Portugaltunas - Tunas de Portugal

XXIV FITISEP: A Reportagem
/5 ( votos)

XXIV FITISEP: A Reportagem

A Reportagem Por Joana Peixoto

O XXIV FITISEP amenizou a chuva e frio que se fez sentir no Porto a 9 de março. 

Apesar dos alertas de tempestade, o Teatro Sá da Bandeira contou com um bom número de trajes e capas negras em mais uma edição do Festival Internacional de Tunas do Instituto Superior de Engenharia do Porto.


A apresentação do evento esteve a cargo de dois membros da tuna anfitriã, com vídeos de introdução a cada tuna a concurso, mas também muita interação com o público e o humor sempre esperado. A Cientuna – Tuna Feminina de Ciências do Porto deu o arranque do festival, perto das 22h00, com uma atuação animada e bastante sólida, onde apresentaram uma nova versão do seu já conhecido instrumental da série Game of Thrones.


A primeira atuação a concurso foi responsabilidade da TAIPCA – Tuna Académica do IPCA, que começou por apresentar uma música de José Cid, “No Dia Em Que O Rei Fez Anos”, seguida do tema “Nobre Lenda”, sobre a história da cidade de Barcelos. Apresentaram então o instrumental “Origens”, música com especial destaque dos bandolins, mas com uma boa harmonia entre todos os instrumentos. O tema seguinte foi “A Barca Dos Amantes”, de Sérgio Godinho, ficando assim conhecida a música de solista. A TAIPCA apresentou então as suas pandeiretas, com uma coreografia simples ao som de mais uma adaptação, desta feita de Carlos Paião - “Eu Não Sou Poeta”. Tempo ainda para uma pequena pirâmide de pandeiretas e estandartes, com um agradecimento à cidade do Porto e o galo de Barcelos, mascote da TAIPCA. A atuação terminou com mais uma música de Sérgio Godinho e bastante representativa da tuna barcelense – “O Galo É Dono Dos Ovos”.


A segunda tuna a concurso foi a TMP – Tuna de Medicina do Porto, que iniciou a sua atuação com a já conhecida “Caixinha de Música”, um original acompanhado por uma coreografia de estandarte bem conseguida. O segundo tema foi o instrumental “Palladio”, acompanhado por dois estandartes de bom nível, à semelhança da música seguinte, “Valsa Pelo Meu País”, onde pequenas imperfeições foram supridas pelas boas coreografias e segurança dos dois elementos. Seguiram então para a música de solista, com um tema que se destacou dos habituais do mundo tunante, quer pela música como pelo solista, com uma voz bastante díspar, conseguindo assim uma prestação de destaque e mais uma vez acompanhada por estandarte. A atuação ficou concluída com o hino “Noites de Ronda”, onde se apresentaram coreografias de pandeireta e estandarte. De referir que a TMP apresentou apenas temas originais sempre acompanhados por coreografias de estandarte.


Após o intervalo, o festival prosseguiu com a atuação da TESSSM – Tuna da Escola Superior de Saúde de Santa Maria, que começou por homenagear a freguesia da Vitória, de onde provêm, com um original acompanhado por pandeiretas e estandarte. Seguiu-se o instrumental constituído por músicas dos filmes do Batman, com mais uma apresentação de estandarte, e a música “La Verdolaga”, numa interessante prestação do solista com ritmos quentes e animados. A TESSSM trouxe a público apenas pela segunda vez a sua adaptação de “Mulher d’Armas”, de Rui Veloso e Carlos Tê, e concluiu a atuação com a animada “Vivir Mi Vida”.



A última tuna a concurso foi a Tuna TS – Tuna de Tecnologia da Saúde do Porto, que deu início à sua prestação com o original “Mundo Perdido”, apresentando desde logo três pandeiretas e três estandartes de muito bom nível. Num registo mais emocional, apresentaram a música de solista “Último Acorde”, original que versa sobre o momento de despedida da tuna. Mantendo a onda de originais, seguiu-se o instrumental “Heróica”, com prestações de pandeiretas e estandarte, e a já conhecida “Incerteza”. A TS terminou a prestação com “Oxalá Te Veja”, dos OqueStrada, acompanhada de novas coreografias de pandeireta e estandarte, onde mantiveram o nível já referido.


Finalizadas as atuações das tunas a concurso, seguiu-se a TAISEP – Tuna Académica do ISEP. A tuna anfitriã brindou o público com músicas animadas como “El Cuarto de Tula”, mas também momentos de destaque dos solistas, através de “Feiticeira”, de Luís Represas, e “Emoções”, de Roberto Carlos. Prosseguiu-se a entrega de prémios, apresentados de seguida, e a última música da TAISEP “Porto Vinho e Lugar”:


Melhor Solista: TESSSM - Tuna da Escola Superior de Saúde de Santa Maria;
Melhor Pandeireta: Tuna TS - Tuna de Tecnologia da Saúde do Porto;
Melhor Instrumental: TMP -Tuna de Medicina do Porto;

Melhor Estandarte: Tuna TS;

Melhor Interpretação Musical: TAIPCA - Tuna Académica do IPCA;
2
ª Melhor Tuna: TESSSM;
Melhor Tuna: TMP - Tuna Medicina Porto.

O XXIV FITISEP continuou por mais um dia, com atividades lúdicas e convívio, culminando na atribuição do prémio Tuna mais tuna à TAIPCA.

Joana Peixoto

Parceiros