Portugaltunas - Tunas de Portugal

X Olé Tunas
/5 ( votos)

X Olé Tunas

A Reportagem

Nos passados dias 23, 24 e 25 de Fevereiro decorreu o X OLÉ TUNAS - Festival de Tunas Académicas de Angra do Heroísmo organizado pela TAESEAH, Tuna Académica da Escola Superior de Enfermagem de Angra do Heroísmo.
O Festival contou com a presença das seguintes Tunas a concurso:
* ForTuna (Lisboa)
* Tuna Iscalina (Lisboa)
* Real Tuna Académica NeOlisipo (Lisboa)
* Tu Na D'ESTES (Coimbra)
* Vicentuna (Lisboa)
* Neptuna (Angra do Heroísmo)
* TASMUA - Tuna Académica Sons do Mar (Angra do Heroísmo)
O Festival contou ainda com a participação extra-concurso de:
* Real Estudantina do Açores
* TUSA - Tuna Universitas Scientiarum Agrariarum (Açores)

O Festival teve início na quinta-feira 23 de Fevereiro embora com o Passa Calles previsto para a tarde a ser adiado devido às fortes chuvas que se fizeram sentir na ilha Terceira. Mas para a noite estava reservada a monumental serenata que teve lugar no átrio da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo. A TASMUA abriu a noite com os originais "Amor Açoreano" e "À Noite quando te Canto". A Iscalina apresentou a sua serenata original "O nosso Amor". A RTA NeOlisipo apresentou o tema açoreano "Ilhas de Bruma" de José Ferreira. A Tu Na D'ESTES apresentou "Dedicação" da Estudantina Universitária de Coimbra e a serenata original "Eterno Beijo". A ForTuna interpretou "Eu Sei" de Sara Tavares. A Neptuna apresentou o original "Tão sofrido é o Amor" e "Estudante ilhéu" dos Tributo. A Vicentuna terminou a noite de serenata com "Sozinho" de Caetano Veloso cantando a cappella e "O Pomar das Laranjeiras" de Madredeus.

 

O Festival em si decorreu no Centro Cultural e de Congressos de Angra de Heroísmo e foi dividido em duas noites de espetáculo.
Na noite de 6ª feira, a TAESEAH, Tuna anfitriã abriu o festival ao som de "Passo Doble".

 

A primeira Tuna a concurso a pisar o palco deste X OLÉ TUNAS, foi a TASMUA que iniciou a sua actuação recriando autênticos sons do mar culminando com uma autêntica trovoada. Apresentaram "Senhora do Mar" de Vânia Fernandes/Carlos Coelho/Andrej Babic na voz da solista Lisete Silva, o original "Angra Baia", o instrumental "O Padrinho", "O Pastor" de Madredeus" na voz do solista Fábio Silveira, terminando com o original "Somos a Tuna".

Em palco, seguiu-se a Tuna Iscalina que iniciou a sua actuação com o original "Lisboa eu Sou", seguindo-se o instrumental original "Marcha do Campo Pequeno", o original "Portugal", "Canção de Embalar" de José ("Zeca") Afonso, o original "Amor de Inês" na voz do solista Ruben Gil, terminando a sua actuação com o seu hino "Zacarias".

A terceira Tuna a concurso a actuar foi a RTA NeOlisipo que apresentou "Balada de um Banco de Jardim" dos Azeitonas, os originais "Na Bruma" e "Lisboa com Swing", "Pasión" de Rodrigo Leão na voz da solista Ana Miguel, o instrumental "Libertango" de Astor Piazzolla, terminando com o tema "Lisboa à Noite".

A última tuna a concurso da noite a actuar foi a Tu Na D'ESTES que iniciou a sua actuação com "Fado Português" de Amália Rodrigues/José Régio/Alain Oulman, seguindo-se "Canção de Embalar" de José ("Zeca") Afonso, "Retrato d' Homenzinho Pequenino com Frasco" da Banda do Casaco (1976), "Alegria" do Cirque du Soleil, terminando com "Ressaca" da extinta Tuna da A.A. da UCP de Viseu.

Para encerrar esta primeira noite de Olé Tunas, subiu a palco a TUSA que apresentou 3 originais: "Cidade de Estudante", "Gosto de ti" e "Despedida".

 

No dia de Sábado, o ponto de encontro foi a Praça de Touros de Angra do Heroísmo à hora de almoço. Enquanto a carne para o almoço assava, decorreu o passa calles (que não se tinha realizado na 5ª feira) precisamente juntos aos grelhadores na lateral da Praça de Touros.
Depois do almoço, decorreu a não menos esperada garraiada. Após alguns dos locais mostrarem como se faz uma pega, seguiram-se autênticos grupos amadores de forcados tunantes que ainda arriscaram algumas cornadas e dores de costelas mas que conseguiram pegar o 3 animais que foram soltos na arena.

 

Segunda noite de Festival no Centro Cultural e de Congressos e a primeira Tuna a concurso da noite a actuar foi a ForTuna que apresentou o original "Alma Perdida", seguindo-se o instrumental "Karla with a K" dos The Hooters, "Eu sei" de Sara Tavares na voz da solista Beatriz Cardoso, "Um contra Outro" dos Deolinda, o original "Ala pra Rusga", terminando com "Hino à Nova".

Seguiu-se a Neptuna que iniciou a sua actuação com "Barco Negro" de Amália Rodrigues na voz da solista Elisabete Diniz, seguido do original "Vida de Estudante", "Hino da Neptuna", o instrumental original "Cosa Nostra", terminando com mais um original "Berço de Bruma".

A última Tuna a concurso a pisar o palco foi a Vicentuna que apresentou "Leitaria Garrett" com a habitual recriação dos Sons do Chiado em 1904, seguindo-se o instrumental "Tanto Mar" de Chico Buarque, "Mar Desconhecido" dos Pink Martini, o original "Lisboa da Cantigas", terminando com "Xácara das Bruxas Dançando" dos Trovante.

Em palco e já extra-concurso, actuou a Real Estudantina dos Açores que apresentou "Canção para José da Lata" de Carlos Alberto Moniz, "Olhos Negros" com letra do cancioneiro popular dos Açores e o original "O Beijo".

Para finalizar este X Olé Tunas, subiu a palco a anfitriã TAESEAH que apresentou "Estou Além" de António Variações, o original "Noites Amenas", terminando com mais um original "Hino à Tuna".

 

Após a deliberação do júri procedeu-se à entrega dos prémios:
* Melhor Serenata: TASMUA
* Melhor Passa Calles: TASMUA
* Melhor Pandeireta: Vicentuna
* Melhor Estandarte: Vicentuna
* Melhor Solista: Neptuna
* Melhor Instrumental: RTA Neolissipo
* Melhor Original: Tu Na D'ESTES (com o tema "Eterno Beijo")
* Tuna Mais Tuna: Tu Na D'ESTES
* Melhor Tuna: Vicentuna

 

 

Quanto às condições técnicas, o Centro Cultural e de Congressos de Angra do Heroísmo devido à disposição da plateia em semi-arena envolvendo o palco tem no entanto a desvantagem de proporcionar apenas uma boa visibilidade para este tipo de espetáculo, a partir da região central da plateia. Este facto acabou por não ter grande relevância, uma vez que a baixa assistência apenas permitiu compor a região central da plateia. A relativamente boa acústica da sala, não permitiu no entanto que a qualidade do som fosse a melhor, tanto na plateia como em palco, apesar do material à disposição ser mais do que adequado. Nota positiva ainda para a iluminação e audiovisuais disponíveis...
Em suma, parabéns à Vicentuna pela vitória no Festival e a todas a Tunas pelo grande ambiente em redor do Festival e pelo espetáculo proporcionado. Por fim, muitos parabéns à TAESEAH pela organização e por ter atingido este marco importante dos X OLÉ TUNAS....
OLÉ TUNAS, OLÉ TUNAS, TUUUUUNAS OOLLLLÉÉÉÉÉ!!!!!

 

Vincent "25" - Colaborador PTunas

Parceiros