Portugaltunas - Tunas de Portugal

VII Tosta Mista
/5 ( votos)

VII Tosta Mista

Reportagem

Nos passados dias 17, 18 e 19 de Outubro decorreu o VII TOSTA MISTA, Festival de Tunas Mistas Cidade de Viseu, organizado pela Estudantina Universitária de Viseu (EUV).
O Festival contou com a presença das seguintes Tunas a concurso:
• TMIST - Tuna Mista do Instituto Superior Técnico
• TML - Tuna Médica de Lisboa
• TMUM - Tuna de Medicina da Universidade do Minho
• Vicentuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Neste Festival participaram ainda extra-concurso:
• Tu Na D'ESTES - Tuna Académica da Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Coimbra
• Juventuna - Tuna da Associação S. C. e D. de Nesprido

Na 6ª feira dia 17 teve lugar a Serenata que deveria ter decorrido em frente à Câmara Municipal de Viseu. Devido às condições climatéricas instáveis, as serenatas decorreram no átrio da própria Câmara Municipal.
A abertura da noite de serenatas ficou a carga do Tu Na D'ESTES, tuna convidada para este evento e que mantém laços de irmandade com a EUV. Interpretaram "Alegria" do Cirque du Soleil, "Retrato d' Homenzinho Pequenino com Frasco" da Banda do Casaco (1976) e "Tributo a Zeca Afonso" composto pelos temos "Balada do Outono", "Canção de Embalar" e "Moda do Entrudo". De seguida, iniciaram as serenatas propriamente dito com o tema original "Eterno Beijo".
A noite de serenatas prosseguiu com as tuna a concurso. A TMUM foi a primeira, apresentando "Ultimamente" de Samuel Úria na voz do solista Filipe Pinto, seguido de "Um dia de Ilusão" de Maria Guinot na voz da solista Ágata Costa, terminando com "Oh, que a noite está tão fria" de João Lóio, um dueto nas vozes de Pedro Ribeiro e Sofia Santos.
Seguiu-se a Vicentuna que apresentou "Pomar das Laranjeiras" de Madredeus na voz da solista Joana Garcia "Mais ou Menos".
O encerramento da noite de serenatas ficou a cargo da TML que apresentou o original "Dulcineia" na voz da solista "Bezerra" e "Doce de Vida" interpretado por Jorge Ferreira "F16".

O Festival propriamente dito decorreu no sábado dia 18 na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu e teve início por volta das 21h30.
A abertura da segunda noite do festival ficou a cargo da Juventuna que iniciou a sua atuação com o instrumental "O Bom, o Mau e o Vilão" de Ennio Morricone seguido da "Moda das Tranças Pretas", "Assim mesmo é que é" da Estudantina Universitária de Coimbra e terminando com "Meio Dia às Quatro da Tarde".

Em palco, seguiu-se a primeira Tuna a concurso, a TMUM que apresentou o original "Audivit" a cappella, "O meu Coração" de Ana Bacalhau e "Bandolins" de Osvaldo Montenegro na voz dos solistas Filipe Pinto e Pedro Ribeiro. Prosseguiram com "Vida Boémia", adaptação do tema dos Bandarra "Tango da Nebulina" e o instrumental "Panacea". Por último, apresentaram o original "Doença Vadia" terminando ao som de "A Fazenda" com uma pequena interação com o público.

De seguida, subiu a palco a Vicentuna que iniciou a sua atuação com "Senhora do Almortão" de "Zeca" Afonso seguido do instrumental "Fuga e Mistério" de Astor Piazzolla e do tema "Mar Desconhecido" dos Pink Martini nas voz dos solistas Joana Garcia "Mais ou Menos" e Pedro Silva "Jakinzinho". Prosseguiram com o original "Lisboa das Cantigas" uma vez mais na voz da solista Joana Garcia "Mais ou Menos", terminando ao som da adaptação mais emblemática da Vicentuna, "Xácara das Bruxas Dançando" dos Trovante.

A TMIST foi a Tuna que se seguiu em palco apresentando um excerto do tema viseense "Indo eu a Caminho de Viseu" a cappella, seguido do "Medley do Festival da Canção" com interpretação do solista Pedro "BT" Martins. Prosseguiram com "Vinho do Porto" de Carlos Paião, "Creatura da Noite" dos Entre Aspas e do instrumental "A Foz do Tejo" do projeto musical Noidz onde se destaca a sonoridade da gaita de foles. Apresentaram ainda o seu hino "Noite de Folia" terminando a sua atuação entoando "Viseu Senhora da Beira" a cappella.

A última Tuna a concurso a pisar o palco do TOSTA MISTA foi a Tuna Médica de Lisboa que iniciou a sua atuação com um 2 em 1 dos Madredeus "Adeus da Primavera" ("Andorinha da Primavera" e "Adeus... E nem Voltei") na voz das solistas Ana Bronze e Vanessa "Niagara" Andrade seguido do instrumental "Barbeiro de Sevilha" de Rossini. Prosseguiram com "Lisboa à Noite" uma vez mais com interpretação da solista Ana Bronze, o original "Cachopa" e terminando ao som do "Fado do Estudante".

Para encerrar a noite, subiu a palco a anfitriã Estudantina Universitária de Viseu que apresentou uma "Rapsódia" seguida de quatro temas originais: "Os Vultos", "Barras de Aço", "Tu és Assim" e "Viseu Loucura".

Após a deliberação do júri composto por Sónia Lacerda (Meninas e Senhoras da Beira), Paulo Valério (Desertuna) e João Almas (Real Tunel Académico), procedeu-se à entrega de prémios:
* Melhor Serenata: Tuna Médica de Lisboa

* Melhor Solista: Tuna Médica de Lisboa
* Melhor Porta-Estandarte: Tuna Médica de Lisboa
* Melhor Pandeireta: TMIST
* Melhor Instrumental: Tuna Médica de Lisboa
* Melhor Adaptação: Vicentuna

* 2ª Melhor Tuna: Vicentuna
* Melhor Tuna: Tuna Médica de Lisboa

Pela noite dentro foi ainda entregue o prémio de Tuna mais Tuna.
* Tuna mais Tuna: TMUM

De realçar a boa assistência na Aula Magna do IPV que reúne boas condições para este tipo evento. No entanto, ao longo da noite foram sentidas algumas dificuldade em termos de som em geral e com algum prejuízo mais evidenciado para alguns solistas. Pela positiva, destacam-se ainda os videos produzidos e que foram emitidos ao longo da noite entre as atuações da diversas Tunas, que vieram colmatar umas da maiores lacunas das edições anteriores em termos de apresentação do festival.
Para a história fica mais um excelente Festival organizado pela Estudantina Universitária de Viseu, com muito boas condições proporcionadas às Tunas participantes, colocando este TOSTA MISTA num patamar qualitativo elevado.
Parabéns à Estudantina Universitária de Viseu pelo sucesso do seu VII TOSTA MISTA!

Parceiros