Portugaltunas - Tunas de Portugal

XX TUIST: A reportagem
/5 ( votos)

XX TUIST: A reportagem

Reportagem

XX TUIST

Decorreu nos passados dias 9 e 10 de Março mais uma edição do TUIST, esta muito especial visto marcar as comemorações da sua vigésima edição e também do vigésimo quinto aniversário da Tuna.

Os festejos começaram logo na sexta à tarde com o tradicional Porto de Honra, no Salão Nobre da Reitoria da Universidade de Lisboa.

O primeiro dia, perante uma Aula Magna repleta, com a presença já habitual das claques do IST, iniciou com um vídeo apresentando um resumo do que foram 20 anos de TUIST.

De seguida apresentou-se a TFIST, entrando com um texto dedicado aos seus Padrinhos da TUIST, acompanhado ao som da banda sonora de “O Padrinho”. De seguida apresentaram “Júlia Florista” com partes de “Vontade de ser”, uma vez mais em homenagem à Tuna anfitriã.
Antes de finalizarem com “Saudade”, já com a presença de todas as suas veteranas presentes na sala, colocaram uma fita no estandarte da TUIST para celebrar as duas efemérides. Destacaram-se os seus arranjos vocais e também as coreografias das suas pandeiretas.

De seguida, apresentou-se a primeira Tuna a concurso, a Estudantina Universitária de Lisboa, iniciando a sua actuação com “Infante”, seguida de “Velho Lobo do Mar”. Apresentaram então duas estreias, o instrumental “Por una cabeza”, de Carlos Gardel, e a serenata “Palavras de amor sentido”. Terminaram com “ Grande marcha de Lisboa“ dedicada à TUIST e o seu inconfundível “Amor a Portugal”. Na EUL destacaram-se os seus arranjos vocais e instrumentais.

Antes de apresentar a próxima Tuna, a TUIST aproveitou para chamar os seus elementos honorários a palco, para os homenagearem uma vez mais.

Seguiu-se a anTUNiA - Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa que iniciou com “Mar de saudade”. Seguiu-se o instrumental “Inverno”, de Vivaldi, e “O Tejo corre no Tejo”, tema que iniciou com um trecho de “Tudo isto é fado”. Continuaram com “Em água e sal”, numa excelente prestação do seu solista, “Rasgos de sabor”, finalizando com “Senhora do mar“. Destacam-se nesta actuação, para além dos seus arranjos musicais, as excelentes prestações dos seus pandeiretas e porta-estandartes.

A última tuna a concurso da primeira noite foi a Scalabituna - Tuna do Instituto Politécnico de Santarém. Entraram com uma versão de “O amor é assim” dos HMB, transformado em “Lisboa é assim” mas foram penalizados pelo som, visto que o microfone do solista esteve sempre desligado. Seguiu-se “A partida” e um medley sul-americano com “Adios comandante”, “Corazon espinado e “La tierra del olvido”. Continuaram com “O último romântico” numa excelente interpretação do solista. Finalizaram com “Noites de verão“ com um excerto dedicado ao TUIST. Destacam-se a boa disposição constante e também os seus pandeiretas. 

Para finalizar o primeiro dia de festival, apresentou-se a TUIST – Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico. Antes de iniciarem a sua actuação, apresentaram o seu novo estandarte, “reformando” assim o anterior que os acompanha desde a sua fundação. Aproveitaram também para homenagear o seu motorista de sempre, Sr. Pedro.

Apresentaram de seguida “Vontade de ser”, com a presença constante dos seus excelentes pandeiretas, continuando com “Dou-me ao mar” e “Barco Negro” na voz do seu mais famoso solista, Mário "Super Mário" Fernandes. Seguiu-se mais um tema de solista, “Alfama, “Lisboa não sejas francesa” terminando a noite com o seu hino “Vida de estudante”

O segundo dia começa com a Tuna madrinha da TUIST, a centenária Tuna Académica do Liceu de Évora. Iniciaram a sua actuação com um medley de Zeca Afonso, com os temas “Vejam bem” e “Canção de embalar”. Seguiu-se “Coisas pequenas” e “Crianças do Pireu”. Antes de terminar com o seu “Hino Académico” aproveitaram para homenagear os seus afilhados com a imposição de mais uma fita para o seu estandarte.

Entre as actuações da Tunas a concurso, tivemos na segunda noite a apresentação dos Jogralhos - Grupo de Jograis Universitários do Minho que uma vez mais nos apresentaram as suas irreverentes rábulas.

A primeira Tuna a concurso desta noite foi a Tuna Universitária do Porto. Iniciou a sua actuação com “Carvoeiras” seguido do instrumental “Libertango” de Piazzolla, com a ajuda das palmas do público dando o andamento do tema. Continuaram com o seu tema de solista “Perdidamente” e com o extraordinário “Timor”, brilhantemente executado. Antes de terminarem com “Madalena” entregaram um quadro representativo da primeira vitória da TUIST no FITU Cidade do Porto, com uma foto e um poema do Professor Aureliano da Fonseca. Destacaram-se nesta actuação os brilhantes arranjos vocais e instrumentais.

Seguiu-se a Azeituna – Tuna de Ciências da Universidade do Minho, que iniciaram com uma adaptação de “Vida de estudante” ao tema “A minha música” terminando com uma versão do hino da SIC com letra dedicada ao TUIST. Seguiram com “Amélia” como introdução do instrumental “Luso-galaico-celta”, continuando com “Menina das sete saias” e “Mostrengo”. Antes de terminaram com “Anunciação” de Alceu Valença, entregaram à TUIST um quadro com as icónicas meias azuis da Azeituna. Destacaram-se os arranjos musicais e também o momento de estandarte, em patins, com neons na bandeira, a combinar com os néons das claques presentes na sala.

Antes da última Tuna a concurso, apresentou-se o grupo convidado, 3 Bairros, que apresentou alguns temas do seu álbum de estreia “Turno da noite”, cujos excelentes arranjos aliados à empatia com o público, mostraram o porque de serem um dos projectos a seguir com atenção no panorama musical português.

A última Tuna a concurso foi a Estudantina Universitária de Coimbra, entrando com o tema de solista “Vida tão estranha” seguido do chorinho “Lamentos” de Pixinguinha. Continuaram com o instrumental “Dois fados à conversa” e apresentaram o tema de solista “Dos gardénias”, com uma excelente interpretação. Despediram-se com “Numa noite de luar (Vidraça)” e o clássico “Traçadinho”. Destacaram-se as brilhantes interpretações vocais e instrumentais.

Enquanto o júri deliberava os prémios subiram a palco os fundadores da TUIST e alguns “velhinhos” como se intitularam para mostrar o seu “Amor à TUIST”, nome que quiseram dar ao grupo que interpretou “A gente vai continuar” e  “Fado da Sina”

Antes de começarem a sua actuação, a TUIST apresentou um vídeo comemorativo dos seus 25 anos, iniciando logo de seguida com “Boa nova” e “Se um dia não houver luar”. Seguiu-se um dos momentos mais altos da noite, onde os seus solistas brilharam em “Amélia” com “Super Mário” na voz, “Povo que lavas no rio” com “Super Mário” e Bruno “Magister” Almeida e “Foi Deus” também com “Super Mário”. 

Antes de passar à entrega dos prémios, a TUIST foi agraciada com a Medalha Comemorativa do Centenário do IST, por parte da Direcção do mesmo.

De seguida os prémios foram entregues da seguinte forma:


Melhor Claque – LEIC - Informática
Melhor Pandeireta - anTUNiA - Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa 
Melhor Porta-estandarte - anTUNiA - Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa 
Melhor Solista - Estudantina Universitária de Coimbra
Melhor Instrumental - Tuna Universitária do Porto
Tuna + Tuna - Azeituna – Tuna de Ciências da Universidade do Minho
3ª Melhor tuna - anTUNiA - Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
2 ª Melhor tuna - Estudantina Universitária de Coimbra
Melhor tuna – Tuna Universitária do Porto
Depois dos prémios, a TUIST ainda apresentou o seu hino “Vida de Estudante” e despediu-se com a sua “Marcha de Lisboa”. 

O PortugalTunas endereça os Parabéns à TUIST pelo seu 25º Aniversário e pelos 20 anos do seu festival e agradece o acolhimento e facilidades concedidas.
 
João Afonso 

Parceiros