Portugaltunas - Tunas de Portugal

XVII Real FesTA
/5 ( votos)

XVII Real FesTA

XVII REAL FesTA

Com o elenco para este certame antevia-se um excelente espectáculo, o que viria a acontecer e quem se deslocou ao Teatro José Lúcio da Silva de certeza que não ficou decepcionado.

Na sexta-feira, a contar para o prémio de Melhor Serenata à Cidade, as Tunas foram a palco para participar na Serenata à Cidade. Por outro lado, no sábado, a Tum' Acanénica organizou o «peddy-coiso», de cáracter não competitivo, para que os grupos visitantes pudessem conhecer e ver a cidade de Leiria sem preocupações com prémios ou competições, numa fantástica iniciativa.
Uma vez no Teatro José Lúcio da Silva, que se trata do palco por excelência na linda cidade de Leiria, com uma casa muito bem composta, deu-se início ao certame.

As Tunas que pisaram esse mesmo palco foram, por ordem de actuação, Cuarentuna de la Coruña (extra-concurso), vinda da cidade de Coruña; TUSALD - Real Tuna Académica da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, de Castelo Branco; ForTuna - Tuna Académica da Nova School of Business and Economics, de Lisboa; Augustuna - Tuna Académica da Universidade do Minho (extra-concurso); Escstunis - Tuna Académica da Escola Superior de Comunicação Social, também de Lisboa e, por fim, Quantunna - Tuna Mista da F. C. T. da Universidade de Coimbra, de Coimbra.

A apresentação do festival ficou a cargo do grupo de Jogralhos da Universidade do Minho.

A primeira Tuna, como dito anteriormente, a subir a palco, foi a Cuarentuna de la Coruña, com apenas seis membros em palco, derivado de problemas de saúde de alguns membros, e a companhia de dois membros da Tum' Acanénica, brindaram o público com os temas La Sirena, La Viajerita e o conhecido Clavelitos. Entre os temas, salientamos também a homenagem à tuna organizadora ao oferecer uma beca emoldurada, uma estatueta e uma fita, a propósito do irmanamento entre as duas tunas.

A segunda Tuna em palco, e a primeira a concurso, foi a TUSALD - Real Tuna Académica da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, com 28 membros em palco apresentaram os temas "Medley da Beira-Baixa", "E É Por Ti", "Débutant", "P'ra Caloirada" e, por fim, "Cidade Saudade".


Ainda antes do intervalo, a ForTuna que veio a Leiria com 33 elementos. Com uma apresentação bem adequada ao tema do festival, «Terror no Pinhal», tocou "Alma Perdida", "Eu Sei", de Sara Tavares, "Esctasy of Gold", "Uma Bica" e "Ala P'rá Rusga".

Após um curto intervalo, seguiu-se mais uma actuação extra-concurso, desta vez pela Augustuna - Tuna Académica da Universidade do Minho, com 20 membros em palco. Este grupo começou a sua actuação num registo de luto, numa bonita e sentida homenagem aos três estudantes que morreram na semana passada em Braga. De seguida, apresentaram os temas "Vinho do Porto", "Balada de Despedida do 5.º Ano Jurídico de 89", "Fado Jingão" e "Ojos de España", esta última interpretada de forma fantástica pelo solista.

Seguiu-se a Escstunis, apresentando-se com 45 elementos, que trouxe a palco os temas "Cacilheiro", "Princípe do Egito", "O Esplendor", "Silêncio do Tom" e "Mundos Mudos", dos Da Weasel. Desta actuação gostaríamos de salientar não só a apresentação, que se enquadrou perfeitamente no tema do festival, tal como a ForTuna, e roubou várias vezes gargalhadas da audiência, como também os esquemas de pandeiretas e bandeiras que foram bem desenvolvidos, complexos e executados na perfeição.

Por fim, a última Tuna a concurso foi a Quantunna - Tuna Mista da F. C. T. da Universidade de Coimbra. De Coimbra vieram 21 elementos para participar nesta celebração da vida e obra de D. Dinis, o Trovador. A Tuna coimbrã levou temas como "Viagem", "Festa das Latas", "Lugar Diferente" e, finalmente, "Volta", de Rodrigo Leão.

Antes de serem anunciados os resultados das votações dos jurados, houve tempo para a Tuna anfitriã subir a palco e deliciar os estudantes e visitantes com uma excelente actuação. A Tum' Acanénica subiu a palco ao som estrondoso dos aplausos da plateia no Teatro José Lúcio da Silva. Com o número de 47 elementos, ou não estivesse a «jogar em casa», a Tum' Acanénica deleitou a assistência com os temas "Só Por Amor", "Fonte das Três Bicas", a fabulosa "Linda Leiria" na qual participou todo o conjunto de Tunas irmandas, Augustuna, Cuarentuna de la Coruña, membros presentes da Tuna Académica da Universidade dos Açores e Tum' Acanéninca, "Fingimento", original da Augustuna, que contou com a participação da mesma neste tema e, encerrando a parte musical do certame, "Festa da Vida".

Depois de se deixar de ouvir o som dos aplausos, o que ainda demorou alguns minutos, foi tempo de anunciar os vencedores dos vários prémios neste XVII Real FesTA - Real Festival de Tunas Académicas a D. Dinis, o Trovador:

 Melhor Serenata (Prémio D.Dinis) - Fortuna

Melhor Solista - Escstunis
Melhor Pandeireta - Escstunis
Melhor Porta Estandarte - Escstunis
Melhor Instrumental - ForTuna
Prémio "Terror no Pinhal" - Escstunis
Tuna mais Tuna - Escstunis
Tuna do Público - Escstunis
Serenata à Cidade - Escstunis
Melhor Tuna - ForTuna 

Gostaríamos de agradecer toda a fantástica organização da Tum' Acanénica pelo festival no qual tivemos a honra de nos fazer representar. Agradecemos também toda a disponibilidade e prontidão que demonstraram para resolver todas as eventualidades. Uma última nota de apreço ao Marco Carvalho, repórter do Hora Tunante também presente no XVII Real FesTA, pela excelente companhia que foi ao longo de todo o festival.

Parceiros