Portugaltunas - Tunas de Portugal

Em Escuta
/5 ( votos)

Em Escuta

TU NA D'ESTES -

A "TU NA D'ESTES", que é uma Tuna Mista, proveniente de Coimbra, lançou, em Fevereiro de 2010, o seu CD, "Compromisso de um Tuno". Este trabalho apresenta 12 faixas. Fisicamente, apresenta uma caixa simples, minimalista, até, com a cor preta em fundo e a grafia a branco; libreto de 4 páginas apenas (capa, contracapa e o interior, com o historial da tuna na página da esquerda e a lista dos tunos na direita).


Na contracapa da caixa temos o elenco dos temas, ficha técnica e apoios.
Desde logo um reparo ao facto dos temas não serem acompanhados dos nomes dos respectivos autores, tendo em conta que são vários os que são adaptados (covers). Também não há letras dos temas originais, o que ajudaria na audição de alguns.

 

A primeira faixa é ocupada pelo "grito académico", pejado de "acrescentos" que, pessoalmente, só desvirtuam e delapidam o grito em si e onde, mais uma vez, está presente o erro "arriquá" (já nem em Coimbra se sabe como se faz), quando se devia pronunciar "Aliquá" (Vd. http://notasemelodias.blogspot.pt/2008/09/notas-sobre-o-grito-acadmico-fra.html).

 

A 2ª faixa tem o nome que dá o título ao CD, "Compromisso de um Tuno", onde se canta Coimbra, suas baladas, serenatas, amores e doutores.

 

A "Canção de Embalar", que ocupa a 3ª faixa é uma adaptação assaz interessante, pese embora ser interpretada num ritmo demasiado rápido e os arranjos vocais deixarem bastante a desejar (e, no entanto, o youtube está pejado de belas versões vocais, e os coros em causa certamente emprestariam partitura para servir de base). Seja como for, é, ainda assim, uma abordagem bem feita ao tema.

A faixa nº 4 é o "Fado português", numa interpretação mediana, mas onde brilha a voz da solista, que muito bem canta. Não querendo inspirar-se no fabuloso arranjo que a EUL tem deste tema, poderiam ter espreitado a versão do Coro Mozart de Viseu, no que toca à parte do coro que acompanha a solista. Imitar o que é bom não menoriza.

 

Em 5º lugar temos o "instrumental", que bem podia ter um nome. Não apresenta virtuosismos, mas é muitíssimo agradável de se ouvir, misturando a produção da tuna com o famoso "El Condor Passa" e o "Hoy Estoy Aqui", que foram moda há uns anos em diversas tunas, nomeadamente, por cá, na EUC. É, porventura, dos temas mais bem conseguidos deste trabalho discográfico.

O "Eterno Beijo" é uma canção de pendor amoroso, com Coimbra por pano de fundo. Mais uma vez, como ao longo deste CD se nota, há uma deficiente distribuição dos naipes vocais e as harmonias (arranjos vocais) nem sempre resultam, nomeadamente nesta faixa.

 

A faixa seguinte é dedicada à folia com os "copos" como protagonistas, tendo por título "Lenda de um copo", embora não se perceba onde está a "lenda".

 

Em nº 8 vem o "A quem queremos", um tema que expressa um grito de ensejo, num registo que relembra a música de intervenção. Nem sempre a dicção é suficientemente clara para se perceber, aqui e ali, toda a mensagem (lá está a falta que faz a capa/libreto conter as letras), contudo é um tema com bastante profundidade a merecer destaque por isso.

 

Segue-se o tema "Ressaca", repescado (e adaptado) da extinta tuna da UCP de Viseu, numa versão muito singular e bastante longe do original e, a meu ver, longe demais.

 

Na 10ª faixa temos a famosa "Balada do 5º Ano Jurídico", numa abordagem que se junta às tantas e tantas versões que o tema tem em outros tantos grupos. Um tema onde a TU Na D'ESTES está claramente melhor na abordagem instrumental do que na sua fraquíssima interpretação vocal (poderiam ter tentado ouvir, por exemplo, a versão do Coro Misto da UC) e onde a melodia original sofre algumas "voltas" que poderão deixar os mais puristas (e ao autores, nomeadamente) menos agradados.


Ainda um reparo, ao facto de faltar o título o ano da Balada, pois 5º anos jurídicos há muitos. Assim, o título correcto é "Balada do 5º Ano Jurídico 88/89", que tem como autores 2 ilustre tunos da nossa praça: João Paulo Sousa e António Vicente.

A faixa nº 11 contem o tema "Homenzinho", É uma simpática visita ao imaginário do conto popular, uma estória bem contada, que podia ter sido cantada num ritmo um pouco mais pausado. É, também ele, um dos temas mais bem conseguidos deste CD. Existe algum desequilíbrio nos volumes entre os 3 naipes vocais o que torna por vezes agressivas certas partes.

 

Finda este CD o tema "Coimbra é um Lição (também designado apenas por "Coimbra"), erradamente apelidado de "Coimbra do Choupal", onde o trabalho vocal, que é o grane calcanhar de Aquiles desta Tuna, deixa a desejar (um tema que existe já harmonizado para coros, e a quem poderiam ter pedido partitura, como ao Chorus CSD de Lisboa, pro exemplo) e onde algumas abordagens rítmicas em nada potenciam o tema, bem pelo contrário. A meio do tema, há tempo para um cheirinho de Astor Piazzolla com o "Libertango" bastante bem interpretado, embora depois o regresso ao "Coimbra é um Lição" não se faça numa transição muito conseguida, até pela nova alteração rítmica impressa ao tema.

 

Globalmente é um CD que considero bastante mediano e que vale essencialmente como repositório da história musical da Tu Na D'ESTES.

 

 Jean Pierre Silva


Parceiros