Portugaltunas - Tunas de Portugal

V Cantar de Estudante
/5 ( votos)

V Cantar de Estudante

A Reportagem

 

Decorreu em Coimbra nos passados dias 29 e 30 de Novembro, mais um Festival de Tunas organizado pela TMUC - Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra - o "V Cantar de Estudante", que contou com a presença a concurso da Scalabituna - Tuna do Instituto Politécnico de Santarém; anTUNIA - Tuna de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa; Tuna de Medicina do Porto e o Real Tunel Académico - Tuna Universitária de Viseu.
 
No dia 29, o prato forte foi a Noite de Serenatas que decorreu na escadaria do Colégio de São Jerónimo, um belo cenário, que foi curto para o imenso público que quis assistir à atuação das tunas. Para além das tunas a concurso, que conseguiram cativar todos os presentes com as suas serenatas, ainda houve oportunidade de ver e ouvir as madrinhas da TMUC - as Mondeguinas - Tuna Feminina da Universidade de Coimbra. Seguiu-se o ansiado convívio, que durou até altas horas, como é habitual nestes eventos académicos.
 
Durante o sábado à tarde as tunas realizaram o seu ensaio de som no Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), enquanto decorria um convívio na cantina "Grelhados" junto aos jardins da Associação Académica de Coimbra.
 
À noite teve início o certame competitivo, como uma sala completamente esgotada (desde a terça-feira anterior), e já com uma lista de espera enorme, o que demonstra o crescente interesse da cidade por este evento. 
 
A música começou com a atuação extraconcurso da TFMUC - Tuna Feminina de Medicina da Universidade de Coimbra, com 41 elementos em palco. Ao primeiro tema "Tuna" que fala da vida de tuno, seguiu-se "Caloiro" dedicado precisamente aos caloiros da academia, e o "Feitiço de Amor" que desta vez foi dedicado aos padrinhos e organizadores TMUC. Seguiu-se "Em Pedaços" que falava do "rasganço" do traje e da partida de Coimbra após o final do curso. Uma atuação animada que percorreu todos os passos da vida académica de um tuno. Conseguiu aquecer o público presente, e deu o tom ao concurso que então se iniciava.
 
A primeira tuna a concurso veio diretamente de Santarém - a Scalabituna, que com um tema de entrada em homenagem ao falecido Lou Reed "Walk On The Wild Side", com uma letra adaptada alusiva ao próprio festival, conseguiram logo conquistar o público presente. Logo de seguida, os originais "Partida" e "Lágrimas do Tejo", dedicados às belas donzelas de Coimbra. Com o seu Instrumental "Paredes", homenagearam o "poeta musical" (assim descrito) Carlos Paredes, ele que nasceu e viveu em Coimbra e é para muitos o maior mestre da guitarra portuguesa. Num ritmo diferente, "Noites de Verão" dos Trovante foi o tema seguinte, seguido do mais recente "Flagrante" de António Zambujo, que trouxe à atuação ritmos mais mexidos e alegres, e que a plateia acompanhou ao ritmo das palmas. A Scalabituna termina a atuação com o seu mais conhecido original, a "Chuva de Verão", dedicado à TMUC, já que é um tema muito querido por eles, e que liga as duas tunas em amizade de há longo tempo a esta parte.
 
Depois de mais um divertido vídeo a servir de separador entre atuações, que contava com muita piada a vida e os "problemas" de ser tuno, surge em palco a tuna com mais elementos em palco nessa noite: a anTUNIA, com cerca de 50 tunos. "Senhora do Mar" dedicado a todos os estudantes, canção celebrizada por Vânia Fernandes na sua participação no Festival da Eurovisão da Canção em 2008, deu o mote a uma atuação bem conseguida. Como serenata, dedicada às suas três guias e donzelas presentes na sala, a tuna interpretou o belo tema de solista, "Meus Lindos Olhos" de Mafalda Arnauth. Como é tradição na anTUNIA o instrumental foi uma peça clássica, desta vez o "Concerto para Dois Bandolins em Sol" de A. Vivaldi, interpretado de forma irrepreensível. Mais um tema de solista, desta vez um original com cerca de 18 anos "Doce Feitiço" mas que continua a encantar plateias. Para terminar, mais um original antigo "Sancho Pança", com 5 pandeiretas a brilhar.
 
Depois de um muito breve intervalo, já que as normas de aluguer do espaço não permitiam um horário muito tardio (sujeito a coima) - o que levou a um repto por parte da organização para ter melhores condições no acesso ao TAGV - surge em palco a Tuna de Medicina do Porto, com cerca de 40 elementos em palco. A sua atuação começa com um tema bem conhecido de Zeca Afonso "Vejam Bem", ele que marcou tal como Carlos Paredes a vida académica e musical coimbrã. A música teve como destaque um solista de guitarra clássica ao centro da tuna. O primeiro tema original foi o conhecido "Conquista", com destaque para o seu solista e também o porta-estandarte que brilhou na parte mais rápida do tema. A peça para orquestra de bandolins "Palladium" de Karl Jenkins, foi o tema instrumental que se seguiu, muito bem interpretado por toda a tuna. De seguida, o tema forte de toda a atuação e um original mais recente da TMP: "Requiem", interpretado em parte em latim. Para final de atuação também ela bem conseguida, ficou o hino "Noites de Ronda" com 5 pandeiretas e 3 bandeiras a alegrar o cenário. De saída, ainda houve tempo para o FRA, algo que começa a deixar de se ver com frequência neste tipo de certames.
 
A quarta e última tuna a concurso foi o Real Tunel Académico - Tuna Universitária de Viseu com 29 elementos em palco. Com uma atuação muito virada para a sua cidade, começaram com a "Rua Escura n.º 43" de homenagem ao "Boquinhas" uma tasca viseense onde há 22 anos nasceu esta tuna. "Trilhos" foi o instrumental que se seguiu, um tema original (como todos os outros na atuação), com raízes em ritmos tradicionais. Logo em seguida, duas músicas ligadas entre si: "Procurei-te" e "Serenata a um Anjo", onde sobressaiu o solista que aproveitou a ocasião para dedicar o tema ao recentemente falecido pai. "Viseu Nobre Cidade" foi mais um tema animado dedicado à sua cidade, e para finalizar a atuação "Homenagem a Hilário", que como o nome indica, é dedicada a Augusto Hilário, uma das figuras mais emblemáticas da música de Coimbra, e que nasceu precisamente em Viseu. Saída pela plateia com o hino da tuna, terminando assim as atuações das tunas a concurso.
 
O júri do certame foi constituído por: Dr. David Wyn Lloyd, Diretor Artístico e Maestro titular da Orquestra Clássica do Centro; Maestro Artur Pinho, maestro do Orfeon Académico de Coimbra; Professor Amadeu Magalhães, Professor na Secção de Fado AAC de Cavaquinho, Bandolim, Concertina, Gaita-de-foles, Viola folk, etc. e por fim Marcos Carvalho, interno da especialidade de Ortopedia e antigo tuno TMUC (Presidente do júri).
 
Enquanto não saiam as deliberações finais, ainda houve tempo para a atuação da tuna organizadora - a TMUC, que como seria de esperar, teve uma receção muito calorosa por parte de todo o TAGV. Começaram com a "Balada de Despedida do 6.º Ano Médico de 2007" acompanhada com guitarra e viola que representou condignamente a tradição do fado coimbrão. O conhecido original "Coimbra dos Amores" animou a plateia com os seus pandeiretas em grande forma. De seguida "Gentes Imortais" o mais recente original da Tuna de Medicina de Coimbra, apresentado pela primeira vez durante este festival, pretende dar uma palavra de esperança perante os tempos difíceis que o país atravessa. "Voltar Atrás" foi o tema estreado no certame do ano passado, e é mais uma referência à vida de estudante em Coimbra, que desta vez foi dedicado a todos os estudantes finalistas de medicina, que tinham acabado de efetuar o "Juramento de Hipócrates". Logo a seguir, uma mistura entre o fado de Coimbra e a música popular portuguesa no excelente tema "Voar". Depois da subida dos antigos tunos a palco, ainda ouve tempo de cantar "Briosa" que caiu bem em noite de vitória futebolística. Antes da entrega de prémios, ouviu-se a "Balada" tema tocado pela primeira vez à 19 anos trás na Faculdade de Medicina da UC. A serenata foi dedicada em especial às mães e namoradas dos tunos.
 
A entrega dos prémios ficou assim distribuída:
 
Melhor Serenata - Tuna de Medicina do Porto
Melhor Pandeireta - Tuna de Medicina do Porto
Melhor Estandarte - anTUNiA
Melhor Instrumental - Tuna de Medicina do Porto
Melhor Solista - anTUNiA
Melhor Original - Tuna de Medicina do Porto
Tuna Mais Tuna - Tuna de Medicina do Porto
 
2º Melhor Tuna - anTUNiA
Melhor Tuna - Tuna de Medicina do Porto

 

 

Antes do final, a TMUC despediu-se da plateia do TAGV com o "Cantar de Estudante".
A noite de convívio teve lugar mesmo ao lado, nos jardins da AAC, e na cantina "Grelhados" até às primeiras horas da manhã.
 
Destacamos como ponto positivo, isso mesmo, o convívio que se gerou entre tunos, convidados, antigos tunos e amigos, num ambiente que por vezes é difícil ver noutros certames. Está de parabéns a TMUC, por este "V Cantar de Estudante", um festival que começa a ser uma referência em Coimbra e não só.
 
Como ponto menos positivo, e após falar com alguns dos intervenientes, terá sido o som de palco, que terá prejudicado algumas atuações. As organizações deverão exigir aos técnicos, por vezes bem pagos, um trabalho mais rigoroso que valorize o trabalho das tunas, e que pensamos não ser assim tão complicado melhorar.
 
Uma saudação à TMUC pelo apoio à nossa reportagem, em especial ao João Luís "Charadas" Silva.
 
Até para o ano!!

 

 

Parceiros