Portugaltunas - Tunas de Portugal

Menina Kati
responde a O Novessetum:

Nada contra, mas acho que se perdia a parte mais, digamos, engraçada da coisa! Imaginem um grupo de homens, de janela em janela a fazer serenatas a outros homens! É uma imagem que a minha cabeça não concebe ainda!

 

[responder a "Menina Kati"] [denunciar abusos]

O Novessetum
responde a Gato Preto:

Não é para mim... são uns amigos de Coimbra que estão com essas dúvidas.

Agora a sério... gostava de ouvir a tua opinião e outras também.

 

[responder a "O Novessetum"] [denunciar abusos]

O Conquistador
responde a O Novessetum:

Que raio de tópico...

Não sou contra nem a favor: mas que tem a Tuna que ver com a orientação sexual das pessoas?

É tão ridículo uma tuna intitular-se "gay" como intitular-se "heterossexual".
Que sentido faz uma "Tuna Heterossexual da Faculdade de..."? Isto passa pela cabeça de alguém? Seria o mesmo que haver a "Orquestra Sinfónica Heterossexual de..."

Sei que há uns tempos apareceu uma coisa assim em Espanha. Não passa de parvoíce e vontade de dar nas vistas.

Ninguém anda por aí a promover o "Dia do Orgulho Heterossexual" ou a heterossexualidade da sua tuna. O contrário também não faz sentido.

Que tenho eu ou seja quem for que ver com o facto de numa dada tuna todos(as) serem homossexuais?

Que raio de tópico...

Abraço e

BOA MÚSICA!

 

[responder a "O Conquistador"] [denunciar abusos]

O Novessetum
responde a O Conquistador:

Eu entendo o que dizes. Não faz realmente sentido... mas também entendo que muita coisa com leis aprovadas inclusivé também não fazem sentido.

Mas a questão é mais profunda que isso. Porque se juntam apenas mulheres para formar uma Tuna? Com os homens é igual. O que têm em comum para se unirem? Qual o papel de um homessexual nesse contexto? Faz sentido? Não faz?

Eu sei que é um raio de tópico... se calhar por isso tem tido um racio visitas/comentários baixo. Significa que há muita gente curiosa, mas como é um tema sensível, talvez tenham receio em expressar-se.

Eu correndo o risco de me chamarem homofóbico, e porque me considero um conservador nos costumes, acho que não faz nenhum sentido a integração de homessexuais numa Tuna, dita das "normais". Como não gostava de ver isso acontecer na minha Tuna, extrapolo para as restantes.

 

[responder a "O Novessetum"] [denunciar abusos]

R T
responde a O Novessetum:

Novessetum, nem sequer é pergunta, digamos, virgem, aqui.....

Estou 200% de acordo com o dito pelo Conquistador acima. Aliás, mais digo, desde que se portem expectavelmente enquanto Tunos, estou-me literalmente nas tintas para a orientação sexual de cada um.

Abraços!

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

O Novessetum
responde a R T:

Presumo então, que não vejas inconveniente que 2 ou mais Tunos da tua Tuna se relacionem entre si!

Mas deixo-te outra questão: há 20 anos atrás, se os elementos da Tuna onde começaste a tua longa actividade tunante fosse na sua grande maioria homossexual, presumo que tal não te afectaria minimamente, e que o teu precurso teria sido exactamento o mesmo, certo?

 

[responder a "O Novessetum"] [denunciar abusos]

O Conquistador
responde a O Novessetum:

Caro Novessetum:

para encurtar razões, vou directamente às perguntas que fazes no post anterior:

porquê só rapazes/raparigas na maioria das tunas?

(pareces ter esquecido as mistas...)

Houve interpretação errada da "ortodoxia" espanhola, que, por sua vez resulta de uma interpretação errada da história da Tuna.

Defendem eles que é assim há séculos: mentira - não há tunas há séculos. Durante séculos não houve mulheres na universidade. Quando começou a haver tunas, já elas andavam por lá. Na realidade, tratou-se de um condicionalismo social - não ficava bem uma menina andar pelas ruas a colaborar em peditórios de caridade com mais 20 muchachos, ou vir sozinha até Portugal com mais 30 mânfios sem o irmão ou o pai a acompanhar.

Foi tão-só isto.

Eu próprio defendi essa ideia e propaguei-a. Mas como só as pedras é que não mudam...

Mais modernamente, houve uma reinterpretação errada dessa pretensa ortodoxia. As mulheres sentiram necessidade de se associar musicalmente - e muito bem e no seu direito - porque não podiam participar nas tunas que já havia.


Indo agora levar água ao teu moinho: como sabes, quando recomeçámos em 1983/4, a tuna era mista - e foi-o até 1989. Na altura, a "não admissão" de mais mulheres para a Universitária visava acabar com uma situação embaraçosa: nem os homens iriam nunca fazer uma serenata a outro homem, nem seria prudente pedir às colegas que viessem connosco fazer uma serenata a uma residência feminina. Não podia haver reciprocidade de atitudes.

Além disso, era chato andarem alguns ao engate quando as colegas estavam por ali... que mensagem se estava a transmitir? "Vocês não valem um chavo..."? Enfim, era embaraçoso para toda a gente.

E aqui fica o testemunho - sem hipocrisias nem paninhos quentes.

No entanto, à pergunta: "Se soubesses que havia homossexuais na tuna, isso incomodava-te?" - sabes bem qual é a minha resposta.

Que eu me lembre, nunca te perguntei as preferências :) - nem a ninguém, aliás.

Quanto à pergunta que colocas: não entraria para essa tuna nem há 20 anos atrás, nem agora, se essa tuna se gabasse publicamente da sua homossexualidade e os seus elementos fizessem gosto de o anunciar alto e bom som - ninguém anda por aí a fazer alarde da sua heterossexualidade.

E aqui fica a resposta sem hipocrisias.

Aquele abraço!

 

[responder a "O Conquistador"] [denunciar abusos]

André Pereira
responde a O Novessetum:

971,

Quando fui obrigado a ir à inspecção militar durante dia e meio, logo naquela palestra de abertura (quem ainda é desse tempo se recorda de tal), o sargento-mor que discursava disse:

- Alguém tem alguma dúvida ou questão sobre o que se vai passar ou quer reportar algo que possa condicionar a sua ingressão nas forças armadas?

E do meio levanta-se um rapaz, com uma camisa rosa choque e com um cabelo às madeiras claras, e diz:

- Desculpe. Eu gostaria de referir que sou homossexual e que acho que não posso estar aqui.

E o sargento diz:

- O senhor é o quê? Homossexual? Humm... Portanto, gosta de homens e praticar actos sexuais com homens? É isso?

E diz o rapaz:

- Exactamente, eu gosto de homens.

Remata o sargento:

- Óptimo meu rapaz. Fique sabendo o senhor que na tropa, isto está cheio de homens. Melhor para si, é impossível. Vamos começar a inspecção!


Com isto dizer que nem sou contra nem a favor. Mas que nas tunas masculinas há muitos homens e que nas tunas femininas há muitas mulheres. Tudo pode acontecer. Basta saber-se estar. Como diz o Conquistador, da mesma forma que não se apregoa a heterossexualidade, não se deve apregoar a homossexualidade.

Abraços!


P.S: Com tunas portuguesas nunca testemunhei actos de homossexualidade, mas já vi actos dessa natureza com tunas masculinas do nosso país vizinho (não digo qual ;)). Sinceramente, não gostei e mesmo não tendo nada contra acho que deveriam reservar essas actividades para ambientes mais privados e sem espectadores.

 

[responder a "André Pereira"] [denunciar abusos]

Menina Kati
responde a O Novessetum:

Vou compilar o que vocês disseram em duas frases. Concordar? Toda a gente concorda, como tudo na vida desde que não nos causem problemas, tudo bem. Será funcional? Duvido, seria mais uma espécie de tuna Mista nas relações entre eles, portanto a 100% nunca iria funcionar, tal como quase nenhuma tuna mista funciona.

 

[responder a "Menina Kati"] [denunciar abusos]

J.Pierre Silva
responde a O Novessetum:

Belo tópico para ler, enquanto bebo um fininho.
Há 20 anos,como agora, jamais entraria numa tuna de gays, até porque uma tuna, para além da música, é supostamente a junção de afinidades.
Do mesmo modo que não entraria numa tuna de muçulmanos sendo eu de outra confissão, ou numa tuna de pernetas se eu fosse maneta.
Cada qual no se lugar, nuncaa mal há-de ficar.

Nada obsta, claro está, a que existam tunas de gays, de ortodoxos, invisuais ou filiados no PCTPMRPP. O que importa é que cada um esteja onde sinta afinidade e comungue dos ideais que, para além da música, unem os seus elementos.

De resto, tudo se resume ao que acima foi dito: há aspectos que quando ostentados ridicularizam e estupidificam. Jamais consideraria Tuna uma tuna que fizesse menção de ser gay, porque, à partida, já estaria a subverter o conceito, dando proeminência a orientações em detrimento da natureza Tuna.

Ser Masculina, feminina ou mista não tem a ver com orientações sexuais, mas com os respectivos géneros. Tudo o que vá para além disso é ridículo e não cabe, de todo.

Tal não significa menor respeito, antes sim, a Tuna dar-se ao respeito enquanto cultura e conceito - e a nós garantir que esse pressuposto basilar não é delapidado por "modas" e patetices.



 

[responder a "J.Pierre Silva"] [denunciar abusos]

R T
responde a J.Pierre Silva:

Como este é um tópico muito típico de "silly season", volta-se à carga com o mesmo (não vá alguém achar que é um excelente "tem" para um ENT.......


Abraços& Beijos!

 

[responder a "R T"] [denunciar abusos]

João Rocha Mosca
responde a O Novessetum:

Ó meuz amigozzz, hehehe, tuna doz gayzzz??? hehehe

Já não vinha cá há tanto tempo, quando vi esta até me babei de tanto rir...

É que eu por acaso até acho que é bem o contrário. Uma Tuna (masculina) é tão heteroxexual que até dói... E ainda por cima a maioria orgulham-se desbravadamente disso mesmo.

Vejamozz bem, imaginemos que as tunaz eram agrupamentos de jovens sem qualquer orientação sexual: poiz então não eram tunazz. E se a orientação não fosse heterossexual: nunca vingariam no seio (zz) dos jovens universitárioz (pelo menos dos tugazz).

É a minha opinião. Quem acha o contrário é bem vindo, mas eu por mim tenho que quem entra para uma tua (masculina) gosta de música, de diversão, do ambiente, tradições e costumes académicos... e de gaijazzzz, paletes de gaijazzz!!!!!!!!!

E ainda por cima já não é de hoje.

Senão o porquê de 70% das músicas serem serenatas/canções de amor/baladas/boleros/ai maria que sofro tanto de amor, etc?

Vá lá, não sejam assim. O 971 tem razão. Se fossemos todos maricas as tunas não seriam o que são. Não seriam de todo. A heterossexualidade é uma caracteristica deste movimento.

Tuno que não é picareta nem sequer é tuno... Então não há prái tantos coros, orquestras, bandas, agrupamentos... porque raio é que galifões haviam de estar todos nas tunas e não nos coros de igreja?

Tunas sem tostesterona? ò meuzzz amigozzzzz...

Abraçozzzz


 

[responder a "João Rocha Mosca"] [denunciar abusos]

João Rocha Mosca
responde a João Rocha Mosca:

Mas e então a resposta ao tópico é: não concordo.

Não tenho nem mais nem menos respeito a quem é gay, mas não respeitaria um conjunto de gays que deliberadamente escolhesse fundar uma tuna gay, pois tenho em mim que a tuna masculina é heterossexual por natureza.

Ver um bando de marmelos de capa e batina à janela de um outro marmelo a cantar:
"Ó meu amor, ó meu lindo feitiçeiro, eu daria a vida inteira por um só beijo dos teus"

Nããããããã

Não cai bem. E quem disser o contrário é mentiroso. Ou então.... ai ai ai, que eles andem aí... hehehe

 

[responder a "João Rocha Mosca"] [denunciar abusos]

O Novessetum
responde a João Rocha Mosca:

Estou emocionado meu velho!!!
Tu a concordares comigo... venha daí um forte abraço heterossexual...

 

[responder a "O Novessetum"] [denunciar abusos]

Parceiros