Portugaltunas - Tunas de Portugal

XIII Oppidana
/5 ( votos)

XIII Oppidana

A Reportagem

A Copituna d'Oppidana - Tuna Académica da Guarda organizou nos dias 7 e 8 de Março mais uma edição, a 13ª, do Oppidana - Festival de Tunas Cidade da Guarda.

O Festival teve o seu início na 6.ª feira, com a habitual festa de recepção às Tunas no Bar Bacalhau, na Associação Académica da Guarda, que apenas viu o fim quando já era dia!

Sábado à tarde, as Tunas deslocaram-se até à Sé Catedral da Guarda onde interpretaram as suas serenatas perante o público que compareceu em peso. Após as mesmas, dirigiram-se para o Teatro Municipal da Guarda para os testes de som.

Com o TMG mais uma vez esgotado, deu-se início ao festival, cuja apresentação ficou uma vez mais a cargo dos já conhecidos "À Meia-Noite nas Eólicas" que apesar de no início ameaçarem usar um tom mais sério, acabaram por presentear o público com as suas musicas e humor característicos, já uma marca do "Oppidana".

A primeira Tuna da noite foi a Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto, que se apresentou com 34 elementos.

Iniciaram a sua prestação com "Torero / Novillero Quiero Ser", seguido de "Oração" e o instrumental "A Abertura do Barbeiro de Sevilha". Continuaram com "Maria Lisboa" e "Volvi a Nascer". Destaque para as coreografias das suas pandeiretas e para os seus arranjos musicais e vocais, sempre seguros.

Seguiu-se a TUIST - Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico de Lisboa, com 26 elementos.

Apresentaram "Povo que lavas no rio" e "Vontade de ser", seguidos de "Ontem, hoje e amanhã" e do seu instrumental "Medley de Fados". Terminaram com "Lágrima" e "Esta Lisboa que eu amo". Destaque para os seus pandeiretas, arranjos musicais, e ao seu solista Mário Fernandes "Super Mário".

A seguir ao intervalo apresentou-se a Infantuna Cidade de Viseu, com 31 elementos.

Apresentaram "Navegamos a cantar" seguido de "Quatro Músicas e Meia". De seguida, e após uma pormenorizada explicação de como um piano de cauda pertence aos instrumentos cordofones, apresentaram-se com o referido instrumento na interpretação de "Balada para un loco" de Piazzolla. Terminaram com "Indo eu" como novos arranjos, em jeito de espiritual negro. Destaque para os arranjos musicais e vocais presentes em todo o seu reportório.

De seguida apresentou-se a Tuna Universitária do Minho, com 36 elementos.

Apresentaram "Delírio do Gerês" e "Sonho", seguidos de "Tunalmente molhado" e do instrumental "Partizan. Terminaram com "O abraço acontece" e "Adeus é sempre adeus". Destaque para os seus pandeiretas e estandartes, assim como a sua energia e garra em palco, bem presente no instrumental interpretado.

Seguiu-se a Estudantina Universitária de Coimbra, com 33 elementos.

Iniciaram a sua actuação com "Maria", seguindo-se "Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades" interpretado por vários solistas, e "Tango para Teresa". Continuaram com o instrumental "Medley de Bach" e "Numa noite de luar", com a interpretação de "Gaudeamus Igitur" pelo meio, com especial dedicatória ao corpo docente do IPG. Esta actuação fica marcada pela enorme qualidade musical, presente nos seus arranjos musicais e nas interpretações dos seus solistas. Destaque também para os seus pandeiretas, que demonstraram que a simplicidade por vezes também sobressai.

Enquanto o júri decidia apresentaram-se os anfitriões, Copituna d'Oppidana - Tuna Académica da Guarda, com 49 elementos.

Apresentaram o tema "20 anos", com um dueto entre o seu solista e a ensaiadora da Copituna, Alice Sagradas, sendo esta agraciada com o título de Tuno Honorário da Copituna. Destaque também para a mesma distinção feita a um mini-Copituno, trajado a rigor, filho de um dos elementos da Tuna.

Seguiram a sua actuação com "Senhora do mar", "Menina Caloira + Capa ao ombro", "Guitarra de Ilusões", "Vem cá caloiro" e "Sinfonia do Álcool". Fica marcada esta actuação pela interacção da Copituna com o seu público, que acompanhou todos os temas, assim como pela reunião de novos e velhos Copitunos em palco.

De seguida procedeu-se à entrega dos prémios, que foram atribuídos da seguinte maneira:

Melhor Serenata - TUIST - Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico
Melhor Pandeireta - Estudantina Universitária de Coimbra
Melhor Porta-estandarte - Tuna Universitária do Minho
Melhor Solista - Estudantina Universitária de Coimbra
Melhor Instrumental - Estudantina Universitária de Coimbra
Tuna + Tuna - Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto
2ª Melhor Tuna - Infantuna Cidade de Viseu
Melhor Tuna - Estudantina Universitária de Coimbra

A festa prosseguiu pela noite dentro, terminando apenas no almoço de despedida, nas instalações da Associação Académica da Guarda.

O Portugaltunas agradece a colaboração da Copituna, endereçando os parabéns pela organização desde XIII Oppidana.

Parceiros