaram toda uma região e em especial a concha vinhateira, Santa Marta de Penaguião, Capital do Douro. Em nome da organização o nosso obrigado a todos os que tornaram possível este evento.

Maia TAUTAD

Errata: TAUTAD interpreta "Dança dos Camafeus" - Instrumental adaptado do original com o mesmo nome dos Diabo a Sete. Tuna - original da TAUTAD, Senhora do Mar, música de Solista, na voz de Mara Dias e originalmente interpretada por Vânia Fernandes e Pelas Vielas - original TAUTAD. Obrigado.

Santa Marta

obrigado pela correcção...

R T

Obrigado pela Reportagem! Este espaço também é feito pelos user´s do PortugalTunas! Bravo e Obrigado!

Santa Marta

Obrigado, esse feedback também é muito importante... continuação de um bom trabalho.

III Bagatunaço
Reportagem 0/5 (0 votos)

III Bagatunaço...

Gatunos venceram o certame...

ler mais

J.Pierre Silva

Não pondo em causa os resultados (nem estive sequer), parece-me que era de tudo fazer para te rum júri composto pro entendidos na matéria. Já lá vai o tempo dos presidentes de junta, vereadores e afins como jurados.

XX Tágides
Notícia 5/5 (1 votos)

XX Tágides...

Os resultados...

ler mais

Pyka Miolos

Cheirou mal. Cheirou a Lisboa...

Morcelas EUL

Pyka Miolos, esse comentário só desonra aquilo que queres enaltecer.

Gato Preto

....

Gato Preto

Ainda estou habituado ao velho formato do PT...mas este é muito mais prático. Em tempo de aniversário do meu Grupo, fui ao Tágides e retive duas notas. A primeira foi de facto a capacidade fantástica que uma Tuna tem quando se propõe a fazer fusões. Refiro-me obviamente à prestação da anTUNiA com Vânia Fernandes, um momento altíssimo que merece o destaque em qualquer tempo ou lugar. Parabéns e guardem bem o desidrato. Valeu a pena para contar aos netos...Muito bem! A segunda foi o critério de avaliação. Sendo eu elemento "retirado" da EUC talvez não me fique bem advogar em causa própria, mas como Tuno sempre entendi que "a falar é que a gente se entende" e que mais vale soltar a opinião do que andar a cochilar bocas pelos quatro cantos do fenómeno. Musicalmente falando, não me escandalizaria este resultado, já que todas as Tunas cumpriram com o esperado, e aqui o critério passa a ser unica e exclusivamente da responsabilidade do Jurí e do respectivo sentido estético de cada jurado que o compõe. A partir do momento em que no critério estão previstas menções e destaques individuais, nomeadamente, lugares à bandeira, à pandeireta, ao solista e à peça instrumental, a coisa já pia fino. Este assunto é recorrente e muitas vezes já se chegou à conclusão que o destaque máximo atribuído em prémios sectoriais não significa forçosamente a vitória no Certame. De igual modo, também é dado adquirido que um Festival e suas determinações não se resumem apenas ao palco, especialmente quando o conjunto das iniciativas presupõem actividades igualmente a concurso e integradas no programa oficial. Se poderei conceder que uma Tuna, seja ela qual for, mesmo ganhando dois de quatro prémios de palco, poderá ainda assim nos restantes dois, no caso concreto bandeira e solista, ter estado mal ou inclusivamente nem se ter apresentado, o que julgo não ter sido o caso, (o passado mais recente afere bem da qualidade dos solistas da EUC), já se torna díficil conseguir perceber que além da sua prestação em palco com os referidos dois prémios, sendo pandeireta e instrumental plataformas basilares de qualquer Tuna, reforço, tenha sido igualmente considerada a melhor na Noite se Serenatas, a melhor na Tarde do Desfile, ou pasacalles, e o galardão mais alto não lhe tenha sido atribuído. Tenho para mim que um Festival de Tunas não é só um festival da canção. Também o é, de facto. Mas é (deve ser) mais. Se quem avalia percebe muito de canções e pouco de Tunas não deverá ser chamado a decidir. Ou então dever-se-á pedir aos organizadores que expliquem bem o que pretendem do seu próprio Festival. Um abraço

Paulo Cunha Martins

Ainda estou habituado ao velho formato do PT...mas este é muito mais prático. Em tempo de aniversário do meu Grupo, fui ao Tágides e retive duas notas. A primeira foi de facto a capacidade fantástica que uma Tuna tem quando se propõe a fazer fusões. Refiro-me obviamente à prestação da anTUNiA com Vânia Fernandes, um momento altíssimo que merece o destaque em qualquer tempo ou lugar. Parabéns e guardem bem o desidrato. Valeu a pena para contar aos netos...Muito bem! A segunda foi o critério de avaliação. Sendo eu elemento "retirado" da EUC talvez não me fique bem advogar em causa própria, mas como Tuno sempre entendi que "a falar é que a gente se entende" e que mais vale soltar a opinião do que andar a cochilar bocas pelos quatro cantos do fenómeno. Musicalmente falando, não me escandalizaria este resultado, já que todas as Tunas cumpriram com o esperado, e aqui o critério passa a ser unica e exclusivamente da responsabilidade do Jurí e do respectivo sentido estético de cada jurado que o compõe. A partir do momento em que no critério estão previstas menções e destaques individuais, nomeadamente, lugares à bandeira, à pandeireta, ao solista e à peça instrumental, a coisa já pia fino. Este assunto é recorrente e muitas vezes já se chegou à conclusão que o destaque máximo atribuído em prémios sectoriais não significa forçosamente a vitória no Certame. De igual modo, também é dado adquirido que um Festival e suas determinações não se resumem apenas ao palco, especialmente quando o conjunto das iniciativas presupõem actividades igualmente a concurso e integradas no programa oficial. Se poderei conceder que uma Tuna, seja ela qual for, mesmo ganhando dois de quatro prémios de palco, poderá ainda assim nos restantes dois, no caso concreto bandeira e solista, ter estado mal ou inclusivamente nem se ter apresentado, o que julgo não ter sido o caso, (o passado mais recente afere bem da qualidade dos solistas da EUC), já se torna díficil conseguir perceber que além da sua prestação em palco com os referidos dois prémios, sendo pandeireta e instrumental plataformas basilares de qualquer Tuna, reforço, tenha sido igualmente considerada a melhor na Noite se Serenatas, a melhor na Tarde do Desfile, ou pasacalles, e o galardão mais alto não lhe tenha sido atribuído. Tenho para mim que um Festival de Tunas não é só um festival da canção. Também o é, de facto. Mas é (deve ser) mais. Se quem avalia percebe muito de canções e pouco de Tunas não deverá ser chamado a decidir. Ou então dever-se-á pedir aos organizadores que expliquem bem o que pretendem do seu próprio Festival. Um abraço

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44

Parceiros