Portugaltunas - Tunas de Portugal

VIII FITUMIS
/5 ( votos)

VIII FITUMIS

Tuna Médica De Lisboa Vence VIII FITUMIS

Decorreu nos dias 28 e 29 de Maio, o VIII FITUMIS, Festival Internacional de Tunas Mistas organizado pela Instituna, Tuna Mista do Instituto Politécnico de Leiria.


Na noite de 6ª feira, 28 de Maio decorreu a Serenata à Cidade de Leiria em frente à Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira (“Terreiro”).


O Festival propriamente dito decorreu na noite fresca de Sábado, tendo tido início por volta das 22h30 no Castelo de Porto de Mós e contou com a presença das seguintes Tunas a concurso:


• Estudantina Universitária de Viseu
• Tuna Médica de Lisboa, Tuna da Faculdade de Medicina de Lisboa e da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa
• ESTATUNA, Tuna Mista da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes
• Real Tuna Infantina, Tuna Mista da Universidade do Algarve
Estiveram ainda presentes extra-concurso:
• Tuna de Distrito de Pau (França)
• GTL – Grupo de Tunos de Leiria

A Tuna que inaugurou o palco deste VIII FITUMIS foi a Tuna de Distrito de Pau, uma das poucas Tunas existentes em França, que se apresentou com 7 elementos em palco, interpretando temas como “Adelita”, “Mal de Amores”, “Maria Dolores”, “La foule/Que nada sepa mi sufrir” (mix franco-espanhol), “Sebastopol” e ainda “Champs Elysées” cujo refrão foi cantado por muitos dos presentes no público. Uma Tuna fundada em 1999 por alguns amantes da língua espanhola, justificando-se desta forma uma actuação com predomínio de temas na língua de nuestros hermanos.

A primeira tuna a concurso a actuar foi a ESTATUNA que apresentou os temas “Vaca de Fogo” dos Madredeus e a “Prima da Chula” dos Trovante interpretado a solo pelo “Ernesto”. Seguiu-se o instrumental original “Caipirinha” ainda com poucos instrumentos e pouca dinâmica e uma “Rapsódia” que incluía os seguintes temas: “Desfolhada” de Simone de Oliveira, “Barco Negro” de Amália Rodrigues, “E depois do Adeus” de Paulo de Carvalho, “Conquistador” dos Da Vinci e “Ele e ela” de Madalena Iglesias. O último tema apresentado foi a “Canção de Embalar” de Zeca Afonso. A saída foi feita ao som do Hino da Estatuna. O principal destaque vai para a boa performance dos seus porta-estandartes e de referir também que o som não ajudou muito a ESTATUNA.

A Tuna seguinte a pisar o palco foi a Estudantina Universitária de Viseu, vencedora da última edição do FITUMIS, iniciou a sua a actuação com “Menina Caloira” da Copituna d’ Oppidana seguindo-se o seu mais recente original “Aqui” interpretado pelo seu solista “Hermínio” e o instrumental composto por excertos de temas de Júlio Pereira. Apresentaram ainda “Nini dos meus 15 anos” de Paulo de Carvalho e o original “Vultos” com um original duelo em jeito de despique entre os 2 pandeiretas que arrancou algumas risadas ao público. Destaque ainda para os seus porta-estandartes e referir uma vez mais a qualidade do som que também não ajudou muito a EUV.

Após o intervalo, a abertura da 2ª parte do FITUMIS ficou a cargo do GTL – Grupo de Tunos de Leiria, formado em 2007 por estudantes e antigos estudante de várias academias. Iniciando a sua actuação desejando “boa noite” e com a “Desfolhada” de Simone de Oliveira. Interpretaram ainda “Casa Portuguesa” de Amália Rodrigues e um “Medley do Festival da Eurovisão da Canção” que incluiu o genérico/hino da Eurovisão, “Tourada” (1973) de Fernando Tordo, “E depois do Adeus” (1974) de Paulo de Carvalho, “Sol de Inverno” (1965) de Simone de Oliveira, “A Festa da Vida” (1972) de Carlos Mendes, “Conquistador” (1989) dos Da Vinci e “Um Grande Grande Amor" mais conhecido como "Adio, Adieu, auf wiedersehen, goodbye” (1980) de José Cid.

Voltando às Tunas a concurso, seguiu-se a Tuna Médica de Lisboa que iniciou a sua actuação com o instrumental original “Cavalgada” encadeado com a “Canção de Embalar” de Zeca Afonso. Seguiu-se o instrumental “O Barbeiro de Sevilha” de Rossini que a TML havia estreado há 4 anos neste mesmo FITUMIS. Apresentaram ainda o original “Cachopa” na voz dos seus solistas “Vítor” e “Beja”, seguindo-se uma recriação da “Canção de Lisboa” com interpretações a solo de “Buttons”, “Joca” e “Beja” e finalmente, “O Fado do Estudante” uma vez mais na voz do “Beja”. Principais destaques para a força e dinâmica que impuseram durante toda a actuação e também para os seus pandeireitas, sobretudo para o elemento feminino.

A última Tuna a concurso a actuar foi a Real Tuna Infantina que iniciou o seu espectáculo com o tema “Cavalo à Solta” de Ary dos Santos interpretado a solo pelo “Jorge” seguindo-se o instrumental “Bandolinata” de Júlio Pereira uma vez mais interpretada de forma sublime pelos seus bandolinista “BB” e “Jorge” que conseguiram arrancar grandes aplausos por parte do público presente. Seguiu-se ainda a adaptação do tema “Manhã de Carnaval” de Luís Bonfá e António Maria (1959) na voz da sua solista “Dina”, e encerrando a sua actuação com o original “Luar Algarvio”. A Infantina apresentou-se em bom plano, com o maior destaque a ir para o seu instrumental mas também de salientar a prestação da sua solista e dos seus pandeiretas.


Por último subiu ao palco a Instituna, a tuna anfitriã que iniciou a sua actuação com os originais “A nossa cidade” e “Tributo ao Vinho” encadeado com “Segredos de Leiria”. Apresentaram ainda “Vai-te embora oh Zé”, o seu hino e tema que deu nome ao seu primeiro CD “Acordes Apaixonados” e ainda o tema “Pilinha”. Seguiram-se ainda alguns momentos com técnicas sofisticadas ou não de enchimento de chouriços enquanto o júri tardava em apresentar o seu veredicto, com lugar até a uma pequena homenagem ou não a Maradona.

No final, o Júri do VIII FITUMIS composto por Pedro Martins (Membro do Orfeão Universitário do Porto), Carlos Pacheco (Magister da Fortuna – Lisboa), Denise Silva (Membro da Tuna Feminina de Enfermagem de S. João – Porto), Constança Correia (Ensaiadora da Tuna Feminina do Orfeão Universitário do Porto), Fábio Graça (Magister da Artuna – Porto) e António João Serrão “Seia”(Membro da Vicentuna – Lisboa) deliberou:


* Melhor Serenata: ESTATUNA
* Melhor Pandeireta: Tuna Médica de Lisboa
* Melhor Porta-Estandarte: ESTATUNA
* Melhor Solista: Real Tuna Infantina
* Melhor Instrumental: Real Tuna Infantina
* Melhor Original: Tuna Médica de Lisboa
* 2ª Melhor Tuna: Real Tuna Infantina
* Gran Prémio Dom Fuas (Melhor Tuna): Tuna Médica de Lisboa

A festa continuou pela noite fora no Beat Club com a entrega de mais 4 prémios atribuídos pela Instituna:


* Melhor Pasacalles: Estudantina Universitária de Viseu
* Tuna mais Bebedoura: ESTATUNA
* Prémio Jogos Tradicionais: ESTATUNA
* Tuna mais Tuna: Estudantina Universitária de Viseu

Nota ainda para o excelente palco proporcionado pelo Castelo de Porto de Mós e para as condições adequadas de iluminação. Quanto ao som, o mesmo não se verificou. Em toda a primeira parte do Festival a qualidade da captação, do som emitido para o público e a ocorrência de inúmeros feedbacks condicionaram a actuação das primeiras tunas. De referir que a qualidade do som melhorou substancialmente na 2ª parte do Festival.


Destacar ainda, para além das Tunas Mistas a concurso, a presença em Porto de Mós de elementos de variadíssimas Tunas Mistas de vários pontos do país: Vicentuna (Lisboa), Fortuna (Lisboa), Tum’Acanéncia (Leiria), Tu Na D’ESTES (Coimbra), Artuna (Porto), TMEP (Porto), e possivelmente outras… Enfim um verdadeiro ponto de encontro…

Um belo Festival, num palco fantástico com boas Tunas e boa música. Parabéns à Instituna pelo seu VIII FITUMIS e às Tunas presentes pelo bom espectáculo proporcionado. Parabéns à TML que demonstrou uma vez mais as razões pela qual é considerada por muitos, uma referência no panorama das Tunas Mistas em Portugal.

Parceiros