Portugaltunas - Tunas de Portugal

X Festa Ibérica
/5 ( votos)

X Festa Ibérica

Todos Os Momentos De Um Grande Festival Organizado Pela Transmontuna...

No fim-de-semana passado, perto do seu 13º aniversário, a Transmontuna - Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro, organizou o X Festa Ibérica. Sempre pautado pela alegria característica da tuna anfitriã, o Teatro Municipal de Vila Real, que acolheu o espectáculo, encheu completamente durante os dois dias, de um público muito animado e participativo.


A festa começou na quinta-feira com o jantar na cantina - Codeçais - seguindo para o Recanto Universitário e para o Pip's, terminando na discoteca Andrómeda.

Na sexta-feira após um almoço animado na cantina Codeçais, a tunas fizeram um roteiro turístico pela cidade, terminando num Porto de Honra na Câmara Municipal de Vila Real.

Por volta das 21.30h, o Teatro Municipal de Vila real abriu as portas para a primeira noite do espectáculo. Couberam as honras da casa à tuna organizadora, com o seu instrumental "Festa Ibérica" e "Eterna Cidade".

Foi apresentado o Padrinho do Festa Ibérica deste ano - o Padre João, cujo mérito se reverte em toda a ajuda e apoio que tem dado à Transmontuna, cedendo-lhes a sua actual sala de ensaio.

A apresentação do festival ficou a cargo dos G.A.I.J.U.S. (Grupo de Animados e Irresistíveis Jograis Universitários Sequiosos), que animaram o público com sketches de CSI Vila Real, e de crítica à situação político/financeira actual do nosso país.

A primeira tuna a subir a palco veio da cidade de Gualdim Pais, a Tuna Templária de Tomar. Homenagearam vários músicos portugueses como Zeca Afonso em "A morte saiu à rua", José Mário Branco em "O Charlatão" e Sérgio Godinho no seu "É tão bom". Após o instrumental, o solista brindou-nos com "Adeus Tomar", terminando com a animada "Peixeiras" num show de pandeiretas.

Após uma homenagem às Mães, pelos GAIJUS, apresentou-se a Tuna de Medicina do Porto. Iniciaram ao som do Bouzouki em galego com "Romeiro ao Lonxe", seguindo com o original "Conquista" na voz do seu solista. "La cumparsita" foi o instrumental apresentado, terminando com o original "Em que terra" e ainda "Noites de Ronda".

Depois de um curto intervalo, foi chamado a palco o Reitor da UTAD, que pela primeira vez em 10 anos assistiu e apoiou este festival, oferecendo á Transmontuna o seu Estandarte.

A Tuna Universitária do Minho prosseguiu o espectáculo com um tema à capella "Feira de Caruaru", seguindo com o original "Tunalmente molhado", e ainda um vídeo muito cómico dos políticos portugueses da actualidade a interpretarem "Pimba Pimba" de Emanuel. Ouvimos ainda "Boémia", com um esquema animado de pandeiretas e estandartes, o instrumental "Partizan", "O abraço acontece" numa interpretação de solista, terminando em festa com "O Adeus é sempre Adeus".

Pelo meio da apresentação dos GAIJUS foi feito o sorteio de dois barris de 5l de cerveja Sagres pelos elementos do público, calhando, por mero acaso, a dois adolescentes de 16 anos.

Vindos da Ilha de São Miguel, os Tunídeos - Tuna Masculina da Universidade do Açores, alternaram as suas interpretações musicais com a escolha do Rei de Vila Rural. A sua actuação delineou-se pela escolha de um repertório completamente original, onde pudemos ouvir "São Miguel", o instrumental "Peixe Gato", a interpretação de solista em "Primeiro Amor", "Swing" e "Hino às Tuninhas", numa mistura com o Grito Académico. Uma actuação muito animada com as coreografias, sempre presentes, da fila de trás que terminou com "Papá Açoriano".

Terminada a noite no teatro, os participantes seguiram para o Bar Quilate.

Sábado amanheceu com a preparação das tunas para o almoço na cantina de Codeçais, seguindo para um pasacalles bem animado no Shopping Dolce Vita. Os visitantes do Dolce Vita dessa tarde puderam contar com muita diversão, por entre concertinas à desgarrada, tubarões, polvos, estrelas-do-mar, acordeões bem animados e gaitas-de-foles. Foram eles os responsáveis pela atribuição do prémio de melhor pasacalles, efectuando a sua votação na recepção do Shopping.

Depois do jantar, o Teatro voltou a encher para a segunda parte do espectáculo, começando com mais um episódio CSI Vila Real.

Subiu a palco a Vibratuna - Tuna Feminina da UTAD, apresentando o seu instrumental, "Alé UTAD", e lembrando Ana Moura na sua música de solista. Após as apresentações das missões de apadrinhamento, e da subida a palco da Transmontuna, esta apadrinhou oficialmente a Vibratuna, entregando-lhes o Diploma de Apadrinhamento.

A primeira tuna a concurso da noite foi a Hinoportuna - Tuna Académica Masculina do Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Apresentaram "Cantigas de Maio", "Duetos" um instrumental de músicas de Zeca Afonso e Júlio Pereira, "Maio maduro Maio", "Sete Mulheres do Minho" e "Loucos de Lisboa". Terminaram com uma homenagem a Amália Rodrigues e à sua terra em "Havemos de ir a Viana".

Do sul do país vizinho, veio a tuna que se seguiu no concurso - Tuna de Farmácia de Granada. Apresentaram uma actuação muito típica, mostrando temas como "Así és mi Granada", o original "Rosa de Cuba" escrito em 1960, um intrumental dedicado aos toureiros e aos forcados e a animada "Maripositas", entre outros.

Após um curto intervalo ouvimos a Estudantina Académica do ISEL que iniciou lembrando Maria Guinot em "Silêncio e tanta gente". Homenagearam Amália com "Gaivota" e Madredeus em "Vem" e "Andorinha da Primavera". Continuaram com o instrumental "História da Música", "Rua do Gato Preto" e o "Hino do ISEL". Em palco esteve um Pandeireta especial, o Francisco, que com a sua tenra idade animou o público com a sua coreografia.

Enquanto o júri deliberava, a tuna Anfitriã interpretou "Entre os montes", "Muñequita Linda" na belíssima voz do Gaiato, e o "Hino da Transmontuna". O público ficou encantado com a presença inesperada do pequeno Manel a cantar "O Caracol" e ficou ao rubro quando a Transmontuna finalizou com o Grito Académico e "É o amor" de Emanuel, convidando todos a dançar.

O júri foi constituído por:

- Adérito Silva - Coro de Vila Real
- José António Neves: Professor no Conservatório de Vila Real
- Filipe Fonseca: Maestro da Orquestra de Sopros do Conservatório de Vila Real
- "Migas": Magister da Tuna TS
- "Belhote": fundador e elemento da Transmontuna

Prémios atribuídos:

- Tuno mais Tunanteador: "Arroba" dos Tunídeos

- Melhor Pandeireta: Tunídeos

- Melhor estandarte: Tunídeos

- Melhor Solista: Tuna de Farmácia de Granada

- Melhor Instrumental: Estudantina Académica do ISEL

- Melhor Original: "Conquista" da Tuna de Medicina do Porto

- Melhor pasacalles: Tunídeos

- 3ª Melhor Tuna: Tunídeos

- 2ª Melhor Tuna: Estudantina Académica do ISEL

- Melhor Tuna: Tuna Universitária do Minho

- Grande Prémio Festa Ibérica (Tuna mais Tuna): Tunídeos

 

Nota: O prémio de Melhor Original foi, em palco, atribuído à música "Noites de Ronda" da Tuna de Medicina do Porto. Estes por sua vez, no final, devolveram-no ao Magister da Transmontuna, por esta não ser uma música original da tuna, e sim uma adaptação do tema de Luís Piçarra intitulado "Caminho Errado". O prémio foi-lhes devolvido, por ter ocorrido um erro na entrega, a música que ganhou o Melhor Original foi a "Conquista", da mesma tuna.

A festa continuou pela noite dentro na Discoteca Andrómeda, com muita diversão.

Parabéns à Transmontuna, por ter sido uma organização exemplar da 10ª edição do Festa Ibérica. Venha mais um no próximo ano.

Um Obrigado, da parte da equipa do Portugaltunas, à Transmontuna, em especial ao "Azeitona", pelo excelente acolhimento.

 

Parceiros