Portugaltunas - Tunas de Portugal

FITUCB 2016 - 10º Festival Internacional de Tunas Universitárias de Castelo Branco
/5 ( votos)

FITUCB 2016 - 10º Festival Internacional de Tunas Universitárias de Castelo Branco

A Reportagem

FITUCB 2016

O FITUCB edição número 10 foi o culminar das festividades do 10.º aniversário da  Estudantina Académica de Castelo Branco. Uma página na história da EACB que ficou escrita da melhor forma possível, com mais um exemplar festival onde a boa disposição e convívio entre as tunas, a academia e a população albicastrense imperou.

Sexta-feira dia 11 de Novembro, numa noite fria de outono, abriram-se as cortinas do 10.º FITUCB uma noite marcada pela diversidade musical, com grupos convidados para além das tunas a concurso, que mais uma vez decorreu na Igreja de Santa Maria do Castelo. 

Já com a igreja repleta de calor humano dos albicastrenses deu-se início à noite de serenatas, com o primeiro grupo a subir ao altar a ser a TUSALBI – Tuna da Universidade Sénior Albicastrense, afilhados da EACB, interpretaram “Milho Verde com cheirinho a Laranjeira” duas cantigas do cancioneiro tradicional da Beira Baixa, “Ferreiro” também um tema tradicional do cancioneiro português, “Canção da Saudade” um tema tradicional da Ilha de São Jorge e terminaram com um medley de músicas tradicionais da Raia de Idanha – a – Nova “Rapsódia Raiana”, em seguida foi a vez da TUSALD – Real Tuna Académica da Escola de Saúde Dr. Lopes Dias que interpretou os temas “Serenata do Sonhador” um original TUSALD, “Vejam Bem” de José “Zeca” Afonso e mais um original “É por ti”, sem mais demoras foi a vez da Artintuna Copitusa – Tuna Masculina da Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco que interpretaram dois temas originais, “Só te quero amar” e “Serenata ao Luar”, seguidamente foi a vez das meninas da TFA – Tuna Feminina Albicastrense mostrarem o seu melhor interpretando os temas “O Sonho” do grupo Madredeus e o tema original “Caminho de Santiago”. Para finalizar as atuações dos grupos extra – concurso subiram ao altar os Rubra Magna – Grupo de Fados da Estudantina Académica de Castelo Branco que ao bom jeito do fado interpretaram os temas “Terra de pó e vento” tema instrumental de Custódio Castelo, “Que amor não me engana” de José “Zeca” Afonso, “Fado do Estudante” de José Galhardo, Raúl Ferrão e Raúl Portela, “Fama de Alfama” de Francisco Radamanto, Conde Sobral e Mário José Lopes e terminaram com “Maria” de Antero de Quental e José Marques (Piscalareta).

Chegou então a vez das tunas a concurso subirem ao altar, a primeira tuna foi a TAIPCA – Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado Ave, que interpretou os temas “Cantar-te um poema” original TAIPCA e “Zorro” de João Monge e João Gil, a segunda tuna a  tomar o lugar foi a Luz&Tuna – Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa que interpretou os temas “Nunca Mais” original Luz&Tuna e “Serenata ao Luar” de Alves Coelho Filho, seguidamente e acabados de sair do autocarro, subiu ao altar a Azeituna – Tuna de Ciências da Universidade do Minho que interpretou os temas “Só gosto de ti” do grupo Heróis do Mar, “Bairro do Oriente” de Rui Veloso e “Canção do Beijinho” de Carlos Paião e Herman José, chegou assim a vez da última tuna a concurso fazer a sua passagem pelo altar da igreja, a TUCP – Tuna da Universidade Católica Portuguesa do Porto que interpretou o tema latino “Despierta” e o tema de Jerónimo  Bragança e Nóbrega e Sousa “Ai se os meus olhos falassem”.

Findas as atuações, a diversão e partilha de cultura e espírito académico, continuou na área envolvente da igreja seguindo depois noite dentro na discoteca “Alternativa”.
Depois de uma noite de diversão que já só terminou com o nascer do dia (para alguns), eis que chegou o grande dia, sábado dia 12 de novembro, começou com uma jeropiga de honra que contou com a presença, para além de todas as tunas convidadas e a anfitriã, do Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Castelo Branco, Professor Doutor Fernando Raposo e o Presidente da Junta de Freguesia de Castelo Branco Engenheiro Jorge Neves, que fizeram ressalvar a importância que o FITUCB tem cada vez mais na cultura da sociedade albicastrense.

Depois de uma tarde descansada onde os tunos puderam disfrutar da beleza do centro cívico da Cidade de Castelo Branco, chega a hora de se iniciar o espetáculo. Por volta das 21 horas as portas do Cine-Teatro Avenida abriram-se para deixar entrar a população que esperava ansiosa pelo espetáculo que se iniciou por volta das 21:40 horas com uma tuna extra – concurso, a Artintuna Copitusa – Tuna Masculina da Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco, que com 28 elementos, interpretou três temas, “Lisboa Mulata” do grupo Dead Combo, “Pásion” de Rodrigo Leão e o original “Artintuna Vem Ver”. 

Começaram então as intervenções das tunas a concurso, sendo a primeira a subir ao palco a Azeituna – Tuna de Ciências da Universidade do Minho que com o seu estilo sempre descontraído, já conhecido no meio tunante, e 19 elementos em palco interpretaram “Andanças” tema instrumental original e “Dá-me lume” de Jorge Palma, “Suevos” original Azeituna, “Asa Branca” de Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga e “A Minha Música” de José Cid.

A segunda tuna a concurso a subir a palco foi a Luz&Tuna – Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa que com 24 elementos presenteou a plateia bem constituída do Cine-Teatro Avenida com os temas “Menino do Bairro Negro” de José “Zeca” Afonso, “É de Lisboa” de António José e Lídia Lurdes da Costa, o tema instrumental “Variações em Ré Menor” de Fontes Rocha, “Senhores da Guerra” do grupo Madredeus e terminaram com o original “Canta Lisboa”.

Depois de um intervalo de quinze minutos, durante o qual a plateia se pôde hidratar e levantar um pouco, entra a terceira tuna a concurso, a TAIPCA – Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado Ave, que trazendo 27 elementos da cidade de Barcelos interpretaram “O Galo é o Dono dos Ovos” de Sérgio Godinho, o original “Nobre Lenda” e o seu tema instrumental também original “Origens”, “Barca dos Amantes” do grupo Trovante e terminaram com “Eu não Sou Poeta” de Carlos Paião e “No dia em que o Rei fez anos” de José Cid.

Chegou então a vez da última tuna a concurso subir ao palco do Cine-Teatro Avenida, a TUCP – Tuna da Universidade Católica Portuguesa do Porto que com 21 elementos executaram os temas, “Desfolhada Portuguesa” de Ary dos Santos e Nuno Nazareth Fernandes, “Um Beijo de Saudade” de Francisco Xavier Cruz (B.Leza), tema instrumental “Barbeiro de Sevilha” de Gioachino Rossini, “Maria Lisboa” de David Mourão Ferreira e Alain Oulman e “La Cartera” de Carlos Vives e Andrés Castro. 

Terminadas as atuações das tunas a concurso, o Júri retirou-se para deliberar e discutir os resultados, enquanto isso, a tuna anfitriã, a Esrudantina Académica de Castelo Branco que com 35 elementos presentearam a população da sua cidade com o seu tema instrumental “Balalaikas” do grupo Anaquim, “Adeus que me vou embora” de António Variações e já com os estudantinos reformados em palco, terminaram com um medley de originais “Medley da Estudantina” que contém os temas “Fado do Vinho”, “Variações Albicastrenses em Lá Menor”, “Estudante”, “Amanhecer”, “Minha Ilusão” e “É por ti que eu canto”, o hino da Estudantina Académica de Castelo Branco.

Com o espetáculo a caminhar para o fim, chegou a altura da entrega dos prémios, que foram deliberados e atribuídos pelo seguinte júri:

Gil Duarte – Ensaiador da Estudantina Académica de Castelo Branco
Armando Pereira – Membro da Tuna Universitária do Porto
Tiago Almeida – Membro da Copituna d`Oppidana – Tuna Académica da Guarda
Francisco Oliveira – Membro do Real Tunel Académico de Viseu
Nuno Maricato – Membro da Imperial Neptuna da Figueira da Foz

Que atribuíram os seguintes prémios:

Melhor Tema Original - Luz&Tuna – Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa
Melhor Pandeireta - TAIPCA – Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado Ave
Melhor Porta-estandarte - Prémio Rui "Truta" Gil - TUCP – Tuna da Universidade Católica Portuguesa do Porto
Melhor Solista - Luz&Tuna – Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa
Melhor Instrumental - Luz&Tuna – Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa

2.ª Melhor Tuna- Azeituna – Tuna de Ciências da Universidade do Minho
Melhor Tuna - Luz&Tuna – Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa

Foram também atribuidos:

Melhor Serenata (atribuido pelas guias): TAIPCA – Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado Ave
Tuna mais Tuna (atribuido pela EACB) - TAIPCA – Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado Ave

Entregues os prémios, a diversão e companheirismo tunante, continuou noite dentro na Discoteca ”Alternativa” onde foi anunciado o vencedor do Tuna mais Tuna.

Chega ao fim a 10.ª edição do FITUCB – Festival de Tunas Universitárias de Castelo Branco edição de 2016, o culminar dos 10 anos da Estudantina Académica de Castelo Branco, uma data marcante que o Portugaltunas deseja que se transformem em muitos mais anos, sempre com o mesmo espírito de sacrifício, companheirismo e essencialmente muito espírito académico, sempre tocando e cantando boa música, encantando todos os cantos de Portugal e do Mundo.

Nota: Apenas referir o atraso em demasia que se verificou na noite de serenatas, levando ao aborrecimento de algumas pessoas na plateia da igreja e o seu término se ter verificado um pouco tarde, tendo em consideração as condições climatéricas que se faziam sentir dentro do monumento albicastrense. Uma pequena nota também para as tunas a concurso, alertando-as da importância de estarem presentes à hora que lhes é solicitado, garantindo assim um bom funcionamento do Festival e cumprimento dos horários estipulados pela organização.

Parceiros