Portugaltunas - Tunas de Portugal

VII FITUIPS - Festival Internacional de Tunas do Instituto Politécnico de Santarém
/5 ( votos)

VII FITUIPS - Festival Internacional de Tunas do Instituto Politécnico de Santarém

A Reportagem

Decorreu durante este fim-de-semana 20, 21 e 22 de Abril, na cidade de Santarém o VII FITUIPS - Festival de Tunas do Instituto Politécnico de Santarém, organizado pela Scalabituna.
 
A cidade de Santarém voltou finalmente a receber o FITUIPS que teve um interregno desde o ano de 2004. O falecimento de um dos fundadores e principal impulsionador da Scalabituna Vitor Margarido no ano transato e a vontade de lhe prestar uma homenagem foi um dos principais motivos que levou a Scalabituna a fazer renascer o seu Festival. E em boa hora o fez.

O Festival contou com a presença das seguintes Tunas a concurso:

* TUIST - Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico
* Estudantina Universitária de Lisboa (EUL)
* Versus Tuna - Tuna Académica da Universidade do Algarve
* TMUC - Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra

Na noite de sexta-feira dia 20 após a grande receção no "Quinzena", onde se viu logo a animação das tunas presentes, decorreu a serenata no Jardim da República junto ao Café Lounge El Galego. A TUIST apresentou "Olhos Negros" e o original "Noites de Luar". Seguiu-se a EUL com os originais "Balada dos Anzóis" e "Serenata das Fitas" e a Versus Tuna com "Menino d'Oiro" de José "Zeca" Afonso e o original "Ao Largo do Amor". Finalmente a TMUC apresentou "Canto de Amanhecer" de Carlos Paredes, "Ondas do Mar" de Fernando Rolim e o original "Balada". A noite continuou no mesmo local, onde a música e o convívio duraram até às primeiras horas na manhã.

Durante o dia de Sábado, no "Complexo Aquático de Santarém", decorreu uma garraiada, que pôs à prova vários "forcados amadores" tunantes. Destaque para a pega da Versus Tuna, ao fazerem uma "serenata" de joelhos no chão, enquanto esperava a investida da vaca... em pleno "redondel"!

O Festival propriamente dito decorreu no auditório do CNEMA - Centro Nacional de Exposições de Santarém e teve início por volta das 22h com uma casa muito bem composta.

A abertura do Festival foi feita ao som da guitarra clássica de João "Verde" Correia, elemento da Scalabituna e aluno do Conservatório de Música de Santarém que interpretou "Sons de Carilhões" de João Pernambuco e o tango "El Choclo" de Ángel Villoldo.

A anfitriã Scalabituna abriu a noite tunante com "Mãe Negra" de Paulo de Carvalho na voz do solista Vasco "Joselito" Tomás. Foi de seguida chamado a palco o Prof. Dr. Jorge Justino, Presidente do Instituto Politécnico de Santarém que teceu largos elogios à Scalabituna, não apenas pela organização deste Festival mas também pelo seu papel na representação do próprio Instituto Politécnico de Santarém. O Presidente do IPS fez ainda questão de ler um louvor à Scalabituna por ele escrito e publicado em Diário da República. Um acto digno e raro neste universo tunante que mereceu uma grande ovação por parte do público presente. Foi ainda entrega nas mãos do Tuno mais antigo da Scalabituna, Vasco "Joselito" Tomás, a medalha do Instituto Politécnico de Santarém. A Scalabituna apresentou ainda o seu hino "Scalabituna a Cantar".

A primeira Tuna a concurso a pisar o palco deste VII FITUIPS, foi a TUIST que iniciou a sua atuação com uma versão a capella da "Chuva de Verão" da Scalabituna, ligado à "Amélia dos Olhos Doces" de Carlos Mendes na voz do solista David Franco, seguido de "Esta Lisboa que eu Amo" de Simone de Oliveira, o instrumental "Paredes Meias com Armandinho e Nunes", o original "Se um Dia não Houver Luar", terminando com a "Marcha do Centenário" e saindo ao som de "Cheira a Lisboa". O maior destaque da atuação da TUIST foi para a prestação dos seus pandeiretas.

Em palco, seguiu-se a EUL que iniciou a sua atuação a capella com "O Amor a Portugal" de Ennio Morricone/Dulce Pontes/Carlos Vargas na voz do solista Nuno Sousa. Seguiu-se "O Infante" na voz do solista Alípio Araújo, dedicado aos falecidos Vitor Margarido da Scalabituna e a um elemento da própria EUL. Interpretaram ainda o original "Em Viagem" na voz de Nuno Sousa, "Sinos da Sé" na voz de Alípio Araújo, terminando com "Tourada" de Fernando Tordo, uma vez mais na voz solista Nuno Sousa. Uma boa performance da EUL com principal destaque para o seu superior desempenho a nível vocal, salvo um pequeno lapso de um dos solistas. Por outro lado para quem segue a EUL, apresentou-se a nível instrumental um pouco a baixo daquilo a que nos habituou, fato esse que ficou mais evidente no tema "Em Viagem" por exemplo.

Após um breve intervalo, a 2ª parte iniciou-se com Ricardo "Gracinhas" Marques à guitarra portuguesa, fundador da Scalabituna e Professor no Conservatório e Música de Santarém acompanhado por uma guitarra clássica.

A terceira Tuna a concurso a atuar foi a Versus Tuna que apresentou o original "Cidade de Cetim" na voz do solista Sérgio Vasconcelos "Brazuca", seguido de mais um original "Faro e o Estudante". Apresentaram ainda o instrumental "The Promise" de Michael Nyman do filme "O Piano", a serenata original "Ao Largo do Amor" uma vez mais na voz do solista Sérgio Vasconcelos, terminando com o "Hino da Tuna".

A última tuna a concurso da noite a atuar foi a TMUC que iniciou a sua atuação com "Balada de Despedida 2007" na voz do solista João Silva "Charadas", seguindo-se "Coimbra dos Amores" e "Canção ao Mondego" interpretado a capella na voz do solista José Viveiros "Braguinha". Apresentaram ainda "Cantar de Estudante", o instrumental "Às vezes" e "Voar" uma vez mais na voz do solista Braguinha. Terminaram com "Balada" numa atuação composta exclusivamente por originais como é habitual na TMUC. Destacar principalmente a grande consistência e qualidade da atuação da TMUC tanto a nível vocal como a nível instrumental.

Para encerrar a noite, subiu pela segunda vez a palco, a anfitriã Scalabituna que apresentou "Noite de Verão" do novo cancioneiro de Manuel da Fonseca (1941) adaptado musicalmente pelos Trovante em 1987, "Anda Comigo Ver os Aviões" dos Azeitonas na voz do solista Guilherme Madeira "Ídolos" e o original "Partida". Seguiu-se uma sentida homenagem ao Margarido com a Scalabituna a anunciar que a sala de ensaios passará precisamente a ter o nome do falecido fundador; um gesto aplaudido de pé por toda a plateia durante largos instantes. A Scalabituna apresentou de seguida 2 originais do próprio Margarido "Lágrimas do Tejo" na voz do solista Vasco Tomás "Joselito" e Chuva de Verão.

 

Após a deliberação do júri composto por Maria Teresa Azoia (Vereadora da Câmara Municipal de Santarém e Fadista), Ricardo "Gracinhas" Marques (membro fundador da Scalabituna, músico profissional, professor de guitarra portuguesa no Conservatório de Música de Santarém), António Augusto Ribeiro (autor, compositor, maestro e professor na escola de música "O Piano"), Alberto Miranda (membro fundador da Tuna Académica da Escola Superior Agrária de Santarém) e Marco Crespo (membro fundador da Scalabituna), procedeu-se à entrega dos prémios:

* Melhor Serenata: TUIST (decidido pelas guias do Festival)
* Melhor Pega: Versus Tuna
* Mensão honrosa: "Kiki" da EUL como forcado revelação 2012
* Melhor Instrumental: TMUC
* Melhor Bandeira: Versus Tuna
* Melhor Pandeireta: TUIST
* Melhor Original: TMUC
* Melhor Solista: EUL
* Tuna Mais Tuna (Prémio Vítor Margarido): TMUC
* Melhor Tuna: TMUC
A noite terminou bem animada, no "FRA Club", situado curiosamente na Praça de Touros "Celestino Graça" de Santarém.

 

 

De salientar como ponto positivo, o excelente convívio entre as tunas, ao longo de todo o fim-de-semana, fruto de um programa que proporcionou momentos de salutar convívio, como sejam a noite das serenatas na sexta-feira, e a garraiada de sábado à tarde. Este ponto foi evidenciado por muitos dos tunos com quem falámos ao longo destes 3 dias. De parabéns a organização.
 
Quanto às condições técnicas no auditório do CNEMA, de destacar as boas condições em termos de iluminação e as medianas condições do som, resultando de uma mistura entre a difícil acústica do auditório e um grande contraste entre agudos e graves, o que dificultou a atuação de alguns dos solistas presentes.

 

Em suma, parabéns à TMUC pela sua vitória indiscutível neste VII FITUIPS por terras ribatejanas e sobretudo parabéns à Scalabituna que veio confirmar que a sua alma está bem viva e que voltou a proporcionar um evento tunante com estas dimensões ao público scalabitano que respondeu em massa com a sua presença.

Agradecemos à organização pela receção. Até para o ano!


Véspera

Grande Festival! Grande Espírito!

Parceiros