Portugaltunas - Tunas de Portugal

III SCALABIS - Festival de Tunas Femininas
/5 ( votos)

III SCALABIS - Festival de Tunas Femininas

A Reportagem Da 3ª Edição Do Festival Da TUFES

Após 7 anos de interregno, decorreu no passado dia 5 de Junho no Teatro Sá da Bandeira em Santarém o III SCALABIS – Festival de Tunas Femininas, organizado pela TUFES, Tuna Feminina Scalabitana.


O Festival teve início pouco depois das 21h com os 201 lugares do Sá da Bandeira preenchidos. Este Festival contou com a presença das seguintes Tunas:


• Tuna Feminina do ISEP (Porto)
• Tuna Maria, Tuna Feminina da Faculdade de Ciências e Tecnologias Universidade Nova de Lisboa
• Feminis Ferventis, Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve
• Tuna Sadina, Tuna Feminina da Escola Superior de Educação de Setúbal

O Festival foi iniciado pela Tuna da Casa, a TUFES que apresentou um medley de várias músicas que habitualmente interpreta seguido de “Namorico da Rita” de Amália Rodrigues.

A primeira tuna a concurso a subir ao palco foi a Tuna Feminina do ISEP que iniciou a sua actuação com o original “Recordar” seguindo-se o instrumental “Espana Cani”, “Fado Toninho” dos Deolinda e “Hoy” de Gloria Estefan, talvez o melhor momento da actuação da TFISEP. Terminaram a actuação com “Casa Portuguesa” de Amália Rodrigues com uma introdução feita pelas pandeiretas.

Seguiu-se a Tuna Maria que iniciou a sua actuação com o tema “Perdigão” poema de Luis de Camões adaptado por Amália Rodrigues, interpretado na voz forte da sua solista “Tazz – Iolanda Reis”. Seguiram-se uma adaptação do instrumental “Libertango” de Astor Piazzola, o original “Alma Dividida” e “Sol de Inverno” de Simone de Oliveira, na voz da “Tazz”. Terminaram a sua actuação ao som das “Marchas Populares de Lisboa” com actuação uma vez mais da sua solista de serviço. De destacar alguns pormenores das suas porta-estandartes, alguns arranjos vocais, a boa dinâmica imposta pela contrabaixista e sobretudo alguma dependência da sua solista, não só pelos seus dotes vocais como também pela sonoridade destacada da sua viola.

  Após um breve intervalo, subiu ao palco a Feminis Ferventis que iniciou a sua actuação com o original “Barquinho de Deus” interpretado a cappella, seguindo-se o tema “Molhar o pé” de Tucanas, o instrumental “De Usuhaia a la Quiaca” de Gustavo Santaolalla e o original “Despedida” na voz da solista “Marisa Lino”. Terminaram com mais um original “Sina de uma Caloira” encadeado com o seu “Hino”. Uma actuação bastante interessante da Feminis Ferventis destacando-se talvez o seu instrumental e a apresentação da actuação feita pela sua bem-disposta Magister Luísa Reis que conseguiu arrancar vários momentos de riso ao público.

A última tuna a concurso a actuar foi a Tuna Sadina que iniciou a sua actuação com excertos de várias músicas a cappella exibindo letras gigantes: “S” com a “Marcha de Setúbal”, “A” com “Alecrim”, “D” com “Bailinho da Madeira”, “I” com “Indo eu”, “N” com “Não vás ao mar Toino” e “A” “Ao passar a ribeirinha” compondo a palavra e entoando SADINA. Continuaram com “Abraço a Setúbal” (tradicional), “A Chuva” de Mariza acompanhado de tradução em língua gestual portuguesa proporcionando ao público um momento sentido e original. Seguiram-se o original “Pensamento sadino” e o instrumental “O futuro o dirá”. Terminaram a actuação com um “Medley de Amália” seguido de um FRA muito original no qual a tunante “Ana Sena”, que apresentou a actuação com muito humor e muitos beijinhos, conseguiu desencadear na plateia uma grande gargalhada com algumas pessoas no público chorando a rir. Para além da agradável actuação no seu geral e da apresentação da actuação, destaque ainda para a boa performance das suas porta-estandartes.

  Para finalizar as actuações subiu ao palco a tuna anfitriã, a TUFES apresentando “Vejam Bem” de Zeca Afonso, “Menina das tranças pretas” (popular), o original “Capas negras”, o seu original mais conhecido “Memórias”, “As mondas” e por fim o seu hino “Eternamente”. Já estão disponíveis online vídeos do tema “Memórias” e um excerto do tema “Vejam bem”

No final o júri decidiu:


• Melhor Instrumental: Tuna Maria
• Melhor Original: Tuna Maria
• Melhor Solista: Tuna Sadina
• Melhor Pandeireta: Tuna Maria
• Melhor Porta-Estandarte: Tuna Sadina
• Tuna + tuna (atribuído pela TUFES): Feminis Ferventis
• Melhor Tuna: Tuna Maria

Apesar de algumas decisões bastante discutíveis por parte do júri, nota relativamente positiva para o som, para a iluminação, para as condições gerais do teatro e para toda a organização.
Destacar ainda o facto de, pela segunda vez no espaço de um mês, o Teatro Sá da Bandeira encher para acolher um evento deste tipo. É um sinal claro que as Tunas de Santarém “estão vivas” e dispostas a dinamizar e promover a academia scalabitana e a cidade que as acolhe.

Muitos parabéns à TUFES pelo seu III SCALABIS.

 

target="_blank">www.youtube.com/watch?v=NJFWC7J3-XM

 

target="_blank">www.youtube.com/watch?v=wHCqoC_F4Po&feature=related 

 

 

Parceiros