Portugaltunas - Tunas de Portugal

/5 ( votos)

V Tosta Mista

... Todos Os Momentos..

 

E foi na bela Cidade Jardim que decorreu este fim-de-semana, a 5ª edição do Tosta Mista- Festival de Tunas Mistas da Cidade de Viseu, com organização exemplar, da Estudantina Universitária de Viseu. 
 
A festa começou na sexta-feira com o concurso de Serenatas em frente à Câmara Municipal. Apesar de se ter feito sentir o frio típico da zona, o público manteve-se intacto a apreciar o espetáculo caloroso das tunas convidadas. 
 
No sábado após um rally tascas bastante animado, o espetáculo principal decorreu na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu.
 
O pano abriu para a atuação do Grupo de Fados Senhora da Beira, numa bela mistura de sonoridade de Guitarra de Coimbra e voz de Fado de Lisboa, na pessoa de Carla Linhares. Interpretaram "Meus lindos olhos" de Mafalda Arnauth, "Os meus olhos são dois círios" com letra de João Barbosa, e ainda "Lisboa à noite" e "Casa portuguesa".
 
A primeira tuna a concurso foi a Quantunna - Tuna Mista da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, primando por um espetáculo de sonoridade bastante comum nas tunas coimbrãs. Interpretaram o instrumental original "Viagem" e "Vida de Caloiro", tema que retrata a vida de estudante. Seguiram com a belíssima "Vida tão estranha" de Rodrigo Leão, na voz da solista, e os originais "Um lugar diferente" e "Festa das latas".
 
A Arquitectuna - Tuna da Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, foi a segunda a concurso. Após um tema instrumental, recordaram António Variações em "Estou Além", e interpretaram o original "Tijolo Amargurado" e "Morna da Estrutura" poema de Beatriz Noronha. Terminaram com um tema conhecido dos Ornatos Violeta "Capitão Romance".
 
Vinda da Escola Superior de Educação e Ciências Sociais de Leiria, a Tum'Acanénica, optou por um espetáculo simples com uma harmonia vocal muito bonita. Interpretaram o original "Fonte das três bicas", a lindíssima "Só por amor", e o instrumental muito animado de Júlio Pereira "Celtibera". Na voz de um dueto feminino e masculino, apresentaram "Alfama" dos Madredeus, com uma sonoridade forte, e terminaram com a "Festa da vida".
 
A Enftuna da Escola Superior de Saúde de Portalegre, foi a última tuna a concurso. Iniciou com a tradicional "Eu ouvi o passarinho", seguido de "Toada de Portalegre", um poema de José Régio, à capella, que deu seguimento para o instrumental de Yan Tiersen "Os dias felizes". O solista maravilhou a todos com uma bela versão de "Anda comigo ver os aviões", seguido do original "O farol". De Ary dos Santos foi a letra da música "Canção de madrugar", que continuou para findar a atuação com o "Medley". Por entre as apresentações ouviram-se ainda alguns temas instrumentais, muito bem coordenados e executados.
 
Chegou a hora da Estudantina Universitária de Viseu fazer as honras da casa, interpretando "Barco Negro", "Medley das Doce", o original "Aqui" na belíssima voz do solista, "Festa", "Vultos" e "Viseu Loucura". Um espetáculo sempre muito divertido, que terminou com os devidos agradecimentos e a entrega de prémios pelo júri (David Corticeiro, Catarina Santos e Luís Peres).
 
A distribuição de prémios foi a seguinte:
 
Melhor Pandeireta: EnfTuna
Melhor Estandarte: EnfTuna
Melhor Solista: EnfTuna
Melhor Serenata: EnfTuna
Melhor Instrumental: EnfTuna
Melhor Adaptação: EnfTuna
Melhor Tuna: Tum'Acanénica
Tuna mais Tuna: Arquitectuna

 

 

Os jurados decidiram não atribuir o prémio de 2ª melhor tuna e desclassificaram uma tuna para o prémio de Melhor Tuna, por excesso de tempo em palco.
 
Após os fortes aplausos que se fizeram sentir durante o espetáculo, as tunas continuaram a diversão pela noite dentro na discoteca Noites Bibas, terminando o festival com o animado almoço de Domingo.
 
Parabéns á EUV pela magnífica organização do certame, e que, para o ano, venha o VI Tosta Mista, o público agradece.

 

 

Parceiros