Portugaltunas - Tunas de Portugal

VIII Oppidana
/5 ( votos)

VIII Oppidana

A Reportagem

A Copituna d’Oppidana – Tuna Académica da Guarda organizou mais uma edição do Oppidana – Festival de Tunas da Cidade da Guarda, a oitava. Apesar do frio durante todo o fim-de-semana, a alegria e a animação das Tunas foi sempre uma constante.Na sexta-feira, as Tunas foram chegando ao Bacalhau (Bar da AAG) para uma festa que foi uma boa antevisão do que iria ser o resto do fim-de-semana, animação constante.

No sábado, as Tunas dirigiram-se durante a tarde para a Sé da Guarda para a Serenata, que teve bastante público, apesar do frio. O momento mais marcante da tarde foi mesmo quando começou a nevar em plena Serenata!

 Depois de um jantar animado, as Tunas dirigiram-se ao Teatro Municipal da Guarda, onde as esperava uma lotação esgotada, com um público sempre participativo!

A apresentação do festival esteve a cargo da Copituna, presenteando o público com momentos de humor.

 

A primeira Tuna a concurso foi a Tunadão 1998 (33 elementos em palco). Começaram a sua actuação com o medley composto por “Ouvi cantar”, “Estudante de Viseu” e “Valsa da madrugada” onde se destacaram os seus pandeiretas. Seguiu-se “Rua do Capelão” e o instrumental “Libertango”. A actuação continuou com “Balada do Padeiro” e mais um medley de originais com as músicas “Caravelas” e “Menina da Saia Preta”. Destacou-se nesta actuação, além dos excelentes pandeiretas, a constante variação musical combinada com muita animação, para gáudio do público.

 

De seguida, apresentou-se a Tuna Universitária do Minho (27 elementos em palco). Começou a actuação com uma versão de “Chico Fininho” apenas com vozes. Seguiram-se “Boémia”, “A fonte e o teu nome”, o instrumental “Trilhos Ciganos”, “O abraço acontece” na voz do seu solista, terminando com “Adeus é sempre adeus”. A actuação da TUM fica marcada pelos sketches sobre a história do pobre agricultor Zé Socas e da sua magra vaca que um dia muda de vida quando esbarra com um inglês de nome Mr Freefort!

 

Após a TUM, foi apresentado um vídeo com os melhores momentos da Copituna (37 elementos em palco), servindo de entrada para uma primeira actuação dos anfitriões. Apresentaram o seu “Medley de Quinta do Bill”, seguido do seu instrumental “Domingo à tarde”. Continuaram com o medley “Saudades” e com “Menina Caloira”, música cantada por toda a plateia, interrompida a meio para dar lugar ao intervalo.

 

Após o mesmo, apresentou-se a Tuna Académica de Lisboa (36 elementos em palco). Iniciaram a sua actuação com “Fado da Serra”, “Coro da Primavera” e o solo “Maria vida fria”. Seguiu-se o instrumental “Adios nonino”, muito bem interpretado. Terminaram com “Sol de Inverno” e “Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”. Esta actuação fica marcada pelos brilhantes arranjos vocais e instrumentais em todas as peças apresentadas.

 

A última Tuna a concurso foi a Tuna Templária de Tomar (29 elementos em palco). Apresentaram-se com “Marcha Saudade” com os pandeiretas em destaque. Seguiu-se “Portugal Portugal”, a serenata “Menina que não disse nada” e “Gostava de vos ver aqui”. Continuaram com o instrumental “Pantera cor-de-rosa” que teve direita a presença do Inspector Clouseau pelo meio do público. Terminaram com “Pensando em ti”. Destacaram-se nesta actuação os excelentes arranjos musicais e os seus pandeiretas com esquemas muito bem executados.

 

No final apresentou-se a Copituna d’ Oppidana de novo, pegando na música “Menina Caloira”, interrompida ao intervalo. Seguiu-se “Capa ao ombro” e “Guitarra de Ilusões” cantadas em coro pela plateia. Terminaram com o medley “Reviver Carlos Paião”.

 

No final da actuação, foram entregues os prémios da seguinte forma:

 Melhor Serenata: Tuna Templária de TomarMelhor Estandarte: Tuna Templária de Tomar
Melhor Solista: Tuna Académica de Lisboa
Melhor Instrumental: Tuna Académica de Lisboa
Melhor Pandeireta: Tunadão 1998
 

Tuna Mais Tuna: Tunadão 1998
2ª Melhor Tuna: Tuna Académica de Lisboa
Melhor Tuna: Tunadão 1998

 

No final do festival, as Tunas dirigiram-se ao Parque da Cidade da Guarda, onde a festa durou até de manhã.

 No Domingo, teve lugar a Churrascada de despedida no Bacalhau (Bar da AAG)

Mais uma vez, a Copituna d’Oppidana – Tuna Académica da Guarda organizou um evento que é já um marco da cidade da Guarda e da sua academia, e mais uma vez mostraram como sabem receber bem as Tunas que visitam a cidade dos 5 F’s.

 Os Parabéns à Copituna! Venha o IX Oppidana 

Parceiros