Portugaltunas - Tunas de Portugal

R T

Uma pequena revolução ou the sequel de "Ó tempo, volta para trás" ??

Boa tarde a todos!

Ao que julgo saber, o FITA deste ano terá, novamente – e depois de no passado as ter tido a dado momento e com resultados algo controversos – uma audição para escolha, no caso, de 3 tunas, que se irão juntar às 4 melhores classificadas da edição transacta. Ou seja, ficam no elenco da ultima edição as 1ºs 4 tunas e irão entrar este ano 3 tunas por força da audição.

Aparentemente e na base mais simplista do tema, parece-me lindamente, já que por várias vezes discorri, aqui e noutros locais cibernautas e não só, da urgência da refundação do FITA. Ou seja, em teoria, parece-me tudo bem, um refresh ao FITA é sempre de saudar e louvar, até para bem do próprio evento. Até aqui, tudo bem.


Contudo, deste ponto em diante levantam-se algumas questões de ordem prática e face a esta notícia, confirmada junto de fontes seguras, portanto, real.
A saber:


1º) Se no ano transacto - como sempre - tivemos as 3 primeiras classificadas, como foi então apurada a 4ª tuna a permanecer no elenco deste ano, transitando assim da edição anterior? Onde foi publicitada essa classificação, partindo do pressuposto que a mesma existiu e na edição do ano passado? Não seria - sugiro - pertinente - e em abono do rigor - que fosse esclarecida esta questão previamente seja ao que seja, a fim de se evitar algum desconforto ou mal estar entre as possíveis candidatas e as que ficaram de fora em resultado da classificação do ano anterior (ou seja, 5ª, 6ª e 7ª classificadas, isto partindo do pressuposto que se chegou, então, a esse escalonamento em sede de Jurado, o que desconheço).


2ª questão não menos pertinente: Quem é que irá, então, realizar a audição às supostas tunas candidatas? Mais pergunto, quem irá escolher as pessoas que irão efectuar essa audição, partindo, claro, do pressuposto lógico, óbvio e isento que serão, seguramente, pessoas mais do que qualificadas musicalmente para fazer uma audição desta natureza - e não o Grupo de Forcados Amadores de Alcagoitas de Cima ou similar, ou seja, alguém perfeitamente desqualificado para tal missão.


A 3ª questão resulta da lógica: se ficam as 4 melhores classificadas da edição de 2010, saem portanto 3 tunas. Se a audição a realizar será para escolher 3 tunas, continua-se a ter 7 tunas a concurso - o que em termos de espectáculo e na sua duração, não aquece nem arrefece. Assim sendo, as 3 ultimas classificadas do ano transacto vão também à audição, caso pretendam ou estão, por força dos resultados de 2010, fora da mesma audição? É que uma coisa é estarem fora da mesma, outra será poderem aceder à audição de igual forma com todas as outras tunas que foram contactadas para o efeito.


Seria pertinente ter-se algumas respostas, até para crédito da pequena revolução a realizar, o que, tendo por base algo com o qual concordo plenamente – rotatividade e refresh de tunas presentes no FITA – pode, por falta de critérios objectivos, claros e isentos, por em causa todo o objectivo inicial (como aliás, aconteceu no passado).

Esclarecer o que acima é questionado será contribuir para a credibilidade da mudança a operar, por um lado, e um contributo enorme para o FITA, tunas participantes e sua organização, por outro, resguardando-o.


Qvid Jvris?

 

[ordenar tópicos dos mais recentes para os mais antigos ] [voltar aos tópicos principais] [responder a "R T"] [mostrar fórum em arvore] [denunciar abusos]

O Conquistador
responde a R T:

Mmmmmm...

Onde é que eu já ouvi isto?

Queima das Fitas sem compadrio, nem sequer é digna do nome. Já vem no pacote.

Onde já se ouviu falar de comissionista que não puxasse a brasa à sua sardinha? É uma atitude tão académica como a própria Queima (perdão: mais académica do que a Queima, que de académico... enfim...)

Os protestos dos "excluídos" são uma constante da vida - como diria o Gedeão.

O FITA é uma coisa muito sui generis: compreende-se que todos os finalistas de todas as tunas gostassem de subir a palco num FITA, para tocarem de cartola naquela que é (juntamente com a de caloiro) a Queima mais significativa da vida académica. Ora isso é manifestamente impossível, como se compreende.

A que vem agora tanta "transparência" na selecção das tunas?...

Aguardemos por mais desenvolvimentos, enquanto esperamos pela informação de qual foi a "quarta melhor tuna" do FITA de 2010 (que caracteres se usam para fazer um gajo a rebolar à gargalhada?)

Esta é de antologia...

E haverá tunas que vão assinar por baixo desta encenação comparecendo nas "audições"? "Audições"? Deus nos acuda...

Abraço e

BOM SENSO!

 

[responder a "O Conquistador"] [denunciar abusos]

J.Pierre Silva
responde a O Conquistador:

Eu que vejo isto de fora, com total despreendimento; eu quevenho acompanhando, ao longo deste anos, as ocambolescas incidências do formato do FITA que tanto já aqui deu que falar (quanto mais fora deste portal), tenho mais que esboçar um sorriso "enviesado" a essa perfeita idiotice que aqui chega vestida de solução miraculosa chmada "audições" (a fazer lembrar certas medidas milagrosas contra a nosa situação financeira).

Quantas tunas há no Porto? 80 e tal, certo?
Mesmo que até só estejamso a falar em metade ou vá...... umas 20, pergunto-me como se audiciona tanta tuna. É de enfiada, tipo "ídolos" onde se recambia logo à primeira falha ou desafinação, à primeira pandeireta que cai ou estandarte que se enrola no próprio portador?
Se de audição, se trata, de facto, estamos a falar em ouvir pelo menos cada tuna durante 10 ou 15 min ou ouve-se para inglês ver e o que conta é o que se conhece da tuna pelos espectáculos que dela já se ouviu e viu noutras bandas (ou até mesmo na net)?

Com tanto certame que há, com os respectivos ensaios, com o trabalho e os estudos, como se destina uma data, um horário que permita às tunas apresentar-se numa audição deste tipo? E os jurados, tiram férias para fazer uma maratona (a serem os mesmos sempre - o que me parece imperativo)?


Fazer-se audições para participar num certame é, quanto a mim, o cúmulo dos ridículos, principalmente porque, a meu ver, o retorno não justifica tal (tanta coisa, tanto salamaneque, por uma estatueta e/ou subir a palco?), do mesmo modo que seestá a cair no exagero de "industrializar" a tuna em formato de concurso televisivo, revestindo o que deveria ser simples, de laivos de presunçosa e suprema importância.

Para aferir de critérios mínimos de qualidade, dispensam-se audições, principalmente porqe quem anda no meio conhece. A ser fundamental critérios mínimos (porque não se trata do palco em cima do atrela em Alguidares da Serra ou do arraial na Vila do lado), obviamente que há tunas que, à partida, ficam de fora - até conseguirem atingir esses tais mínimos.
Por outro lado, e salvo a 1ª classificada (e eventualmente a 2ª), o modelo deveria ser rotativo, simplesmente.

Se, ainda assim, o FITA continua a ser motivo de guerras e tricas, quando deveria ser promotor de união e alegria, acabe-se com o FITA e cada faculdade organize um sarau ou concerto com a tuna da casa e um ou outra convidada), que leve a cabo nas suas próprias instalações.
Diversifica-se a oferta, tira-se o cariz competitivo e um dos motivos de azia e acaba-se, de vez, com a competição existente para competir.

Com audições passamos a ter 3 competições: por chegar à audição, por passar na mesma e o próprio certame.

Mas isso sou eu que racho lenha.

 

[responder a "J.Pierre Silva"] [denunciar abusos]

R T
responde a J.Pierre Silva:

Pierrissimo:

Pois, estás por fora de facto....

Há muito mais a dizer-se sobre esta questão, ao que apurei. Mas por ora não irei adiante, por ora. Apenas umas ligeiras correcções:

Não há 80 e pico tunas, há contabilizadas 77 - o que não significa que todas estejam activas de facto.

Não, não foram todas convidadas para as audições, como calcularás, foram convidadas precisamente 21, todas de formação exclusivamente masculina.

Por ora, como disse, fiquemos por aqui....

Abraços!

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

R T
responde a R T:

Rectifico, 19, não 21, a saber, as tunas de:

Direito, Ciências, Medicina Dentária, ESEP, UFP, Enfermagem, ISMAI, IPAM, Letras, Tecnologia Saúde, Piaget, Biomédicas, Lusíada, Farmácia, Ciências da Saúde Norte, Lusófona, Psicologia, FCDEF e ESEIG Póvoa.

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

R T
responde a J.Pierre Silva:

Bom dia.

Há, efectivamente, que conhecer as características sui generis deste evento em particular pois sem elas - sua história, desenviolvimento, contexto, etc - qualquer opinião incorre no inevitável e fatal erro de perspectiva.

O FITA não é um festival de tunas "puro e duro", se assim quiserem. Aliás, nunca foi, a bem dizer. É algo inserto, embebido num contexto maior, no caso, o da Queima das Fitas, com tudo o que de bom e de mau isso acarreta. Já teve tunas espanholas - O I de FITA quer dizer Ibérico - já teve tunas que não do Porto e após algumas edições, passou exclusivamente a ter somente tunas do Porto, até hoje assim é. É um evento sui generis porque mistura o mais puro sentimento estudantil em plena Queima com aquilo que é comum num certame de tunas. Não é uma organização pura e dura de uma ou várias tunas, de todo. Nele, a tal vontade de subir lá a cima de cartola e instrumento na mão é grande; nele há algo especial quer para quem participa, quer para quem assiste, pelo contexto, pelo cenário, pelo ambiente. É também o evento das desclassificações, o certame das audições prévias - não é coisa nova sequer - o certame das claques ruidosas, o certame dos panos fechados. Como todos os certames, tem coisas bioas e coisas más. Normal.

Tudo é dinâmico, aliás, o FITA mostra isso mesmo ao longo da sua história. Nesta ultima fase, mais prolongada, constata-se uma fossilização do mesmo; havia, pois, que dar-lhe a volta mais cedo ou mais tarde. Ou seja, na génese, parece-me o que se está a passar muito positivo para o FITA. Acontece é que não basta mudar-se, será necessário aferir como se fará tal mudança.

E é sobre a forma da mesma que me debruço aqui, nem mais nem menos.O cenário que se apresenta, hoje, aparentemente e até prova em oposto, não me merece grande optimismo; algo aqui não "bate certo", definitivamente. Podeei estar enganado mas quer-me parecer estarmos perante um "concurso público" à portuguesa. Se assim não for, aguardo o respectivo contraditório e cá estarei para, caso assim seja, dar a mão à palmatória. Mas pelo que aferi, julgo não estar assim tão enganado....

Abraços!

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

R T
responde a R T:

Porque é de inteira justiça referir, e processos à parte, é de salientar desde log algo de extremamente positivo, que se prende com a quebra do situacionismo em que o FITA residiu nos ultimo e pelo menos, 10 anos. Só isso já faz com que, p.ex., estejamos aqui a falar dele. Posso dizer-vos - e por experiência própria escrevo - que é das reportagens mais fáceis de serem feitas e quanto a eventos de tunas: raramente algo de realmente novo ocorre, quase que basta um copy paste da edição anterior...


Abraços!

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

R T
responde a R T:

De fonte mais que segura, apurei que as 3 tunas seleccionadas e que se irão somar às 3 primeiras classificadas do ano passado são Engenharia, Economia e Medicina Dentária.

Afinal, muito pouco mudou, constata-se. Apenas e só uma tuna nova.

Fica o registo e que seja um bom FITA, são os meus desejos!

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

Parceiros