Portugaltunas - Tunas de Portugal

VII Cantar de Estudante
/5 ( votos)

VII Cantar de Estudante

VII Cantar De Estudante - A Reportagem

VII Cantar de Estudante


Decorreu em Coimbra nos passados dias 27 e 28 de Novembro, mais um Festival de Tunas organizado pela TMUC - Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra - o "VII Cantar de Estudante", que contou com a presença a concurso da TEUP - Tuna de Engenharia da Universidade do Porto; Luz&Tuna - Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa; Tuna de Medicina do Porto e a Tunadão 1998 - Tuna do Instituto Politécnico de Viseu.


No dia 27 pelas 21:00h, o prato forte foi a Noite de Serenatas que decorreu na escadaria do Colégio de São Jerónimo, um belo cenário, que foi curto para o imenso público que quis assistir à atuação das tunas. Para além das tunas a concurso, que conseguiram cativar todos os presentes com as suas serenatas, ainda houve oportunidade de ver e ouvir as madrinhas da TMUC - as Mondeguinas - Tuna Feminina da Universidade de Coimbra. Seguiu-se o ansiado convívio, que durou até altas horas, como é habitual nestes eventos académicos.


Durante o sábado à tarde as tunas realizaram o seu ensaio de som no Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), enquanto decorria um convívio na cantina "Grelhados" junto aos jardins da Associação Académica de Coimbra.


À noite teve início o certame competitivo, como uma sala completamente esgotada (desde a semana anterior), e já com uma lista de espera enorme, o que demonstra o crescente interesse da cidade por este evento.


A música começou com a atuação extraconcurso da TFMUC - Tuna Feminina de Medicina da Universidade de Coimbra, com 31 elementos em palco. Ao primeiro tema "Tuna" que fala da vida de tuno, seguiu-se "Caloiro" dedicado precisamente aos caloiros da academia, e o "Feitiço de Amor" que desta vez foi dedicado aos padrinhos e organizadores TMUC. Seguiu-se "Em Pedaços" que falava do "rasganço" do traje e da partida de Coimbra após o final do curso. Uma atuação animada que percorreu todos os passos da vida académica. Conseguiu aquecer o público presente, e deu o tom ao concurso que então se iniciava.


A primeira tuna a concurso foi a Tuna de Medicina do Porto, com cerca de 31 elementos em palco. A sua atuação começa com o tema "Cidade" original da tuna dedicado à cidade que os acolhe para estudar - o Porto. Seguiu-se "Valsa pelo meu País", mais um original. A peça para instrumental escolhida foi "Mascara de Zorro". De seguida, um dos temas mais fortes de toda a atuação e um dos originais da TMP: "Requiem", interpretado em parte em latim, que fala de quem tem de sair do país em busca de uma vida melhor. Para finalizar, ficou o hino "Noites de Ronda" com 5 pandeiretas e 2 bandeiras a alegrar o cenário. De saída, ainda houve tempo para o tradicional FRA.

A segunda tuna a concurso foi a Tunadão 1998 - Tuna do Instituto Politécnico de Viseu, com 40 elementos em palco. A música de abertura, alusiva ao festival foi um original da TMUC "Canção ao Mondego" ligada ao bem conhecido "Estudante de Viseu" deu assim início à apresentação de forma bem animada e com as suas variações que fizeram sorrir o público presente. A serenata dedicada às guias e a todas as donzelas da sala foi a "Lenda da Fonte", com o seu solista em destaque e até houve tempo para entrega de flores pela plateia. O instrumental da Tunadão 1998 foi um medley dedicado a Coimbra que nessa se chamou "Capa Negra", que incluiu os temas "Adagio", "Barbeiro de Sevilha" e a "Sabre Dance". "Balada do Padeiro" outro original dedicado às guias e a todos os apoiantes da tuna, seguido de mais dois originais "Caravelas" e "Menina da Saia Preta". A Tunadão 1988 termina esta atuação muito animada e do agrado do público com o seu FRA muito característico.


Depois intervalo e de novo do Porto surge a TEUP - Tuna de Engenharia da Universidade do Porto com 41 elementos. Iniciaram a atuação com a música interpretada por Carlos Mendes "Festa da Vida" que participou e venceu o Festival RTP da Canção de 1972. Segue-se "Czardas" de Vittorio Monti como peça instrumental. O tema com o solista em destaque, dedicado às guias e a todas as donzelas da sala, foi o "Torna a Sorriento". Mais animado e em estreia em festivais foi o arranjo da música tradicional "Linda Rosa". Para terminar a atuação, "Índio do Brasil" que colocou cativou o público a cantar.


A última tuna a concurso foi a Luz & Tuna - Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa com 33 elementos em palco. A primeira música acompanhada por guitarra portuguesa, uma marcha popular gravada em 1969 pela Amália Rodrigues "É de Lisboa". A segunda música de solista chamou-se "Fado do Alentejo" acompanhada a viola e 3 Contrabaixos, um tema com excelentes arranjos vocais. Em terceiro lugar, chegou-nos o instrumental "Variações em Ré menor" em homenagem a Carlos Paredes nascido em Coimbra. De seguida vem "Senhores da Guerra", que fala sobre o medo e é oferecida (sem medo) a todos os presentes na sala e aos que assistiam através do "streaming". Para finalizar "Canta Lisboa", original da tuna dedicada a todos, mas em especial à TMUC e às guias.


Enquanto não saiam as deliberações finais, ainda houve tempo para a atuação da tuna organizadora - a TMUC, que como seria de esperar, teve uma receção muito calorosa por parte de todo o TAGV. Com 50 elementos em palco, Começaram com uma surpresa - o tema "Adeus" acompanhada por um quarteto de cordas da Orquestra Clássica do Centro e piano. De seguida o conhecido original "Coimbra dos Amores" animou a plateia com os seus pandeiretas em grande forma. De seguida "Praxis Tuna" um dos mais recentes originais da Tuna de Medicina de Coimbra, que fala sobre o tema da praxe, tão em voga de tempos a tempos. "Canção ao Mondego" seguida de "Voar" deram destaque ao seu solistas. Ainda houve tempo para o instrumental "Às Vezes". O mais recente original da TMUC foi apresentado neste festival "Dança Comigo". Depois da subida dos antigos tunos a palco, ainda ouve tempo de cantar "Balada da Despedida do 6.º Ano Médico de 2008" seguida de "Briosa". Antes da entrega de prémios, ouviu-se a "Balada" que foi dedicada em especial às mães e namoradas dos tunos que tantas vezes estão ausentes.

O júri foi constituído por:

Rodrigo Nemésio - (antigo Tuno da TMUC) - Presidente
Sabine Richly - advogada especialista em propriedade intelectual e graduada com 8º grau de violino do Conservatório de Munique;
Manuel Rocha - Diretor do Conservatório de Música de Coimbra ;
Eunice Crisóstomo- fundadora e diretora artística da Estudantina Feminina de Coimbra.
 

Os resultados foram: 


Melhor Serenata - Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Pandeireta - Tuna de Medicina do Porto
Melhor Porta-Estandarte - Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Solista - Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Instrumental - Tuna de Medicina do Porto
Melhor Tema Original - Tuna de Medicina do Porto
Tuna do público - Tunadão 1998
Tuna + Tuna - Tunadão 1998


2ª Melhor Tuna - Tuna de Engenharia da Universidade do Porto
Melhor Tuna - Tuna de Medicina do Porto


O FRA da TMUC deu por findo este VII Cantar de Estudante.

A noite de convívio teve lugar mesmo ao lado, na antiga cantina "Grelhados" até às primeiras horas da manhã. Destacamos como ponto positivo, isso mesmo, o convívio que se gerou entre tunos, elementos de outras tunas que chegaram apenas para assistir, convidados, antigos tunos e amigos, num ambiente que por vezes é difícil ver noutros certames.
Está de parabéns a TMUC, por este "VII Cantar de Estudante", um festival que já é uma referência em Coimbra e não só.


Como ponto menos positivo, e após falar com alguns dos intervenientes, terá sido o som de palco, que terá prejudicado algumas atuações, e alguns vídeos de apresentação, que apesar de bem conseguidos, saíram por vezes com algumas falhas.


Uma saudação à TMUC pelo apoio à nossa reportagem, em especial ao João Luís "Charadas" Silva.
Até ao VIII Cantar de Estudante!!

 

Parceiros