Portugaltunas - Tunas de Portugal

/5 ( votos)

VI Moura Encantada

Crónica De Uma Viagem

Crónica "Moura Encantada"


Sexta-Feira, 14 de Novembro 2008

Na companhia da Féfé Gabi, parti de Lisboa rumo ao Sul… O destino era Faro para participar no meu quarto Moura Encantada, que este ano apresentou a sua sexta edição. Este ano numa condição diferente que não deixei de estranhar! Ir ao Moura sem a minha tuna foi algo de estranho… Compensou o alivio do horários, para que se cumpra o programa de actos do festival, poder desfrutar do ambiente daquela bela cidade, da companhia dos amigos e pela primeira vez assistir ao Moura do “outro lado da barricada”.

Chegadas a Faro, por volta das 22h fomos ao encontro das restantes Féfés na sua sala de ensaios, onde se ultimava o último ensaio geral e pequenos pormenores para o grande evento! Ao lado, na sala da Versus Tuna já se bebiam uns canecos… Pouco depois chegou a comitiva de Beja, mais um grupo de amigos que não quiseram perder este grande festival de Tunas Femininas.

Entretanto fomos fazer o nosso check in, ao “51”, para os habitues deste festival, a casa da Necas, onde há sempre espaço para mais um amigo que chegue à última hora…

Agora o destino era o B.A., o Bar Académico, onde seria passada do resto da noite, onde estavam uns 4 barris de cerveja a pedirem para serem despejados!
Dado a distância, e a algumas horas de viagem, as Tunas convidadas provenientes de Lisboa (Lusitana e TFIST) e do Porto (Tuna Feminina de Letras e Atituna) chegavam a conta gotas. Pousar as tralhas e o destino era a bica da cerveja no BA ou a padaria logo ao lado, onde se aconchegava o estômago com umas mini-pizzas acabadinhas de fazer.

E assim se acabou a noite… Ouvi dizer que os mais resistentes continuaram a festa para os lados do mercado.

Sábado, 15 de Novembro 2008

Cedinho, pelas 11 da manhã, as Tunas tinham marcadas actuações no mercado local, a custo e acusando a noite anterior, saltaram da cama, trocando os pijamas pelo traje e a almofada pelos instrumentos, lá foram elas animar Faro.
O almoço estava marcado, como habitualmente na cantina do Campus da Penha. Era a alegria! Mesmo ao longe já se ouviam as cantorias, entre as grafadas de comida iam-se entremeando os acordes das marchas populares, das musicas de outras tunas que todos conhecemos. Um pequeno compasso de espera e já os autocarros nos aguardavam lá fora para nos levarem para o centro da cidade, para o convívio no “Seu Café”.

Os instrumentos e as vozes voltaram-se a ouvir. Umas mais afoitas outras mais tímidas mas a festa foi garantida!

A movimentação das “tropas” para um segundo bar onde nos aguardava um lanche foi feita com um desfile das tunas pelas ruas centrais de Faro.

Pelas 18h, o destino foi o auditório do Campus de Gambelas para os testes de som e para o jantar, servido também na cantina deste campus. A animação foi a habitual.

O festival teve inicio com a actuação da Versus Tuna, a tuna masculina da casa, uma actuação animada e com direito a estreia do novo tema “Moura Encantada”.

A primeira Tuna a concurso foi a Tuna Feminina da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, as vencedoras da edição anterior do festival. Uma actuação sóbria da qual se salienta a prestação da solista e a rapsódia que nos levou por uma viagem pelo cinema português.

Seguiu-se a actuação da Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico, dentro do que nos tem habituado, com elaborados esquemas de pandeiretas, uma fantástica dupla de flautas transversais que brilharam no instrumental “Conversa das Comadres”.

Depois do intervalo subiu a palco a Atituna – Tuna da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, um verdadeiro furacão laranja numa actuação muito animada, que encantou o publico no primeiro instante.

A última Tuna a subir ao palco do VI Moura encantada foi a Lusitana – Tuna Feminina da Universidade Lusíada de Lisboa que no trouxeram “Haja o que houver” com um bonito trabalho de solista acompanhada por quatro violas. Mas globalmente uma actuação um pouco abaixo do que nos habituaram.

No final das actuações das Tunas a concurso o júri retirou-se para deliberar:

-Melhor Instrumental: Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico

-Melhor Estandarte: Atituna - Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto

-Melhor Pandeireta: Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico

-Melhor Solista: Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico

-Melhor Original: Tuna Feminina do Instituto Superior Técnico

-Melhor Tuna: Atituna - Tuna Feminina da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto

Enquanto isto, actuou a tuna organizadora, a Feminins Ferventis e deliberou o prémio da sua responsabilidade:

Tuna + Tuna: Tuna Feminina da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

Feita a entrega dos prémios rumou-se aos autocarros com destino a Faro, arrumar instrumentos e festa connosco.
O bar “À parte” estava por nossa conta! Foi festa até nos convidarem a sair, pois queriam fechar…

Domingo, 16 de Novembro 2008

Depois de um despertar difícil, e antes de dizermos adeus e até para o ano, o destino foi o Campus da Pena, onde nos esperava um conforto para o estômago, para ajudar as tunas a enfrentarem viagem de regresso, um franguinho de churrasco, num “pic-nic” em plena Universidade do Algarve.

Despedidas feitas e novamente na companhia da Féfé Gabi, regressamos a Lisboa, acusando o cansaço de um fim-de-semana em grande que nos deixou cheias de recordações e saudades.

Parabéns à Feminis por mais um Moura Encantada, ficaremos a aguardar a próxima edição.

Parceiros