Portugaltunas - Tunas de Portugal

XIII FESTA – Festival Internacional de Tunas do Atlântico
/5 ( votos)

XIII FESTA – Festival Internacional de Tunas do Atlântico

Reportagem

Nos passados dias 26 e 27 de Outubro, a Estudantina Académica da Madeira organizou mais um FesTA, desta feita a sua XIII edição, num ambiente ímpar que só a Madeira proporciona.


Já desde o início da semana que muitos elementos das tunas se encontravam na ilha, aproveitando assim para conhecer e (re)descobrir a mesma, concentrando-se para um "Warm Up" na Venda Velha, na noite de 5.ª feira, onde a música, o convívio e as iguarias madeirenses não faltaram, colocando desde logo a fasquia num elevado nível. A noite terminou nalgumas discotecas locais.


Na 6.ª feira, dia de arranque oficial do XIII FesTA, as tunas concentraram-se, após um almoço livre, para uma visita às caves da Blandy Madeira Wine, local onde decorreu também a reunião de magisters. De seguida, as tunas foram encaminhadas para a zona da Sé Catedral, onde decorreu o tradicional pasacalles, que fez a delícia dos turistas (e não só): não faltaram brincadeiras, serenatas, actuações improvisadas, e muitas máquinas fotográficas a acompanhar as tunas que, com temas animados, proporcionaram uma tarde diferente à baixa funchalense.


Após o término do pasacalles, as tunas foram recebidas pelo presidente da Câmara Municipal do Funchal para um Madeira de Honra no Salão Nobre, que deu as boas vindas e louvou a iniciativa da Estudantina Académica da Madeira na organização de mais um certame, tendo as tunas presentes apresentando um tema em jeito de agradecimento e apresentação. De seguida, as tunas dirigiram-se para o Colégio dos Jesuítas, onde decorreu o concurso de serenatas.


Assim, a primeira tuna a apresentar-se neste final de tarde foi a Bruna - Tuna Universitária da Figueira da Foz, que estreou o tema "Via um dia", interpretando ainda "Muñequita Linda". De seguida, foi a vez da Tuna do Distrito de Granada tocar "La Aurora" e "Sabor a Mi", dando lugar à Tuna do Distrito Universitário do Porto que apresentou "Mulher" e "Aquella Tarde". A finalizar o lote de tunas a concurso, a Luz&Tuna interpretou "Trovador" e "Zorro" e, já no cair da noite, houve ainda tempo para uma interpretação muito sentida de "Menina", pela Estudantina Académica da Madeira.

Apesar do dia ir já longo em actividades, estava longe de terminar: após as serenatas, seguiu-se uma curta viagem até Câmara de Lobos onde as tunas jantaram e ofereceram às gentes de Câmara de Lobos um serão diferente, com muita música, boa disposição e convívio, ao qual a população acorreu, como sempre, em grande número. Assim, as tunas a concurso e a tuna organizadora, bem como a Tuna d'Elas, a TUMa e a Enfertuna, já com apresentação do Pedro Neves, proporcionaram algumas horas bem animadas, com muito humor à mistura, num belíssimo mote daquilo que viria a ser a noite seguinte. A festa continuou na discoteca Copacabana.

Sábado, dia 26, as tunas almoçaram na Universidade da Madeira, dispondo de uma tarde livre. O jantar, tipicamente madeirense, antecedeu um Centro de Congressos do Casino da Madeira completamente esgotado, com a população a acorrer em massa para ver as tunas.

Pouco depois da hora marcada, dava-se início ao espectáculo: após alguns agradecimentos e a com a primeira surpresa da noite: a actuação da Musicarte (uma oficina de música de centros comunitários madeirenses), que brindou o público com "Mais que Nada" e depois, já com a Estudantina da Madeira em palco, interpretaram conjuntamente "Madalena do Jucu"; de seguida, a EAM apresentou "Marcha do Outono", de Maria Clara, com destaque para a sonoridade muito própria e que tão bem identifica esta tuna, bem como para os seus pandeiretas e estandartes. A festa estava, assim, lançada, e com um público muito receptivo a ela.

Pedro Neves, humorista, e longe de ser um estreante na apresentação de festivais de tunas, também não deixou o seu crédito por mãos alheias, fazendo dos tempos entre tunas um verdadeiro espectáculo, como já havia demonstrado no ano anterior.

A primeira tuna a concurso a subir a palco, foi a Luz&Tuna - Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa. Com cerca de 35 elementos em palco, apresentou no Funchal aquele que tinha vindo a ser o seu repertório nos últimos espectáculos que fez: maduro, consistente e bem trabalhado. "A Guerra é a Guerra", de Fausto, abriu as hostilidades, prosseguindo para uma arrebatadora prestação do solista em "Fado do Alentejo". O instrumental "Variações em Ré Menor" foi o tema que se seguiu, com algumas dificuldades ao nível do retorno a serem notadas na sua execução. Aquele que é, provavelmente, o seu ex-libris, foi o tema interpretaram de seguida, "Senhores da Guerra", culminando numa ovação que deu lugar àquele que seria o seu último tema, o original e animado "Canta Lisboa".

A segunda tuna a concurso da noite foi a Tuna do Distrito de Granada. Com 10 elementos em palco, iniciou a sua interpretação com "El Milagro de tus Ojos", prosseguindo para um bolero, "Si nos dejan". De seguida, apresentaram o seu instrumental e o seu tema de solista "Nadie, Simplesmente Nadie", bastante aplaudido pelo público presente. "Piel Canela" foi o tema que antecedeu a sua despedida, num tema bastante animado e que encerrou com chave de ouro a 1.ª parte deste excelente espectáculo.

Após um breve intervalo, subiu a palco a 3.ª tuna a concurso da noite. Com cerca de 20 elementos em palco, a Tuna do Distrito Universitário do Porto iniciou a sua interpretação com "La Negra Tomasa", prosseguindo para "Quero as Estrelas, Quero o Luar". O original "Meu Porto sem Par" foi o tema que se seguiu, dando lugar à "Casa Portuguesa". Para finalizar, a TDUP apresentou ainda "Vejam Bem", despedindo-se ao som de "Raparigas Belas". Destaque para os interlúdios desta tuna, com temas bastante animados e textos dedicados à ilha da Madeira, bem como para os seus cinco solistas, com estilos bastante distintos, mas que culminaram numa prestação global muito positiva.

A fechar o grupo de tunas a concurso, subiu a palco a Bruna - Tuna Universitária da Figueira da Foz. Com 22 elementos em palco, iniciaram a sua actuação numa sentida homenagem à ilha que os recebeu, com um excerto de um poema de Herberto Hélder, dedicando assim o primeiro tema, "Cantar à Cidade. De seguida, destaque para os solistas desta tuna, em dois temas originais: o primeiro interpretou "Maria" e o segundo deu voz a uma belíssima serenata, "Meu Amor". "Navegantes" foi o tema que se seguiu, interpretando posteriormente "Figueira". À capella, e com um dos seus solistas, um dos momentos altos da noite em "O teu olhar", num tema muito aplaudido pelo público presente. Uma actuação muito positiva por parte desta tuna, consistente e com muita qualidade demonstrada.

De seguida, e enquanto o júri deliberava, a Estudantina Académica da Madeira interpretou "Rosinha dos Limões" e, já com antigos elementos em palco, "Júlia Florista" foi o tema que se seguiu. Além dos tradicionais agradecimentos, houve ainda espaço para oficializar a passagem a membros honorários, bem como para homenagear não apenas os elementos da EAM que, ao longo de todos estes anos, têm sido fundamentais no cumprimento dos objectivos, mas também todos os outros, a quem foi entregue uma pequena lembrança.

De seguida, foram entregues os prémios aos representantes de cada tuna:

Melhor Pasacalles - Tuna do Distrito Universitário do Porto
Melhor Serenata - Tuna do Distrito Universitário do Porto

Melhor Pandeireta - Tuna do Distrito Universitário do Porto
Melhor Estandarte - Luz&Tuna
Melhor Solista - Bruna - Tuna Universitária da Figueira da Foz
Melhor Instrumental - Luz&Tuna

Tuna mais Tuna - Tuna do Distrito de Granada

2.ª Melhor Tuna - Bruna - Tuna Universitária da Figueira da Foz
Melhor Tuna - Tuna do Distrito Universitário do Porto

A festa continuou noite dentro pelo Copacabana, não sem antes adiantar a data do próximo FesTA: 25 de Outubro de 2014.

O Portugaltunas agradece toda a logística e preocupação sempre demonstradas pela Estudantina Académica da Madeira.

Parceiros