Portugaltunas - Tunas de Portugal

VIII Capote
/5 ( votos)

VIII Capote

As Tunas Femininas Aqueceram A Cidade Fria De Bragança..

Foi no passado fim-de-semana que decorreu o VIII CAPOTE, em terras de Trás-os-Montes, na bela cidade de Bragança. Apesar do frio que se fez sentir, a animação de todos os intervenientes neste festival, encheu de calor humano, todos aqueles que presenciaram os festival nos seus vários momentos.
 
Na sexta-feira, decorreu um jantar de Gala do 17º Aniversário da Tôna Tuna, com presença de várias personalidades ligadas ao Instituto Politécnico de Bragança, e outras bastante importantes na história da Tuna. No final do jantar, o Dr. Sobrinho, presidente do IPB, fez um discurso, durante o qual se destacou o carinho e a amizade pela RTUB e pela Tôna Tuna. Terminou com a atuação da Tôna Tuna e a festa continuou no bar "Vitória".
 
No sábado, as tunas foram chegando para um almoço animado, realizando de seguida um rally-tascas durante o qual concorreram ao prémio de Melhor Pasacalles, em vários pontos da cidade, terminando no jantar.
 
O espetáculo principal decorreu no Teatro Municipal de Bragança, com a sala quase cheia. De destacar o trabalho dos técnicos de som, que proporcionaram uma boa qualidade sonora nas actuações dos vários grupos.
 
O pano abriu com a banda "Os Navegadores", constituída por bateria, guitarra eléctrica, baixo eléctrico, violoncelo e vocalista, interpretando um tema original.
 
A Real Tuna Universitária de Bragança subiu a palco com dois temas originais, estrearam "Esta Tuna", e "Favaios", o Hino da bebida mais famosa de Trás-os-Montes.
 
A primeira tuna a concurso da noite veio em tons de verde, directamente da "Veneza portuguesa" - a Tuna Feminina da Associação Académica da Universidade de Aveiro. Iniciaram com dois originais: "Ria Sentida" e o Instrumental "Capa Negra". Seguiram na voz animada da solista em "Maria", "Hoy" de Glória Stefan e "Escadas de Luar". De destacar a diversidade do repertório e a excelente postura da Porta-Estandarte.
 
Da "Bila", em azul e laranja, veio, logo de seguida, a Vibratuna - Tuna Feminina da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Apresentaram o instrumental original "Revolução", "O conto" e "Altiva Vila". A solista brilhou no tema "Não hesitava um segundo" de Ana Moura, terminando com "Alé UTAD". Em toda a actuação se destacaram os esquemas de pandeiretas, muitos coordenados e graciosos.
 
A Miniatuna - Tuna Feminina do ISAG, foi a seguinte, vindas da Cidade Invicta. Começaram com uma sonoridade muito animada no tema "Feira de Castro" de Mariza, seguiram com "Sinfonia do Álcool" original da Copituna D'Oppidana e "Esboça um sorriso". Findaram com romantismo em "Prisioneiro" e a animada "De colores".
 
A última tuna a concurso veio da Capital - a Barítuna - Tuna Feminina da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Apresentaram um repertório de originais, com a particularidade de terem sido as caloiras a apresentarem as músicas, à capella, sem microfone, com covers, cujas letras foram feitas por elas. Iniciaram com "Tunante até morrer", "Capas traçadas", "Hino Novo". A solista interpretou "Te cantare", e terminaram com "Hino Velho" e o Grito Académico.
 
Para finalizar o espetáculo, as anfitriãs - Tôna Tuna, deliciaram a todos com um repertório muito animado. Interpretaram "Somos Nós" e o Instrumental baseado em Temas do "Fantasma da Ópera", onde se destacaram os esquemas de pandeiretas. Continuaram com "Mósica da Muski", um tema que foi escolhido por votação na sua página do Facebook. Após chamarem as "Leigas" a palco e algumas entidades importantes, cantaram "Saudade", terminando com o tema de Apresentação do Capote, na sonoridade de "Fon-fon-fon", dos Deolinda.
 
O júri do Certame, constituído por individualidades ligadas à músicas e ao mundo Tunante, foi composto por: Chéu, Samuel Sequeira, Mário Cardoso, Catarina Santos e Bruno Serra. Após deliberação, atribuíram os prémios de palco, da seguinte forma:
 
Melhor Pandeireta: Vibratuna
Melhor Estandarte: Tuna Feminina da Associação Académica de Aveiro
Melhor Solista: Vibratuna
Melhor Instrumental: Vibratuna
Menção Honrosa: Barítuna
Melhor Tuna: Vibratuna
 
A organização atribuiu os prémios de:
Melhor Pasacalles: Miniatuna
Tuna mais Tuna: Barítuna

 

A festa continuou animada por alguns bares e discotecas da cidade, terminando no Almoço de Domingo, no Centro Académico do Instituto Politécnico de Bragança.


O Portugaltunas agradece à Tôna Tuna toda a ajuda, e parabeniza-as pela excelente organização de mais um CAPOTE. Venha o próximo.
 

by Kati

Parceiros