Portugaltunas - Tunas de Portugal

IX FITUIPS
/5 ( votos)

IX FITUIPS

Reportagem

Santarém foi palco neste fim de semana do IX FITUIPS organizado pela Scalabituna, Tuna do Instituto Politécnico de Santarém. Nesta edição do FITUIPS estiveram presentes as seguintes Tunas a concurso:
* anTUNiA - Tuna de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa
* Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho
* Estudantina Universitária de Lisboa
* TUIST - Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico

O Festival teve início na 6ª feira com a noite de serenatas que decorreu na Igreja da Graça.
A Scalabituna abriu a noite com "Variações em Rém" de Carlos Paredes, "Canto de uma Saudade" de Fernando Alvim e apresentando ainda o original "Lágrimas do Tejo".
Seguiu-se a TUIST com os originais "Auto da Ilusão" e "Noites de Luar", a EUL com "Olhos Negros" e o original "Balada dos Anzóis" e finalmente a anTUNiA com "Eu sei que vou te amar" de Vinícius de Moraes/Tom Jobim e o original "Sentidos". Quanto à Azeituna um furo num pneu da "camioneta" em que fizeram a viagem do Minho ao Ribatejo, impediu-os de chegar a tempo de participar na serenata deste IX FITUIPS.

O Festival prosseguiu no sábado com destaque para a já tradicional garraiada durante a tarde junto ao complexo aquático de Santarém. Alguns tunos não deixaram de querer demonstrar a sua alma de campino. Que o diga por exemplo António Saldanha de Oliveira "Pópulo" da Azeituna que terminou a tarde no Hospital de Santarém, embora regressaria a tempo de exibir um belo gesso no braço direito, ao público scalabitano no palco do FITUIPS.

O Festival propriamente dito decorreu no grande auditório do CNEMA (centro nacional de exposições) e teve início por volta das 22h. A abertura do festival ficou a cargo dos Vórtice Project, com origens no Conservatório de Música de Santarém, grupo composto por 3 guitarras portuguesas (Ricardo Marques, João Limeira e Hugo Martinho), uma guitarra clássica (João Correia) e um violino (Pedro Dinis). Apresentaram "Fado Corrido", prosseguindo com um tema de Yann Tiersen da banda sonora do filme Amélie e terminando com "Fado Lopes".

A primeira Tuna a concurso a pisar o palco foi a anTUNiA que iniciou a sua actuação com o original "Sancho Pansa" com entrada em acção dos seus pandeiretas. Prosseguiram com o instrumental "Concerto para dois bandolins em Sol maior" de Vivaldi, "Meus lindos Olhos" de Mafalda Arnaud na voz do solista Pedro Oliveira "Peregrino" e com o original "Doce Feitiço" na voz do solista Pedro Gonçalves "HM". Terminaram com "Senhora do Mar" de Vânia Fernandes/Andrej Babic/Carlos Coelho (Festival da Canção de 2008), uma vez mais com interpretações dos dois solistas supracitados. Este último tema foi o ponto mais alto da atuação da anTUNiA, arrancando muitos aplausos do público do CNEMA.

A Azeituna foi a 2ª Tuna a pisar o palco iniciando a sua atuação com o tema "Ninguém, ninguém" de Marco Paulo com uma introdução em que o solista Tiago Sá "Tretas" surge caminhando e cantando pelo meio do público. Terminaram este primeiro tema com um excerto de "All you need is Love" dos Beatles. Prosseguiram com um 2 em 1: "Caminhos d'Água" encadeado com o instrumental original "Andanças". Apresentaram ainda "Tudo o que te dou" de Pedro Abrunhosa, uma vez mais na voz do solista Tiago Sá "Tretas" imediatamente seguido do tema "Meia Lua Inteira" de Caetano Veloso. Terminaram o seu espectáculo com "Vais Partir" de Clemente que entusiasmou o público presente.

Após um breve intervalo, seguiu-se em palco a Estudantina Universitária de Lisboa que apresentou o seu espectáculo "Lés-a-lés" composto por múltiplos temas e medleys de músicas tradicionais e populares dos diversos cantos do país. Iniciaram a atuação com "Arriba Monte" e Final de Inverno". A viagem musical começou por Trás-os-Montes e Alto Douro com "Bento Airoso", "Pauliteiros de Miranda" e o tema mirandês "La Lhoba Parda". Prosseguiram pelo Minho e Douro Litoral com "Salsa Verde" e "Viras do Minho", continuando pela Beira Alta com alguns cantares das Beiras "Maçadeiras do meu Linho" e "Viseu, Senhora da Beira". A Beira Baixa foi a próxima região visitada com "Senhora do Almortão", o instrumental "Progressão Gitana", "Cantiga Bailada", "Penha Garcia" e "Lá cima ao Castelo". Da Beira Litoral foi interpretado "Chote, Coimbra e Mondego" e da Estremadura "O Mineiro". O Alentejo foi a região que se seguiu com "Saias de S. João" e "Saias de S. Mateus" do Alto Alentejo e "O Menino está na Neve", "Rouxinol repenica o Cante", "Niger" e "Incógnita Alquimia" do Baixo Alentejo. Rumo ao Algarve a EUL apresentou "Baile Mandado", "Corridinho", "Velha Bufelha", "Sape Gato" e "Lagarto Pintado". Um desvio até às ilhas trouxe "Terra do Bravo" e "Rema" dos Açores e "Bailinho da Madeira" e "Baile do Ladrão", precisamente da Madeira. De volta ao continente, a viagem passou por Lisboa com "Acordem as Guitarras" e "Lírio Roxo", rumando finalmente ao Ribatejo, palco do FITUIPS com o tradicional "Fandango". A EUL encerrou o seu espectáculo uma vez mais ao som de "Arriba Monte". Destaque ao longe deste longo e complexo espectáculo para a prestação dos diversos solistas Frederico Pereira "Snaitas", André Correia "Dédé", Luís Pinto "Bazuca" e Luís Pereira.

A última Tuna a concurso a actuar foi a TUIST que iniciou a sua atuação com um pequeno prelúdio instrumental ao som de "Vejam Bem" de "Zeca" Afonso. O primeiro tema apresentado seria precisamente da autoria deste grande mestre da música portuguesa "Menina dos Olhos Tristes" na voz do solista David Franco, seguido do original "Se um Dia não Houver Luar". Após uma pequena brincadeira sobre o penteado de João "Verde" Correia da Scalabituna no projeto musical Vira Casaca e de um pequeno interlúdio musical ao som de "Noites de Verão" (tema habitual do reportório da Scalabituna) embora com letra adaptada à cidade de Santarém e onde o refrão apelava "vem ao CNEMA ouvir a TUIST"", a TUIST apresentou o seu instrumental "Paredes meias com Armandinho e Nunes". "Lágrima" de Amália Rodrigues na voz uma vez mais do solista David Franco foi o tema que se seguiu, terminando com a habitual "Marcha do Centenário" com entrada em cena dos pandeiretas.

Finalmente, subiu a palco a anfitriã Scalabituna que apresentou "Partida", "Anda comigo ver os Aviões" dos Azeitonas na voz do solista Guilherme "Idolos" Madeira e "Flagrante" de António Zambujo na voz dos solistas Vasco "Joselito" Tomás e novamente Guilherme "Idolos" Madeira.
Enquanto o júri terminava o seu processo de deliberação, a Scalabituna procedeu à primeira parte da entrega de prémios:
• Melhor Pega: Azeituna
• Melhor Claque: Claque da Escola Superior Agrária de Santarém (que foi apoiando todas as Tunas a concurso ao longo da noite)
• Melhor Serenata: EUL

A Scalabituna apresentou de seguida o tema "Noites de Verão" antes de prosseguir à segunda parte da entrega de prémios. O Júri composto por Maria Tereza Azoia (fadista), Roseline Canavarro (Direção do Conservatório de Música de Santarém), Ricardo "Gracinhas" Marques (Tuno fundador da Scalabituna), Pedro Dinis (violonista e professor do Conservatório de Música de Santarém), Pedro Carvalho (Administração do Instituto Politécnico de Santarém), Alberto Miranda (membro honorário da Scalabituna) e Ricardo Gonçalves (Presidente da Câmara Municipal de Santarém), deliberou.
• Melhor Pandeireta: TUIST
• Melhor Bandeira: Azeituna
• Melhor Solista: EUL
A Scalabituna fragmentou a cerimónia de entrega de prémios interpretando o original "Chuva de Verão" antes de proceder à entrega dos restantes prémios:
• Prémio Vítor Margarido (Tuna mais Tuna): TUIST
• Melhor Instrumental: anTUNiA
• 2ª Melhor Tuna: TUIST
• Melhor Tuna: anTUNiA

O relógio já marcava 3h da manhã quando a Scalabituna encerrou este IX FITUIPS. Num festival marcado, como já e tradição, pelo grande convívio e pelas excelentes condições proporcionadas às Tunas a concurso, nenhum Tuno saiu de Santarém com a garganta seca.

Parabéns à Scalabituna por mais uma edição do seu FITUIPS e um agradecimento especial pela colaboração e pelas condições que proporcionaram para a realização desta reportagem.

Parceiros