Portugaltunas - Tunas de Portugal

Festa Ibérica 2010: A Reportagem
/5 ( votos)

Festa Ibérica 2010: A Reportagem

A Reportagem

 

Decorreu no passado fim-de-semana, nos dias 7 e 8 de Maio, no Teatro de Vila Real, mais uma edição do Festa Ibérica, da responsabilidade da Transmontuna, edição esta com o background temático o “Farwest” e toda a iconografia inerente ao tema.

O certame abriu na sexta-feira com a participação da anfitriã Transmontuna, apresentando-se com cerca de 40 elementos, que tocou o seu instrumental e ainda o tema “Eterna Cidade” dando o mote para a noite que se seguiu.

A 1ª surpresa do evento deste ano residiu na “ressurreição” da TAUTAD, a Tuna Académica da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, grupo misto fundado em idos de 1983 e que agora, com novel formação, ressurge no panorama, com a sua tradicional Capa de Honras e outros elementos típicos desta Tuna. Uma actuação que contou com cerca de 30 elementos em palco mas com apenas 9 elementos a tocar, que revelou muita vontade mas igualmente muito trabalho ainda pela frente. Entre alguns temas destacou-se o seu conhecido “Pelas Vielas”.

Começando a parte competitiva do evento, a Tuna Académica da Universidade Lusíada do Porto apresentou-se com cerca de 19 elementos em palco e uma caixa com mensagens luminosas que ia “respondendo” às perguntas pertinentes do apresentador de serviço. Desfilou temas como sendo “Xácara as Bruxas Dançando”, o instrumental “Tico Tico no Fubá”, “Ilha” e uma nova versão do original “Invicta”, numa actuação dentro do normal, penalizada apenas aquando da execução do seu instrumental por alguma dessincronização – ailás, o que ocorreu com outras tunas presentes nas duas noites.

De seguida apresentou-se a Tuna de Tecnologias da Saúde – Porto, que iniciou a sua actuação com um potente e cubaníssimo “Ran Kan Kan” de Tito Puentes, seguido de “Movimento Perpétuo Associativo” passando por “madrugada” e por uma feliz versão dedicada ao certame de “Porto Covo”, terminando com “Oxalá”. Uma Tuna animada e que mostrou bons argumentos com os seus bandeiras e pandeiretas, mormente a demasiada extensão da actuação.

A TUSA – Tuna Universitas Scientarium Agrariarum  - apresentou-se com cerca de 30 elementos em palco, desfilando os seguintes temas, todos eles originais, “Amor distante”, “Cidade de Estudante”, “Já não é a primeira vez que me enganas” (instrumental) ou ainda “Cowboy da Meia Noite” Sobressaiu a alegria e originalidade dos temas, o seu tema instrumental e a componente cenográfica  Terminaram com uma brincadeira para o público com o tema "Everybody was Kung Fu Fighting" nos speaker´s.

A finalizar a 1ª noite, surge o Real Tunel Académico – Tuna Universitária de Viseu, com cerca de 30 elementos, apresentando o repertório “Abre Tuna”, “Rua Escura n. 43” o instrumental “Trilhos” , “Viseu Terra Nobre”, “Nostalgia” e “Homenagem a Hilário”, temas com qualidade harmónica e pujança vocal, para lá de um excelente tema instrumental., faltando quiçá mais presença de pandeiretas e Estandarte. Uma actuação ao nível do que esta Tuna nos acostumou.

A 2ª noite começa com a Tintuna – Tuna da Egas Moniz apresentou-se com cerca de 25 elementos em cenário, tocando temas como “Menina das Sete Saias”, “Noites de Luar”, “Barca dos Amantes”, “Nini” e ainda “Guitarra toca Baixinho”, tema de solista e “Siga a Marinha”, numa actuação dentro do normal que pecou pelas piadas entre temas de algum gosto discutível e pela extensão da actuação.

De Espanha, a Tuna de Magistério de Ávila que, apesar de se apresentar com cerca de 9 elementos em palco manteve a animação da sua actuação, chegando ao público com a sua “tradução simultânea” e à vontade mas não passando daí. Temas como “Silêncio”, “Viajerita” (ou “Viajera”), “Recuerdos Bolivianos”, “Se Marcha la Ronda” ou ainda “Barrio Brujo” desfilaram pelas mãos da esforçada e animada Tuna de Magistério de Ávila, que homenagearam em palco as suas 3 guias.

A noite prosseguiu com mais uma surpresa, a actuação da Vibratuna – Tuna Feminina da UTAD, que, aparentando um nervoso miúdo compreensível mostraram apesar da sua jovialidade um futuro promissor, principalmente a nível vocal, com destaque para o tema “Sem Ti”. Uma surpresa agradável nesta noite.

A última Tuna a concurso, a Estudantina Académica do ISEL, apresentou-se com um espectáculo muito coerente e que mostra o trabalho que esta ultimamente tem vindo a realizar. “Silêncio e tanta gente” de Maria Guinot, “Gaivota”, o fantástico instrumental “História da Música”, “Rua do Gato Preto”, “Lisboa Rainha do Mar” e o seu “Hino” deram corpo à actuação da EAISEL que definitivamente fica marcada pelo seu tema instrumental, um autêntico “ovo de Colombo” e pela apresentação em palco de 10 (!?) pandeiretas.

Encerrou a noite a Transmontuna, com um novo tema original "Entre os Montes", "Munequita Linda", com a ovação costumeira e terminando com o hino, seguido do seu habitual grito, dando assim tempo ao Jurado para deliberar o seguinte veredicto:

Melhor Pasacalles: Real Tunel Académico - Tuna Universitária de Viseu

Melhor Instrumental: Estudantina Académica do ISEL

Melhor Pandeireta: Estudantina Académica do ISEL

Melhor Bandeira: T.U.S.A

Melhor Original: T.U.S.A.

Melhos Solista: Tintuna

Tuno + Tunanteador: Migas (Tuna T.S.)

3ª Melhor Tuna: Estudantina Académica do ISEL

2ª Melhor Tuna: Tuna Tecnologias da Saúde Porto - T.S.

Melhor Tuna: T.U.S.A.

Grande Prémio Festa Ibérica: T.U.S.A.

O “Mais”: As apresentações das Tunas em vídeo-hall, extremamente bem conseguidas, com as portas do “saloon” a abrirem-se a cada Tuna que actuava, com o nome e brasão de cada uma num dos quadros colocados na parede do “saloon” virtual, um “must”; Algumas das apresentações dos G.A.I.J.U.S foram soberbas, com destaque para as referentes ao Reitor da UTAD.

O “Menos”: Alguns tempos mortos entre Tunas, deixando o pano fechado demasiado tempo, o que prejudicou o ritmo do espectáculo; Algumas apresentações pelas mãos dos seus respectivos apresentadores de Tuna deixaram a desejar, havendo algumas “piadas” perfeitamente escusadas por excessivas; Algumas Tunas excederam largamente o tempo de actuação que lhes cabia; Muitas bandeiras e poucos estandartes.

Agradecer finalmente ao Giga, da Organização deste Festa Ibérica, a colaboração para a elaboração desta reportagem - que somente se reporta às duas noites de palco, no entanto, sabemos ter o restante programa decorrido dentro do expectável.

 

Parceiros