Portugaltunas - Tunas de Portugal

A caminho do Nono Ano Editorial.....
/5 ( votos)

A caminho do Nono Ano Editorial.....

..e O Renovar Do Compromisso De 2003....

Não é nosso apanágio fazer auto-análise. De todo. Mas este é porventura, um momento apropriado a tal. Assim o sentimos.


É particularmente reconfortante verificar-se, mesmo em tempos onde as redes sociais fazem valer o seu peso e, por conseguinte, impondo mais do que regras, hábitos de navegação em linha, a capital predominância da qualidade de conteúdos face à forma de disseminação das mesmas. De facto - e para lá de ser para nós uma certeza e desde sempre - o conteúdo é sempre mais importante que a forma, pois é o mesmo conteúdo que define - ou não - a missão de quem se propõe a algo - seja quem seja - e, no caso, quem se propõe a formar e a informar; foi, é e será esta a nossa proposta.

 

Como tal, um conteúdo efectivamente pertinente para o todo da comunidade, onde a mesma se revê, se espelha e nela procura até respostas mais concretas a algumas duvidas, é sempre a mais valia, o apport, o plus, de quem aposta claramente no que está dentro do embrulho, seja esse embrulho mais ou menos moderno, recente, twittado ou facebookado. O PortugalTunas quando nasceu em 2003, pequeno, frágil mas propondo-se a uma objectiva missão, não tinha - como hoje objectivamente não tem ainda - concorrência, que tanta falta lhe faz; Nasceu antes, bem antes, do hoje defunto Hi5 (p.ex.) e combateu estoicamente com os canais de IRC que existiam, "ganhando" em toda a linha essa aposta que fez, à época, mesmo que tal tenha implicado a migração da imaturidade na comunicação intra-tuneril de então para o fórum do PTunas, nesse tempo uma espécie de batalha campal entre utilizadores (ou tunas até) onde os moderadores tinham de intervir várias vezes ao dia para repor a ordem na "casa", não isentos de um ou outro insulto até....Mas em vão: Cá estamos. Sem likes mas com muitos hits por dia, semana, mês e ano.....e anos....

 

Hoje, têm-se a clara noção que mais do que as batalhas se darem noutros recintos que não este (desconhecemos se sim, se não, é-nos igual), provavelmente aqui não se encontra espaço para tais refregas, o que equivale a dizer-se que a maturidade internautica tuneril - e no que ao PortugalTunas diz respeito - está devidamente segmentada, interessando somente o que aqui se passa a quem, realmente, está interessado por este meio tuneril - e não somente no seu umbigo ou, mais nesciamente, em criar barafunda estéril e pueril. Não, não é um discurso corrosivamente maniqueísta mas antes - e sim, claramente assumido - de saudável e suave segmentação de mercado, a que o PortugalTunas nunca se furtou, deve-se realçar, conforme a sua "Constituição" (entenda-se Linha Editorial) desde sempre consagrou, até.

 

Por essa mesma razão é que não cedemos a modas, a tentativas de subversão do paradigma, ao travestir da tuna estudantil portuguesa. Como não cedemos aos que julgam (julgavam, espera-se para bem dos mesmos...) que por serem X ou Y poderiam, com isso, "influenciar". Como não cedemos a ninguém naquele caminho que é o nosso, sempre ao encontro porém, do equilíbrio saudável mas sensível e melindroso que existe na relação entre facto e notícia; em tunas, então, o melindre sempre foi algo que roçou o letal; temos sabido lidar com tais pruridos de forma digna mas firme.

Cremos nós, PortugalTunas, ter - e continuamos a ter - papel fundamental para a mais que necessária relativização e consequente maturidade que julgamos, hoje, existir no seio tuneril nacional, que na antecâmara dos 30 anos da sua refundação começa a dar claros sinais de maioridade mental. E aqui, assumimos, temos a nossa quota-parte de responsabilidade, passamos a imodéstia. Não seria possível, de todo, sem que desse lugar a tremenda confusão, fazer-se há 10 anos atrás como hoje se faz por exemplo, criticas a trabalhos discográficos de tunas ou então tomadas de posição públicas face aos desmandos de alguns ditos praxistas e quanto a tunas; hoje, faz-se tal, sem problema algum, sem que tal signifique um dos piores dos vícios de que este nosso mundo enfermou: Incapacidade total em lidar com a critica.

 

Hoje, em vésperas de comemorar a passagem do Nono Ano Editorial em linha, será, porventura, a melhor das constatações que poderíamos ter, perceber que contribuímos para a elevação da maturidade daqueles que se interessam realmente pelo todo do fenómeno (e não somente com o seu umbigo ou ego tuneril desmesurado). A melhor prenda que nos poderiam dar neste aniversário? Concorrência.

 

Parabéns a vós! E até Coimbra!!!!!!!!!!

 

P.S.- Saúdo nesta ocasião as duas novas aquisições para a Equipa do Portugaltunas: Jean Pierre Silva e Marta Costa, que irão seguramente dar o seu contributo na senda da nossa missão. Bem Vindos!

 

 

RT
Administrador e Director de Informação

 

 

 

 

Parceiros