Portugaltunas - Tunas de Portugal

IV FAST' À NOITE
/5 ( votos)

IV FAST' À NOITE

Estatuna Vence A 4ª Edição Do Festival Da Tu Na D'ESTES

A cidade de Coimbra acolheu nos passados dias 27 e 28 de Março, a 4ª Edição do FAST’À NOITE, Festival de Tunas Mistas da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, organizado pela Tu Na D’ESTES. O palco do Festival, subordinado ao tema “Disney” foi o Auditório da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, contando com a participação das seguintes Tunas a concurso:


• Estudantina Universitária de Viseu
• ESTATUNA: Tuna da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes
• Tuna Académica do Externato Infante D. Henrique (Braga)
• Desconcertuna: Tuna Mista da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra



O Festival teve início às 22h30 do dia 27, com lotação esgotada. Os 360 lugares sentados foram insuficientes para acolher tanta gente e foram ainda vendidos cerca de 40 bilhetes adicionais a pessoas que não quiseram perder este evento, assistindo ao espectáculo de pé ou sentadas nos degraus do auditório (entradas a 2€ para estudantes e 3,5€ para não estudantes).
A apresentação do espectáculo ficou a cargo de vários elementos da Tu Na D’ESTES que encarnaram o papel de diversas personagens do mundo da “Disney” alternando com a visualização de vídeos subordinados a temas tais como: Cinderela a caminho do FAST’ À NOITE (de carro de mão empurrado pelo “sininho”); Mickey à procura da Mini (cerveja, é claro!); Piratas das Caraíbas (a navegar no rio Mondego); Branca de Neve o os 7 anões gays; ou ainda alcoólicos anónimos com personagens Disney.


A abertura do festival coube a um grupo de percussão de Viseu, “Os Viriatos” que fizeram tremer o auditório com o som dos seus bombos e tambores.



A primeira Tuna a pisar o palco do FAST’ À NOITE foi a Estudantina Universitária de Viseu. Uma actuação dinâmica da Estudantina que teve como principais destaques o tema “Menina caloira”, a adaptação do tema “Nini dos meus quinze anos” de Paulo de Carvalho, coreografias interessantes do seu porta-estandarte asiático e uma original adaptação ao tema do festival com vários elementos vestidos a rigor e apresentação do seu Magister grego, traduzida em linguagem “pato Donald”. Foram ainda interpretados os temas “E foi assim”, “Vultos”, “Águas do Dão” e o seu instrumental.


A Estatuna, foi a segunda Tuna a actuar, num registo de boa qualidade a que nos tem habituado. Os principais destaques vão para as habituais homenagens a “Zeca” Afonso com os temas “Canção de embalar” e “O que faz falta” (realçadas pelo festival ter decorrido em Coimbra), a pequena viagem à América latina com “Viajera”, a várias interpretações dos seus solistas e a qualidade da sua porta-estandarte Fátima com coreografias de alguma complexidade e com uma mistura de graciosidade e energia. É de realçar que a Estatuna tem-se revelado ao longo dos anos, uma excelente escola de porta-estandartes. Foram ainda interpretados os temas “prima da chula” dos Trovante, o Hino da Estatuna e uma serenata. No entanto, foi menos conseguida a integração do tema Disney na actuação, havendo apenas um pequeno momento protagonizado pelos seus “Chospras” (caloiros da Estatuna).



Após um breve intervalo, subiu ao palco a Tuna Académica do Externato Infante D. Henrique que foi uma das atracções do IV FAST’À NOITE, não só pelo facto não ser uma Tuna universitária, mas também pelo seu longo historial (desde 1989) e pela mistura de várias faixas etárias com destaque para o seu Magister (professor de 46 anos). Foi uma actuação de grande qualidade e rigor vocal e instrumental. Destaques para a panóplia de instrumentos apresentados (8 ou 9 bandolins e bandolas, violas, violinos, flauta transversal, flauta de bisel, contrabaixo…), para o seu intrumental de Vivaldi e para a interpretação dos temas “Gosto de ti” (original) e “Segredo” na voz do seu solista. Foram ainda apresentados os temas “Dezembro” e “Tunos do Infante”. Nota menos positiva apenas pela não adaptação da actuação ao tema do festival e por alguma monotonia ao longo da actuação, com muitas músicas num registo rítmico musical muito semelhante.



A última Tuna a concurso a apresentar-se em palco, foi a Desconcertuna que apesar de alguma falta de experiência em festivais, visto que foi criada em Dezembro de 2007 e teve a sua primeira actuação à menos de 1 ano (em Maio de 2008), revelou uma boa consistência prometendo uma boa luta pelos prémios em disputa. Destaques para a interpretação dos temas “Farra”, para o clássico “Menina estás à janela”, “assim mesmo é que é”, para o seu instrumental do “Rei Leão”, perfeitamente enquadrado no tema do festival e para a sua solista “Banetxi” que encerrou a actuação com o tema “Saudade de Coimbra” de “Zeca Afoso”.



Antes da atribuição dos prémios, a Tu Na D’ESTES subiu ao palco iniciando a sua actuação com o tema “Fado Português” na voz do seu “rouxinol” Sílvia. Seguiram-se os temas “Homenzinho” da Banda do Casaco (1974), o original “Eterno Beijo”, a estreia de uma adaptação de “Coimbra de Choupal” com introdução do instrumental “libertango” de Astor Piazzolla, a sua versão da “Canção de Embalar” de “Zeca Afonso” e finalizando a actuação com a “Ressaca”. Pelo meio uma pequena homenagem sentida aos finalistas da Tuna, com um medley de várias músicas da Disney com letra dedicada precisamente aos finalistas. Este foi um dos momentos da noite com a estreia de vários elementos da Tu Na D’ESTES a solo. Destaque ainda para as interacções de vozes e de vários instrumentos em diversas músicas e para as coreografias dos seus pandeiretas, com especial destaque para o “Fontes” pandeireta tecnicamente evoluído e demonstrando uma grande entrega em palco.



Após a actuação da Tu Na D’ESTES, seguiram-se os habituais agradecimentos procedendo-se de seguida à entrega dos prémios. Neste âmbito o júri decidiu:


• Prémio “Dedos de Ouros” (Melhor Instrumental) - Tuna Académica do Externato Infante D. Henrique
• Melhor “Pau” (Porta-Estandarte) – Estatuna
• Melhor Caricas (Pandeireita) – Estatuna
• Melhor Adaptação – Estatuna
• Melhor Original – Estudantina Universitária de Viseu
• Melhor “Cordas Vocais” (Solista) – Desconcertuna
• Tuna mais Mista – Tuna Académica do Externato Infante D. Henrique
• Prémio Temático (Disney) – Desconcertuna
• Tuna mais Tuna – Estudantina Universitária de Viseu
• Prémio FAST’À NOITE (Melhor Tuna) – Estatuna



Relativamente às condições técnicas: muito boas condições em termos de som que ainda poderiam ter sido superiores com a disponibilização de mais 4 ou 5 microfones. Nota positiva também para o som dos “retornos” e para a ausência de feedbacks. Nota razoável para as condições de iluminação. Muito calor no auditório da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra estimulando as glândulas sudoríparas com a libertação de doses elevadas de transpiração não só em palco mas também no público.



Um festival com nota positiva para a organização e com um nível satisfatório relativamente às actuações das tunas em palco. Segunda vitória consecutiva em Festivais para a Estatuna, após ter vencido o I ISCALINO na semana passada e também segunda vitória em edições do FAST’À NOITE. Grande noite em Coimbra com um público fervoroso e ansiando já pelo V FAST’À NOITE.

Parceiros