Portugaltunas - Tunas de Portugal

XI FESTUBI - Reportagem
/5 ( votos)

XI FESTUBI - Reportagem

Reportagem

Decorreu nos passados dias 5 e 6 de Abril mais uma edição do FESTUBI, uma organização da Desertuna - Tuna Académica da Universidade de Beira Interior.

 

Na primeira noite decorreu a Noite de Serenatas no Teatro Municipal da Covilhã, onde as Tunas encantaram todos os presentes. A noite teve início com a actuação da Tuna de Medicina do Porto com os temas "Silêncio" e "Mulher", seguida da TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão com "Como fué" e "Contigo aprendi". Seguiu-se a Tuna da casa que apresentou "Balada do desajeitado" e "Sinfonia de um beijo". A noite terminou com a Magna Tuna Cartola com "Beijo vadio" e "Olhos". A Azeituna não conseguiu estar presente a tempo da serenata devido a um atraso, tendo avisado a organização de tal facto.

 

Após as Serenatas, a noite continuou no pavilhão da Associação Cultural Desportiva Oriental de S. Martinho, onde a festa durou até de manhã.

 

No sábado à tarde teve lugar o tradicional Pasacalles pelas ruas e bares da Covilhã, com as Tunas a proporcionar um ambiente alegre por onde passavam.

 

O evento principal do FESTUBI iniciou-se às 21.30 perante um Teatro Municipal completamente cheio.

 

O certame teve início com as habituais palavras de agradecimento da Direcção da Desertuna, que chamaram ao palco uma das surpresas da noite, os convidados especiais do XI FESTUBI, Quinta do Bill. Estes presentearam o público com alguns dos seus sucessos, como "Se te amo" e "Quando eu era pequenino". No final chamaram a Desertuna a palco para, em conjunto, interpretarem a versão de "Voa", "Caloirinha" que foi cantada por todos os presentes na sala.

 

A apresentação do festival esteve mais uma vez a cargo de Pedro Neves, Tuno Honorário da Desertuna, que animou todos os presentes com o seu humor, mostrando também que tem no filho um digno sucessor!

 

O festival teve início com a actuação da Tuna de Medicina do Porto, que se apresentou com 35 elementos. Interpretaram os temas "Fantasma da Ópera" e "Conquista", seguido do instrumental "Palladio" de Karl Jenkins e "Requiem". Terminaram com o seu hino "Noites de Ronda". Esta actuação teve como destaque os estandartes e pandeiretas assim como a qualidade dos seus arranjos vocais e instrumentais.

 

Seguiu-se a TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão, com 30 elementos em palco. Apresentaram "Fado do Estudante" e "Saudade" seguido do instrumental "Variações em Ré Maior" e do tema de solista "Sabor a Mi", terminando com o seu hino "Académica". Esta actuação teve como destaque a boa disposição da TAUL-F, que levaram uma vez mais o seu cão de louça na esperança de conquistar a "Milou", assim como a segurança dos arranjos dos seus temas.

 

O festival continuou com a Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho, com 28 elementos. Interpretaram "Nasci para a Música" e "Caminhos d'água", seguidos do instrumental "Andanças", "Assim Nasceu um País" e do tema de solista "Tudo o que te dou", terminando com "Meia Lua Inteira". Esta actuação fica marcada pelos excelentes arranjos vocais e instrumentais, assim como da boa disposição do seu apresentador e irreverência dos seus estandartes, que voltaram a utilizar coreografias com led's e patins.

 

Seguiu-se a Magna Tuna Cartola, com 26 elementos. Iniciaram com uma versão de "Caloirinha" da Desertuna com as suas célebres garrafas. De seguida interpretaram "Touro", "Macho Português", seguido de "Serenata Nova" e "Aveiro É" terminando com "Triste História". Esta actuação fica marcada pela já conhecida postura irreverente da MTC, assim como pela qualidade dos seus estandartes.

 

Enquanto o júri decidia, apresentou-se a Tuna anfitriã, Desertuna, com 50 elementos em palco. Interpretaram "Ronda a Tuna" e "Hino à Desertuna", seguido de "Toninho" e "Covilhã". Para finalizar interpretaram a sua peça musical “Odisseia”, composta por quatro temas: “Praia Lusitana” (instrumental), “A Nau e o Sonho” (tema de solista), “Adamastor” e “Chegada à Índia” (instrumental). Esta actuação fica marcada pela já conhecida qualidade dos seus estandartes e pandeiretas, assim como da qualidade dos seus arranjos instrumentais, bem presentes em "Odisseia" tendo levado a plateia ao rubro.

 

No final, o júri composto por:

 

Diogo Seco - Copituna d'Oppidana

Carlos Salazar - Director Pedagógico da EPABI

Diana Nunes - Ensaiadora de vozes da Desertuna

Paulo Valério - Xá da Desertuna

Nuno Maricato - Imperial Neptuna Académica e Castra Leuca

 

Decidiu:

 

Melhor Serenata - Magna Tuna Cartola

Melhor Pasacalles - TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão

 

Melhor Estandarte - Magna Tuna Cartola

Melhor Pandeireta - Tuna de Medicina do Porto

Melhor Solista - Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho

Melhor Instrumental - Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho

Melhor Tuna - Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho

 

Os presentes no Teatro Municipal da Covilhã decidiram entregar o prémio de Tuna mais Público à Magna Tuna Cartola, de Aveiro

Uma vez mais, a festa teve lugar no pavilhão da Associação Cultural Desportiva Oriental de S. Martinho, com animação durante a noite inteira.

 

No Domingo teve lugar o almoço de despedida, nos Leões da Floresta, onde foram entregues os restantes prémios a concurso:

 

Tuna mais Tuna - TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão

Tuno mais Toninho - "Thyrs" (TAUL-F - Tuna Académica da Universidade Lusíada de Famalicão)

 

O Portugaltunas agradece, uma vez mais, a colaboração da Desertuna e endereça os parabéns à organização por mais um FESTUBI cheio de qualidade, tanto pelos espectáculos apresentados assim como pelo ambiente que se viveu em todas os eventos do certame.

 

Parceiros