Portugaltunas - Tunas de Portugal

XX FITUV - Infantuna Cidade de Viseu
/5 ( votos)

XX FITUV - Infantuna Cidade de Viseu

Todas As Incidências Desta Grande Festa!

Decorreu este fim-de-semana a XX Edição do Festival Internacional de Tunas da Cidade de Viseu, evento organizado pela Infantuna Cidade de Viseu, coincidente com o 20º aniversário da mesma.
 
A Infantuna nasceu a 12 de Dezembro de 1991, sendo "o primeiro movimento do género a surgir na cidade". Tornou-se, ao longo de 20 anos, em mais um símbolo da cidade de Viseu, estando presente activamente na sua terra, e levando o nome desta e as suas raízes, pelo mundo inteiro. Acarinhada por todos, esta "família" transmite o que de mais puro e belo têm as gentes da beira alta. Após 20 anos já contam com algumas edições discográficas, um livro, geminações e apadrinhamentos com tunas do nosso e de outros países, e muitos amigos espalhados pelo mundo.
 
O festejo desta data marcante na sua história, resumiu-se a 3 dias de pura animação e dedicação. 
A festa começou na sexta-feira com a chegada das tunas convidadas seguido de um jantar animado, continuando pela noite fora no Reitoria, Irish Bar, Factor C, NB e Ice Club. 
 
O sábado amanheceu com um brilho das capas negras circulando pela cidade, mas também chuvoso, o que impediu a realização do tradicional pasacalles.  Decorreu a recepção oficial do evento pelos organismos da Câmara Municipal, com uma breve actuação de alguns grupos na Câmara, sendo que, de seguida o almoço teve lugar no Solar do Vinho do Dão. Ficou o sabor a pouco mas saciado após o jantar, com a actuação de todas as Tunas, na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu. Os viseenses aderiram em peso ao evento, enchendo completamente o espaço. A Infantuna contou também com a presença de muitos amigos, vindos de outras cidades e de outros países para estarem presentes neste dia especial, transformando este encontro, num verdadeiro encontro familiar.
 
Durante a introdução ao festival, foram feitos agradecimentos a todas a entidades que contribuíram para o mesmo, e foram condecorados com as insígnias (capa e chapéu), novos membros da "família" Infantuna, como Sócios Honorários. Foram eles: Miguel Gonçalves - Director Clínico da VISAGES; Olavo Sousa - Gerente do Grupo Noite Biba, Adão Ramos - Gerente do Irish Bar, Paulo Medeiros - Pintor, e Pedro Albuquerque - Pintor.
 
As apresentações feitas ao público foram sujeitas a gravação ao vivo, para a posterior edição de CD e DVD comemorativos desta data tão marcante para a Tuna Anfitriã.
 
O espectáculo foi iniciado com "naftalina" pelo ar, pelos elementos mais antigos das fileiras da Infantuna, formação existente até ao primeiro festival, há 20 anos atrás. Interpretaram 3 dos temas mais antigos do repertório e mais tradicionais da zona: "Laurindinha", "Senhor da Pedra", e "Mariquinhas".
 
A apresentação do festival ficou a cargo de 4 elementos da organização, que divertiram o público com animados sketches humorísticos, entre eles a demonstração de "como tocar bandolim sem mãos".
 
O concurso das tunas foi iniciado pela Copituna D'Oppidana - Tuna Académica da Guarda, num belo e inesperado show de pandeiretas que antecedeu o "Playback" de Carlos Paião. Seguiram com quatro originais: o instrumental "Domingo à tarde", a balada "Guitarra de Ilusões", "Menina Caloira" e "Capa ao Ombro". Findaram com o Hino intercalado com alguns temas conhecidos "Ai Portugal Portugal", "É tão bom", "Nini dos meus 15 anos", "Garota de Ipanema"e "A morte saiu à rua".
 
A Tuna Universitária de Aveiro subiu a palco num tom sério com a interpretação do original "Triunfo". Seguiram animadamente com o "Mix Zeca Afonso", o instrumental "Alavarium" realçando a brilhante performance dos bandolins. O solista interpretou de seguida "Malagueña" num passo quente de dança, acabando a apresentação com pandeiretas e estandartes em " Amor à Beira Mar", sempre a sorrir e sempre a cantar.
 
A Estudantina Universitária de Lisboa foi a terceira a concurso iniciando a sua Viagem numa dinâmica constante, com um poema de Fernando Pessoa em "O Infante", adornado pelo videoclip da mesma. Com uma apresentação carregada "SS", seguiu com os originais "Em viagem" e "Balada dos anzóis", o animado instrumental "Carrocel oito" de Júlio Pereira e os "Sinos da Sé". Terminaram com o "Velho Lobo-do-mar".
 
Seguiu-se a Tuna Universitária do Porto numa introdução arrepiante do tema "Timor". Numa actuação pautada por sonoridades intensas, interpretaram as conhecidas "Carvoeiras", "Manhã de Carnaval" num doce ritmo de bossa nova e o instrumental "Libertango" de Astor Piazzola. O solista deu voz a "Nasci, sonhei, cresci, amei" seguida da "Madalena" num coro gigante formado pelo público até à saída com "Amores de Estudante".
 
A Tuna do Distrito Universitário do Porto subiu a palco com uma homenagem especial aos padrinhos - a tuna anfitriã - em "Navegamos a cantar", à capella. Num ritmo latino, com dança à mistura, interpretaram "La Negra Tomasa", seguindo com a belíssima "Estrela da Tarde", "Vejam bem" de Zeca Afonso e "Quero as Estrelas,Quero o Luar". "Aquella tarde" foi o tema romântico da actuação, na voz do solista, terminando com "Meu Porto sem par" animado por uma coreografia de pandeiretas.
 
Terminado o concurso, a Infantuna Cidade de Viseu fez as honras da casa com alguns temas sobejamente conhecidos do público. Iniciaram com "Navegamos a cantar" e as "Cinco seguidas". Na voz cansada e emocionada do solista ouviu-se "Viseu Menina". Interpretaram de seguida dois temas de Astor Piazzola: "Balada para um Louco" numa interpretação teatral do solista e o instrumental "Primavera Portenha". Finalizaram com "Indo eu, indo eu", e "Viseu Senhora da Beira", o Hino da Cidade de Viseu que colocou o público de pé, a cantar em uníssono.
 
Após este místico momento, e para conclusão do espectáculo, foram feitas as atribuições dos prémios às tunas a concurso.
 
 
O Jurado, composto por João paulo sousa - Infantuna e professor no conservatório de música regional Dr. Azeredo Perdigão;  José Carlos Sousa - Infantuna e Director pedagógico do conservatório de música regional Dr. Azeredo Perdigão; Rafael Gomes - Tuna de Derecho de Valladolid; Arquitecto; Nuno Silva - Professor no conservatório de música regional Dr. Azeredo Perdigão, Viseu, atribuiu os seguintes prémios:

 
Melhor pasacalles: Não foi atribuído.
Melhor Serenata: Estudantina Universitária de Lisboa
Melhor Pandeireta: Tuna do Distrito Universitário do Porto
Melhor Instrumental: Tuna Universitária do Porto
Melhor Estandarte: Tuna do Distrito Universitário do Porto
Melhor Solista: Tuna Universitária do Porto
Tuna Simpatia: Tuna Universitária de Aveiro (prémio atribuído pela guias)
Tuna mais Tuna: Tuna Universitária do Porto (prémio atribuído pela organização)
2ª Melhor Tuna: Estudantina Universitária de Lisboa
Melhor Tuna - Grande prémio XX FITUV: Tuna Universitária do Porto

 

A par da entrega de prémios, a TDUP ofereceu uma lembrança aos padrinhos, pela amizade e por tudo o que eles representam. O festival continuou pela noite dentro nos mesmos locais do dia anterior, sempre com muita animação por parte de todos os participantes, terminando com o almoço de Domingo no Hospital de São Teotónio.
 
De notar a ausência da Tuna de Derecho de Valladolid, que apesar de constar o seu nome no cartaz, não compareceu ao festival, bem como um som que não ajudou às prestações de todas as tunas persentes.
 
Parabéns Infantuna pela excelente organização e acolhimento, que venham mais duas décadas...

 

Parceiros