Portugaltunas - Tunas de Portugal

Alma Tunae Sintra 2019: A Reportagem
/5 ( votos)

Alma Tunae Sintra 2019: A Reportagem

O PortugalTunas Foi Media Partner Oficial

Decorreu no passado fim-de-semana de 10 e 11 de Maio o primeiro "Alma Tunae - FITUL Festival Internacional da Tuna Universitária de Lisboa" que teve lugar em Sintra - uma organização conjunta da TUL com a Câmara Municipal de Sintra.


O evento decorreu em vários momentos e espaços da eternamente romântica Vila de Sintra, território nunca antes explorado no âmbito de espetáculos de grande envergadura de realizações desenvolvidas por Tunas Universitárias e Académicas. Contou com a participação de Tunas portuguesas e estrangeiras de qualidade humana, musical e cénica, com experiência a nível nacional como internacional.


Tunas a concurso: Tuna de Segreles (Porto Rico) Tuna Universitária do Porto (Portugal) Tuna Universitária de Barcelona (Espanha) Estudantina Académica ISEL (Portugal) Estudantina Académica de Lamego (Portugal) Extraconcurso a atuação da Tuna Universitária de Lisboa (TUL), a tuna anfitriã.

No primeiro dia do certame - dia 10 pelas 21:30 - teve lugar a Monumental Noite de Serenatas no Palácio de Queluz, onde desfilaram todas as tunas a concurso, precisamente a contar para o prémio de melhor serenata, num cenário magnífico, propício para este momento. No dia seguinte, as tunas desfilaram pelas ruas de Sintra, no tradicional Pasacalles, que serviu de promoção do evento e permitiu a interação de toda a população com as tunas presentes. Ao início da noite, teve início o espetáculo propriamente dito - o Alma Tunae FITUL (Festival Internacional da Tuna Universitária de Lisboa), no Centro Cultura Olga Cadaval, espaço que recebeu pela primeira vez um certame de tunas desta envergadura.


A apresentação esteve a cargo do humorista Pedro Neves, que conseguiu dar ritmo ao espetáculo, sem atrasos de monta e de uma forma bem animada, do agrado do público presente.


Sem grupos extra-concurso no início do espetáculo, deu-se logo início ao concurso de tunas. A primeira tuna a concurso foi a Estudantina Académica de Lamego, com 22 elementos em palco. Com apenas cerca de 5 anos de existência, tem-se visto a clara evolução do grupo, não só com a participação em certames de nome nacional e internacional (como foi o alcançar de alguns prémios no Costa Cálida em Múrcia) mas também demonstrado pelo surgimento de novos temas e arranjos cada vez mais complexos, mostrando trabalho. Em destaque - para além de "Pastor" dos Madredeus na abertura da atuação e do tradicional instrumental "Carrascosa" - foi a mais recente adaptação de "Sete Mares" da banda Sétima Legião. O bom espetáculo de pandeiretas e bandeiras teve lugar no tema original e em estreia "Lamego passa a Cantar" que encerrou a atuação, cativando o público do Olga Cadaval.


A Estudantina Académica do ISEL, com 32 tunos em palco, foi a segunda tuna a concurso. Apresentou-se com solista à frente da tuna nos dois primeiros temas e bons arranjos vocais e instrumentais: "Sonho" igualmente dos Madredeus e "Se ao menos houvesse um dia" do fadista Camané, num bom arranjo da tuna. Destaque sem dúvida para o seu famoso Instrumental - medley da "História da Música", com o animado maestro a reger a tuna, muito aplaudido pelo público. Terminaram o espetáculo com o original "Quando Lisboa canta", dedicada ao seu ensaiador e à TUL e em especial ao seu antigo magister Luís Fernandes - que passou também ele pela EAISEL, sendo inclusive autor desse tema.


Antes do intervalo teve ainda lugar mais uma apresentação a concurso, desta vez a Tuna Universitária de Barcelona, com 34 elementos em palco. Anunciaram que, excecionalmente não iriam o usar o seu tradicional estandarte, mas em símbolo de amizade e respeito usariam a bandeira da tuna organizadora. A partir desse momento a atuação foi toda seguida sem interrupção, a fim de poder ser desfrutada na plenitude. Os destaques vão para o tema de solista, o bem conhecido "Sole Mio" e o tema "Regressa a mi"  -uma adaptação de "Unbreak my heart" o famoso tema de Toni Braxton, - que iniciou com 4 cantores acabando por envolver todos os turnos numa performance vocal e musical sem erros a apontar. Numa só palavra, excecional. "Islas Canárias" foi o tradicional Pasodoble que terminou a atuação da TUB, com direito a capeador, pandeireta e tocador de castanholas. Apresentação variada e de qualidade superior.


Depois do intervalo - e sem desrespeito pelas restantes tunas a concurso - estava aquela por quem todos esperavam, dado que há muito tempo se aguardava o seu regresso a Portugal, a Tuna de Segreles de Porto Rico, com 26 elementos em palco. O início da apresentação deu-se com o seu Instrumental que começa na 5 Sinfonia de Beethoven mas que rapidamente passa para os ritmos quentes da salsa - que tanto os caracteriza - e que logo cativou o público. De seguida "Torero" foi a música já conhecida de todos, com apresentação dos bandeiras, pandeireta e capeador à altura - enormes. "Si tu no Estas" foi a música de solista, num registo diferente do esperado e mais intimista. "Que hacen aqui", com breve apontamento de pandeireta e fantástico arranjo vocal num registo mais de musica latina, e "Me Lleve com Dolores" música que fala de paz para todos e que "venha um mundo melhor, levem as dores, os males", foram os últimos temas apresentados que levaram todo o público presente a levantar-se das cadeiras para dançar ao ritmo da percussão - e no final pedir um encore.


A última tuna a concurso foi a Tuna Universitária do Porto, com 28 tunos em palco. O primeiro tema foi "Lisboa antiga", música inicial com declamou um pequeno poema dedicado a Sintra, vila que acolhe este certame. "Nasci, sonhei, cresci e amei" foi a música de solista que se seguiu, um tema que Artur Garcia levou ao Festival da Canção de 1965, numa adaptação vencedora da TUP. "Timor"  de seguida, um tema já tradicional do reportório da TUP, desta vez com um problema de som inicial, mas que em nada prejudicou a excelente interpretação da tuna. Outro tema sobejamente conhecido - "Madalena" - serviu para oferta do livro sobre os 30 anos do FITU do Porto ao magister da TUL, Luis Fernandes, desejando longa vida a tuna organizadora e ao festival que agora tem a sua primeira edição. "Carvoeiras" com apresentação das pandeiretas e do porta estandarte encerrou a atuação, com saída pelo público ao som dos "Amores de Estudante".


Por fim, e antes da entrega de prémios, atuou a Tuna Universitária de Lisboa, com 43 elementos em palco. "Olhar furtivo", um original da tuna e música de abertura da atuação. "Lisboa à Vista" de 1953 (de Alberto Ribeiro) com apresentação do bandeira em grande nível. "Talvez", da Carminho, foi a serenata dedicada às todas as senhoras e meninas presentes na sala. "Concerto para Oboé em Fá Menor" de G. F. Telemann foi o Instrumental escolhido para a continuação da apresentação, demonstrando a qualidade dos seus elementos. O ponto alto da atuação foi no entanto e sem dúvida para "Nessun Dorma" uma famosa ária do último ato da ópera "Turandot" criada em 1926 por Giacomo Puccini, com dois solistas de peso - Angelito Rosário e Pedro Tavares. Fantástico momento que valeria só por si o bilhete. "Lisboa à Noite" para terminar a atuação e mostrar o trabalho dos bandeiras e pandeiretas.


O júri deliberou, então, os seguintes Prémios:

Serenata - Tuna Universitária do Porto
Desfile - Estudantina Académica de Lamego
Tuna Mais Tuna - Estudantina Académica do ISEL
Pandeireta - Estudantina Académica de Lamego
Estandarte - Tuna de Segreles de Porto Rico
Instrumental - Estudantina Académica do ISEL
Solista - Tuna de Segreles de Porto Rico
3a Melhor Tuna - Tuna Universitária de Barcelona
2a Melhor Tuna - Tuna Universitária do Porto
Grande Prémio "Alma Tunae Sintra 2019 para a Melhor Tuna - Tuna de Segreles de Porto Rico


Falando em jeito de balanço com Luís "Xabregas" Fernandes, Magister Tunae da TUL, diz-nos que "felizmente do "impossível" tornámos "possível" este certame, fruto da união deste grupo, tendo por isso resolvido a maioria dos problemas que encontrámos. Foi um fim-de-semana mágico, na companhia dos meus irmãos tunos. Um presente que quisemos dar a Portugal e não só, um espetáculo muito bonito que esperamos tenha continuidade no futuro." Fazemos destas as nossas palavras, que o "Alma Tunae" regresse em breve, de preferência já para o próximo ano!


O Portugaltunas endereça um agradecimento à TUL, em especial ao Luis Fernandes pelo acolhimento e facilidade na realização desta pequena reportagem bem como da parceria realizada!

 Até breve e Obrigado!


Por José António Rosado

Parceiros