Portugaltunas - Tunas de Portugal

/5 ( votos)

XI Acordes

A Reportagem Completa...

No passado fim-de-semana, a cidade de Setúbal abriu os braços a mais uma edição do ACORDES, organizado pela Tuna Sadina – Tuna Feminina da ESE do IPS, no já habitual Auditório da Anunciada.

 

Passadas já as 21:30, o festival iniciou-se com a projecção de um vídeo falando sobre a cidade de Setúbal acabando com uma paródia do videoclip da música “I’m sexy and I know it” dos LMFAO. A seguir e sem perder um minuto a Tuna Sadina entrou em palco tocando uma sentida versão da música “Perdidamente” e uma adaptação da música “Abraço a Setúbal” acompanhado de uma original coreografia de pandeiretas e estandartes. Após a apresentação e dando as boas-vindas a todos os presentes, continuaram com uma emotiva interpretação da música de solista “Garça Perdida” demostrando os talentos sadinos.

 

A primeira Tuna a concurso foi a Sal &Tuna – Tuna Feminina da Escola Superior de Desporto de Rio Maior, entrando a palco com uma interpretação a capella. Começaram por interpretar o seu “Hino”, onde mostraram a suas enérgicas pandeiretas alegrando ao público presente. Continuaram com uma música com arranjos originais cuja letra é um poema de Fernando Pessoa “O Amor”, tema solista que comoveu os presentes, seguida do já conhecido tema “O Ovo” (Ou “O Tempo”). Após os agradecimentos dedicaram a Tuna Sadina a musica “Oração” e terminaram a sua actuação com seu tema original “Ser Tunante”, sem faltar o tradicional F.R.A.

 

A segunda Tuna a concorrer no palco foi a T.A.F.U.É. – Tuna Académica Feminina da Universidade de Évora que começou com as já conhecidas musicas alentejanas “Se fores ao Alentejo” precedendo ao “Ferreiro”. A partir de aqui a T.A.F.U.É. deleitou ao público com temas originais, entre eles, “Namoradeira”, a sua famosa “Serenata”, que foi o momento romântico da sua actuação, o tema “Madrugada” e apresentando o seu novo instrumental “Saudades”. Para continuar, interpretaram a sua versão do tema “Laurindinha” e mais um original “Amores de Estudante”, saindo do palco ao som do setubalense “Rio Azul”.

 

Dez minutos foram suficientes para esticar as pernas e aproveitar para visitar o Bar e comer umas deliciosas Bifanas antes de dar entrada a T.A.S.C.A. – Tuna Académica de Setúbal Cidade Amada (tuna extra concurso) que deu o toque “mágico” da noite. Com o público em pé deram início a um Medley interactivo com músicas conhecidas como “O Malhão” (em varias línguas), “Zumba na Caneca”, “A saia de Carolina” entre outras. A segunda música foi “A Mais Bela Prenda” finalizando com “Prova Oral”, ambas originais da mesma, e o indispensável grito académico.

 

A terceira tuna a concurso foi a In’Spiritus Tuna – Tuna Feminina da Cooperativa Egas Moniz, vindas de Almada, que homenageou a cidade Sadina com a sua adaptação do tema “Rio Azul” que foi sucedida pela “Rapsódia de músicas populares” do panorama musical português. Como música de solista interpretaram “Eu sei” da cantora Sara Tavares, seguido do seu instrumental “Spiritus Tango”. O momento engraçado da actuação chegou com a irónica dedicação da música “Tragedia” aos seus guias continuando com mais um original “Capas negras” finalizando com o “Hino da In’Spiritus Tuna” e seu Grito Académico.

 

A última tuna a concurso foi a lisboeta Samarituna – Tuna Feminina da Universidade Lusófona que abriu espectáculo com a música “Cravo Roxo” trazida da sua última viagem a Covilhã. Continuaram com o original “Lisboa de Negro” e o seu instrumental “O Mar” que é uma recompilação de três músicas portuguesas, entre elas “Não vás ao mar Tóino”. A solista interpretou “Rua do Capelão” levando uma grande salva de palmas. Lembrando os seus quinze anos de história cantaram “Chula”, seguido dum original e enérgico Grito Académico. Antes de sair do palco entonaram seu “Hino” dando assim término a sua apresentação. De notar que esta actuação foi marcada por momentos de humor protagonizados por um elemento da Samarituna que estaria “menos sóbrio”.

 

Para dar fim ao festival a Tuna Sadina voltou ao palco para cantar e encantar, desta vez interpretando temas como “Medley de Amália” o seu instrumental e “Pensamento Sadino” tema original desta tuna.

 

Apos uma difícil decisão do júri os resultados foram os seguintes:

 

- Melhor Porta-Estandarte: In’Spiritus Tuna

- Melhor Pandeireta: T.A.F.U.É.

- Melhor Instrumental: In’Spiritus Tuna

- Melhor Solista: Samarituna

- Melhor Tuna: Samarituna

 

Assim o XI ACORDES chegou a seu fim, convidando a todos os presentes ser parte da festa que continuava no Design Café onde atribuíram o premio de Tuna-Mais-Tuna.

 

E o prémio foi para…….. Sal & Tuna!

 

Parabéns Tuna Sadina por mais um grande Festival… E até ao próximo ano!

 

 

Sérgio Ramos 

Parceiros