Portugaltunas - Tunas de Portugal

V TAGEANO
/5 ( votos)

V TAGEANO

A Reportagem

Santarém foi palco nos passados dias 16, 17 e 18 de Maio do V TAGEANO - Festival de Tunas Mistas da Cidade de Santarém, organizado pela TAGES, Tuna Académica de Gestão de Santarém, comemorando os 10 Anos da TAGES. Esta edição do TAGEANO contou com a participação das seguintes Tunas a concurso:


* Desconcertuna - Tuna da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
* Enfartuna - Tuna de Enfermagem da Universidade do Algarve
* ForTuna - Tuna Académica da Nova School of Business and Economics
* TMIST - Tuna Mista do Instituto Superior Técnico

O Festival teve início na sexta-feira dia 16 com a noite de serenatas que se realizou Convento de S. Francisco. A serenata agendada para as 21h teve início poucos minutos depois das 22h30 com a Enfartuna a apresentar uma versão da "Canção do Engate" de António Variações e da serenata original "A Balada de Faro" na voz do solista Fábio Antunes. Seguiu-se a Desconcertuna com "Menina estás à Janela" de Vitorino e do original "Coimbra a Suspirar". A TMIST apresentou "Todas as Ruas do Amor" dos Flor de Lis interpretado a solo por Inês Pinho e o original "Vem-me Abraçar" na voz do solista Rui Barata. Finalmente a ForTuna apresentou "Jura" de Rui Veloso com interpretação do solista Bernardo "Estrela" Gonçalves e "Eu sei" de Sara Tavares na voz da solista Catarina "Bolo de Arroz" Silva.

O Festival propriamente dito teve lugar no Teatro Sá da Bandeira na noite de Sábado e teve início pouco depois das 21h30, com pouco mais de metade dos 201 lugares ocupados na plateia.

A abertura do Festival ficou a cargo Flávio "Stuart" Filipe da TAGES ao piano acompanhado por Luis Correia na guitarra clássica interpretando uma versão de "A minha Tuna é o meu Lar" da própria TAGES e os "Loucos de Lisboa".

A Enfartuna foi a primeira Tuna a concurso a atuar iniciando a sua atuação com "Partida" da banda sonora de Samurai X, seguido de "Desfado" de Ana Moura na voz da solista Margarida de Sousa. Apresentaram ainda uma versão da "Queda do Império" de Vitorino, "Um Contra o Outro" dos Deolinda, terminando com o original "Noite de Tuna". A Tuna algarvia, a benjamim entre as tunas presentes, aproveitou esta experiência de palco para dar mais um passo no seu crescimento como Tuna.

Em palco seguiu-se a Desconcertuna que apresentou um reportório composto exclusivamente por originais. Começaram com o instrumental "Memórias", seguido de "Trova de um Amanhecer" com interpretação dos solistas Andreia Freixo e Flávio Costa. Prosseguiram com o seu mais recente original "Ode ao Vinho" e "Amar" interpretado pelo solista Flávio Costa que transmitiu neste tema todo o sentimento da música coimbrã. Terminaram com a "Farra". Principal destaque na atuação da Desconcertuna para a prestação dos seus solistas.

Após um breve intervalo, subiu a palco a terceira Tuna a concurso, a TMIST que começou a sua atuação com "Acordai" de Fernando Lopes Graça a cappella, prosseguindo com "Criatura da Noite" dos Entre Aspas. Apresentaram ainda o original "Noites de Arraiais" na voz dos solistas Carlos Costinha e Inês Pinho. De seguida estrearam um novo instrumental intitulado "Na Foz do Tejo" do projecto musical Noidz, um instrumental intenso que empolgou o público presente principalmente com a sonoridade imposta pela gaita de foles. Terminaram a atuação com o seu "Hino". De destacar ainda na atuação da TMIST a boa prestação dos pandeiretas e bandeiras.

A última Tuna a concurso a pisar o palco Teatro Sá da Bandeira foi a ForTuna que iniciou a sua atuação com "Pregão" dos Madredeus com intervenção dos solistas Bernardo "Estrela" Gonçalves, Marisa Pacheco" e João Neves. Prosseguiram com o original "Amanhece o Cais" interpretado pelo solista Tomás "Estrelita" Gonçalves e do instrumental "Ecstasy of Gold" de Ennio Morricone. Apresentaram ainda o original "Bica" com interpretação dos solistas Bernardo "Estrela" Gonçalves e Cláudia "Chanel" Liberato, terminando com mais um original "Ala P´ra Rusga", o momento mais alto da atuação da ForTuna. Em bom plano estiveram os pandeiretas, numa atuação onde a ForTuna demonstrou uma vez mais a qualidade dos seus arranjos e projeção vocal.

Por último, subiu a palco a anfitriã TAGES que apresentou "Os Loucos estão Certos" dos Diabo na Cruz, "O Rapaz da Camisola Verde" de Sérgio Godinho, a sua serenata original na voz do solista Flávio "Stuart" Filipe, o "Desfado" de Ana Moura interpretado pela solista Tatiana "Charocha" Correia e o original "Casimiro".

Após a deliberação do júri composto por Cristina Mourão (Secretária da Escola Superior de Gestão de Santarém), Inês "Menu" Catarino (TUFES - Santarém), Diogo "Veado" Piedade (TAGES), e Vincent Domingos "25" (Tu Na D'ESTES - Coimbra), procedeu-se à entrega de Prémios.

Melhor Serenata - ForTuna
Melhor Pandeireta - TMIST
(Menção Honrosa atribuída à ForTuna pelo desempenho dos seus pandeiretas)
Melhor Estandarte - TMIST
Melhor Solista - Desconcertuna
Melhor Instrumental - TMIST
Melhor Original - ForTuna (Ala P´ra Rusga)

Tuna mais Público - TMIST
Tuna mais Tuna - Enfartuna
Melhor Tuna - ForTuna

De realçar ainda as relativamente boas condições de iluminação, som e acústica do Teatro Sá da Bandeira, registando-se apenas alguns problemas ao nível da projeção com meios audiovisuais que apesar de tudo não condicionaram de forma significativa o espetáculo.

Parabéns à TAGES pelo seu V TAGEANO e pelo seu décimo aniversário!

Parceiros