Portugaltunas - Tunas de Portugal

Reportagem do Festival de Tunas de Santa Comba Dão
/5 ( votos)

Reportagem do Festival de Tunas de Santa Comba Dão

Reportagem Do Festival De Tunas De Santa Comba Dão


Este festival ocorreu no dia 7 de Novembro, organizado pela câmara municipal e mais algumas pessoas que já passaram pela faculdade e gostam de tunas.

O festival começou no início da tarde com o concurso de serenatas, andando os tunos, após isso a passear pela cidade, pois não havia mais actividades marcadas.


Por volta das 22h iniciou-se o festival no auditório do Centro cultural de Santa Comba.
O Júri era constituído, pelo presidente da câmara, 4 ou 5 vereadores e 2 tunos, que, diga-se de passagem, não têm conhecimentos musicais nem tunantes suficientes que lhes dê credibilidade como júri.


Subiu a palco a Imperial TAFUC - Tuna Masculina de Farmácia da Universidade de Coimbra, acompanhados pela sua gigante cobra de peluche - símbolo do curso de Farmácia. Iniciaram a sua apresentação com um desfile de caloiros e selecção do caloiro do festival por parte do público. Começou a actuação propriamente dita com algumas músicas, entre elas “A pilinha” e alguns temas originais da tuna. Na actuação desta tuna notou-se o facto de serem uma tuna muito recente, com alguma descoordenação a nível vocal e instrumental.


A apresentação do festival esteve a cargo dos Jogralhos – Grupo de Jograis da Universidade do Minho. A meio da sua prestação a organização pediu uma pausa, para a subida a palco dos caloiros da Imperial TAFUC, que levaram a guia, para pedir ao público uma salva de palmas para a mesma, pois tinham-se esquecido durante a actuação. Esta situação revelou-se como falta de respeito aos Jogralhos, que não deixaram de referenciar isso.


Seguiu-se a Tuna do IPAM, vinda de Matosinhos, que apresentou temas como “Funiculi Funiculá” como música de solista, “Senhor de Matosinhos”, entre outros. De referenciar a graciosidade dos pandeiretas e estandartes, e a excelente prestação do solista, que não teve muita sorte com o sistema de som, pois não esteve nas melhores condições durante o festival inteiro.


Continuou o espectáculo com a Estudantina Académica de Castelo Branco, com muitas novidades no seu repertório habitual, brilhando em temas como “Variações Albicastrenses em Lá menor”, “Amanhecer” e “Toada Beirã”.


A última tuna a concurso foi a Tuna Bruna, vinda da Figueira da Foz que apresentou temas como “Maria”, “Figueira”e “Marcha da Trindade”, de salientar a boa disposição e a excelente prestação do solista. No final da sua prestação a guia subiu a palco, trazendo um pedido por parte de alguns elementos do júri, para que a tuna repetisse a música “Muñequita linda”, que tinham apresentado no concurso de serenatas.


Continuamos com a excelente e animada apresentação dos Jogralhos, até à entrega de prémios:


Melhor Tuna: Estudantina Académica de Castelo Branco
Melhor Instrumental: Estudantina Académica de Castelo Branco
Melhor Solista: Tuna Bruna
Melhor Pandeireta: Estudantina Académica de Castelo Branco
Melhor Estandarte: Tuna Académica do IPAM
Melhor Serenata: Tuna Académica do IPAM
Tuna mais Tuna: Imperial TAFUC

De salientar que a Imperial TAFUC desistiu do concurso após as serenatas, falou com a organização, disse que apresentaria a sua actuação normal, mas sem entrar na disputa de prémios. Não se percebeu muito bem, dado isto, o facto de terem ganho o prémio de Tuna mais Tuna.


A festa continuou num bar dançante da cidade, com muita animação por parte dos tunos.
A organização basicamente abandonou os tunos no início da noite, embora muito poucos soubessem onde iam dormir, dado que as dormidas ficavam numa aldeia a mais de 10 km da cidade. O que ajudou a polícia, já que se encontravam a fazer operação STOP em todas as saídas da cidade.


Foi um festival, que eu não chamaria de Festival de Tunas, dadas as várias faltas de respeito ao espectáculo e às tunas, por parte da organização.

Parceiros