Portugaltunas - Tunas de Portugal

FITUCB 2012 - Reportagem
/5 ( votos)

FITUCB 2012 - Reportagem

TUCP Vence FITUCB 2012

O FITUCB é, para quem já o conhece, um sinónimo de festa, alegria e arte de saber receber. Foi precisamente neste clima que decorreu a sua mais recente edição, a 6.ª, nos passados dias 9, 10 e 11 na cidade de Castelo Branco, com organização da Estudantina Académica de Castelo Branco (EACB).

Assim, o Festival Internacional de Tunas Universitárias de Castelo Branco teve o seu início oficioso na noite de 5.ª feira, com a chegada (madrugada dentro) da Estudantina Académica da Madeira. No dia seguinte, 6.ª feira, foram-se juntando as restantes tunas convidadas na cantina da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Castelo Branco. De seguida, as tunas foram transportadas para a Igreja de Santa Maria do Castelo onde, à semelhança do ano anterior, teve lugar o concurso de serenatas. Há que salientar a participação, em estreia, da Tuna Académica de Portalegre (extra-concurso) que com temas como "Alma de Poeta" e "Sinos de S.Lourenço" mostraram que são um projecto com futuro. É de referir, ainda, a ausência da Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto na serenata que, apesar dos esforços evidenciados e tendo avisado a organização de tal facto, não chegou a tempo. A festa prosseguiu nas imediações do local da serenata, tendo continuado noite dentro na discoteca Kimika.

Sábado, o dia começou com o almoço no Centro Comercial Allegro, seguindo-se a já tradicional recepção no Cine-Teatro Avenida com a presença da Dr.ª Cristina Granada (Vereadora da Cultura), das tunas a concurso e extra-concurso (lamentando-se a ausência da Tuna de Derecho de Valladolid) e de alguns amigos da tuna anfitriã, como é hábito nesta circunstância. Após uma pequena actuação das tunas presentes e da degustação da Jeropiga de Honra, as tunas que assim o desejaram tiveram oportunidade de realizar teste de som, enquanto cá fora continuava o convívio, a música e a troca de experiências, seguindo-se o jantar novamente na cantina da ESE-IPCB.

Cerca de meia hora após o previsto, e com o auditório apenas a meio-gás, os dois apresentadores de serviço da Estudantina Académica de Castelo Branco iniciaram a sua tarefa de apresentar as tunas, proporcionando momentos de humor e boa disposição às pessoas presentes.
A primeira tuna a subir a palco foi a Tuna da USALBI (Universidade Sénior Albicastrense). Com os temas "Ciranda" e "Maria Faia", os seus elementos mostraram muita dedicação e trabalho na actuação, presenteando o público com jovialidade e sobretudo muita vontade.

De seguida, foi a vez da Estudantina Académica da Madeira abrir as hostes das tunas a concurso. Com 19 elementos em palco, iniciaram a sua actuação com "Pescador", um original precedido da declamação de um poema, ambos dedicados às pessoas que fazem do mar a sua profissão. O seu espectáculo prosseguiu com "Funchal de Verde Manto" e com a serenata "Alma", um tema de solista que a Estudantina fez questão de tocar novamente nesta noite (e o público retribuiu com muitos aplausos), ambos igualmente temas originais. "Júlia Florista" e "Onde Vais Rio que Eu Canto" foram os temas que se seguiram, tendo a tuna insular terminado a sua prestação com "Estudantina Passa". Há que destacar, em particular, a prestação dos seus porta-estandartes; salienta-se, ainda, a qualidade dos seus temas originais e dos arranjos vocais, que saíram francamente prejudicados pela (fraca) qualidade do som.

De Setúbal, chegou a segunda tuna a concurso da noite. A ESTuna - Tuna de Engenharia da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal apresentou-se com 24 elementos em palco e iniciou a sua actuação com o tema "Vida de Tuno", prosseguindo com o tema "Outra Vez". De seguida, foi a vez das senhoras da sala serem brindadas com o tema de serenata "Quando os Teus Olhos Tocam os Meus", tendo a ESTuna dedicado a sua "Cábula de ESTuno" à tuna anfitriã. A actuação prosseguiu ainda com o tema "Janela para o Mar", terminando com o seu FRA. Com muito humor e boa disposição, a ESTuna proporcionou uma actuação muito animada à plateia, do princípio ao fim.

A finalizar a primeira parte, da vizinha Espanha, apresentou-se a Tuna de Derecho de Valladolid. Com 25 elementos (dos quais 12 caloiros, muitos dos quais sem qualquer prestação em palco instrumental ou vocal), iniciaram a sua actuação com "Vallisoletana", prosseguindo com "Madrigal", que dedicaram às mulheres presentes na sala, em jeito de serenata. "Tuna Compostelana" foi o conhecido pasodoble que se seguiu, dando lugar ao tema "O Mari", onde o seu solista arrancou fortes aplausos ao público presente. A simpatiquíssima tuna terminou a sua actuação com o tema "Guapa, Guapa, Guapa". Uma actuação ao típico estilo castelhano, com um excelente solista e muito humor à mistura, sobretudo em traduções castelhano-português muito sui generis.

Após um curto intervalo, onde foi possível presenciar um saudável convívio entre os presentes, foi a vez da Tuna de Veteranos de la Coruña apresentar o seu espectáculo, como tuna extra-concurso. Com 12 elementos, e num estilo - talvez para muitos - pouco conhecido, iniciou a sua actuação acompanhada pelo público com "La Bamba", prosseguindo para o conhecido tema "Maria, La Portuguesa". "Luna de Miel" foi a interpretação que se seguiu, prosseguindo uma belíssima interpretação de "El Dia Que Me Quieres". Houve ainda tempo para "Deja que Salga la Luna" e para uma excelente versão, em Português, da "Madalena", com o público ao rubro, terminando com "Adios Amigos". Uma excelente actuação com enorme qualidade musical e muito acarinhada pelo público.

Da capital, e prosseguindo com as tunas a concurso, veio a Luz&Tuna - Tuna da Universidade Lusíada de Lisboa. Com 30 elementos em palco, iniciaram o seu espectáculo com o seu mais recente tema, "A Guerra é a Guerra", estreado uma semana antes em Guimarães. De seguida, presentearam o público com uma belíssima versão de "Zorro", para deslumbrar logo a seguir com o instrumental "Variações em Ré Menor", onde os seus bandolins foram impressionantes na execução deste tema. A tuna prosseguiu a sua actuação com aquele que é, talvez, o seu maior ex-libris "Senhores da Guerra", terminando a sua prestação com o original "Canta Lisboa". Uma actuação de grande qualidade, com destaque para os seus porta-estandartes e para os arranjos vocais e instrumentais, também estes prejudicados pelo som.

A finalizar o lote de tunas a concurso, apresentou-se com 28 elementos a Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto. Iniciaram a sua prestação com um fortíssimo "Novillero soy/Torero Quiero Ser", brilhando o seu solista, pandeiretas e estandartes. "Oração", de António Calvário, foi o tema de solista que se seguiu, precedendo o instrumental: um excerto da abertura do "Barbeiro de Sevilha", auxiliado pelo seu "maestro". "Maria Lisboa" e o seu já famoso solo de pandeiretas deu continuidade à actuação, terminando a mesma com "Mi Tierra", onde solistas e percussionistas quase convidaram o público a dançar. Uma actuação muito completa e de enorme qualidade, ainda que também ela (aqui e ali) prejudicada pelo som.

Enquanto o júri deliberou, foi a vez da Estudantina Académica de Castelo Branco subir a palco e actuar para o seu público. Com cerca de 40 elementos em palco, iniciou a sua prestação com "A Morte Saiu à Rua", tendo prosseguido (já com a presença dos seus elementos mais antigos) para o tema que jamais podia faltar nesta noite, "Minha Ilusão". Porém, a música trazia consigo uma surpresa, no mínimo original, uma vez que, a meio do tema, um tuno foi pedido em casamento pela respectiva namorada. Após o sim do noivo e o término da serenata, a EACB interpretou o seu hino "É Por Ti que Eu Canto". Pelo meio, os tradicionais agradecimentos a todos quantos tornaram possível pôr de pé esta edição do FITUCB e a todos os que, de alguma forma, apoiam a EACB ao longo destes anos.

A entrega de prémios, que teve lugar a seguir, foi da responsabilidade do júri constituído por:

Bruno Serra - Membro da Real Tuna Universitária de Bragança
João Freitas - Membro da Bruna - Tuna Universitária da Figueira da Foz
Ricardo Machaz - Membro da Castra Leuca - Tuna Académica Masculina do IPCB
Tiago Almeida - Membro da Copituna d'Oppidana - Tuna Académica da Guarda e do Real Tunel Académico - Tuna Universitária de Viseu
Vítor Ávila - Membro da Estudantina Académica de Castelo Branco e da Artintuna Copitusa - Tuna da Escola Superior de Artes Aplicadas do IPCB

Tendo este deliberando que:

Melhor Pandeireta - Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto
Melhor Estandarte - Luz&Tuna - Tuna Masculina da Universidade Lusíada de Lisboa
Melhor Instrumental - Luz&Tuna - Tuna Masculina da Universidade Lusíada de Lisboa
Melhor Solista - Tuna de Derecho de Valladolid
Melhor Original - Luz&Tuna - Tuna Masculina da Universidade Lusíada de Lisboa
2.ª Melhor Tuna - Luz&Tuna - Tuna Masculina da Universidade Lusíada de Lisboa
Melhor Tuna - Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto

As guias atribuíram ainda o prémio de Melhor Serenata, disputado na noite anterior, à Estudantina Académica da Madeira, tendo a ESTuna - Tuna de Engenharia da Escola Superior de Tecnologia de Setúbal arrecadado o prémio de Tuna mais Tuna atribuído pela organização.

A festa prosseguiu noite dentro na discoteca Repúblika, prosseguindo para Tasca da Estação e directamente para o almoço, na sede do Sport Benfica e Castelo Branco. Já o sol se tinha posto na tarde de Domingo e ainda alguns tunos continuavam a festa por terras albicastrenses...

O mais:
- a diversidade de estilos das tunas presentes, proporcionando ao público actuações bastante diversificadas e de grande qualidade;
- o convívio entre as tunas presentes, entre si e com o público em geral;
- a organização da EACB, que procurou sempre garantir que nada faltasse a ninguém, resolvendo prontamente qualquer problema que surgisse.

O menos:
- a ausência de algumas tunas nalguns momentos oficiais do programa, já anteriormente mencionada;
- a fraca adesão do público albicastrense ao espectáculo, nomeadamente no Sábado;
- o som. Este foi, infelizmente, o aspecto mais penalizador de todo o certame. É um tanto ou quanto incompreensível que todos os ajustamentos feitos em mais de três horas de teste de som tenham resultado em microfones pouco amplificados, com perda de pormenores (e "pormaiores"...) vocais e instrumentais delineados horas antes, bem como solos, apresentações e declamações sem amplificação, que acabaram por prejudicar a prestação de todas as tunas que passaram pelo palco do FITUCB. Um aspecto a rever, prioritariamente, na próxima edição.

O Portugaltunas agradece toda a disponibilidade que a EACB sempre teve para com o portal e para a cobertura deste evento em particular, desejando a continuação de um excelente trabalho.

Até para o ano!

Nota: A BeiraTV disponibilizou o stream do festival, não sendo o mesmo da responsabilidade do Portugaltunas. Pode ser acedido em http://www.ustream.tv/recorded/26892956

Parceiros