Portugaltunas - Tunas de Portugal

XXV FITU Cidade do Porto
/5 ( votos)

XXV FITU Cidade do Porto

A Reportagem.

Durante dois dias, o Coliseu do Porto foi palco da XXV edição do FITU Cidade do Porto. Ao longo das duas noites de certame, as surpresas foram algumas e fizeram com que a edição comemorativa dos 25 anos de FITU fosse coroada de sucesso.

 

Além da presença de duas Tunas mexicanas a concurso, foram também convidadas duas tunas espanholas já conhecidas – Medicina de Múrcia e Distrito de Granada - que, aliadas à participação de Simone de Oliveira, madrinha do festival em conjunto com Rui Rio, presidente da Câmara do Porto, tornaram esta edição do FITU um espectáculo memorável, juntando a tal a participação de algumas das tunas portuguesas que já venceram este FITU no passado, como a Tuna da Universidade Católica Portuguesa – Porto, Estudantina Universitária de Coimbra, Tuna Universitária do Minho e Tuna de Engenharia da Universidade do Porto.

 

O primeiro dia do festival contou com bastante participação dos estudantes universitários embora não lotando completamente o Coliseu. Já os corredores estavam repletos de gente, com especial enfoque na “Velha Guarda” tuneril da Academia que disse “presente” e numa altura tão particular onde a tuna no Porto está a ser alvo de uma tentativa de ataque sem precedente na sua já longa história. A 2º noite apresentou um Coliseu mais composto, praticamente completo, tendo brilhado a Madrinha Simone de Oliveira na sua participação conjunta com a Tuna Universitária do Porto no tema de Carlos Tê e Rui Veloso “Porto Sentido”. Aliás, foi uma constante nas duas noites a – justa -  homenagem por parte das tunas nacionais presentes a Simone de Oliveira.

 

Depois da polémica edição do ano transacto, poder-se-á dizer que o FITU apresentou-se na generalidade, ao nível do que nos vêm habituando, sem grandes rasgos criativos que foram típicos de outrora – como o cenário p.ex. - numa sucessão de tunas que praticamente são as mesmas ano após ano mudando uma ou duas e pouco mais, o que provoca o inevitável, ou seja, pouca novidade e muito deja vu. Se a isto somarmos reportórios gastos e sem novidades também eles, facilmente se depreenderá o evidente. Em todo o caso, a XXV edição do FITU esteve claramente acima e face ao passado mais recente e desta vez, sem “casos” de monta a registar.

 

Ficam para a posteridade os resultados desta XXV Edição do FITU, onde a EUC brilhou mais que as restantes participantes, para lá da já habitualmente brilhante participação da TUP, jogando em casa.

 

De Positivo: Ponto de Encontro geracional e este ano em especial, no centenário da Universidade do Porto, numa também ela mostra de pujança da tuna portuense em sentido lato; A participação de Simone de Oliveira foi deveras marcante. O palco foi apenas e só das Tunas, como deve ser sempre.

De Negativo: Pouco rasgo de criatividade e de novidade na edição que comemorou, também ela, os 100 anos da Universidade do Porto, esperava-se algo mais de ousado na edição 25 do festival mais antigo e prestigiado do país: urge uma pequena revolução sob pena de resignação.

 

Para a posteridade ditou o Exº Jurado do XXV FITU Cidade do Porto:

 

Melhor Estandarte: TEUP

Melhor Solista: Tuna Distrito Universitário Granada

Melhor Pandeireta: Estudantina Universitária Coimbra

Melhor Instrumental: Estudantina Universitária Coimbra

Prémio Público: Tuna Medicina Múrcia

3ª Melhor Tuna: Quarentuna C. México

2ª Melhor Tuna:  Tuna Distrito Universitário Granada

Grande Prémio XXV FITU Cidade do Porto: Estudantina Universitária de Coimbra 

 

Finalmente agradecer as facilidades concedidas ao PortugalTunas e as nossas desculpas pelo atraso na publicação desta reportagem.

 

Parceiros