Portugaltunas - Tunas de Portugal

CELTA 2010
/5 ( votos)

CELTA 2010

A Reportagem Do XVII CELTA

 

"O XVII CELTA -Certame Lusitano de Tunas Académicas consagrou como ‘melhor tuna' a Magna Tuna Cartola de Aveiro. Organizado pela Azeituna -Tuna de Ciências da Universidade do Minho, o festival decorreu nas duas últimas noites, no salão principal do Theatro Circo.
A Magna Tuna Cartola de Aveiro levou ainda para casa o ‘Prémio Cinema', distinção inserida na temática que este ano esteve subjacente ao CELTA.

A TEUP -Tuna de Engenharia da Universidade do Porto foi considerada a ‘segunda melhor tuna'. Em terceiro lugar ficou a EUL - Estudantina Universitária de Lisboa.
A Tuna Universitária de Aveiro foi distinguida com o ‘melhor instrumental'.
O prémio ‘melhor solista' foi para a Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra.
A Tuna da Universidade Católica Portuguesa foi distinguida com a ‘melhor pandeireta'.
Finalmente, à Hinoportuna Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo coube a distinção para ‘melhor porta estandarte'.

Oito tunas a concurso

Este XVII CELTA contou com a actuação de oito as tunas a concurso, que durante duas noites esgotaram e animaram a maior casa de espectáculos bracarense, o Theatro Circo: Estudantina Universitária de Lisboa; Hinoportuna -Tuna Académica do Instituto Politécnico de Viana do Castelo; Magna Tuna Cartola de Aveiro; TEUP -Tuna de Engenharia da Universidade do Porto; TUA -Tuna Universitária de Aveiro; TUIST - Tuna Universitária do Instituto Superior Técnico; TMUC - Tuna de Medicina da Universidade de Coimbra; e Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto. Extra-concurso actuaram a Azeituna -Tuna de Ciências da Universidade do Minho e a Tuna Universitária do Minho.
Este XVII CELTA inspirou-se no cinema e promoveu noites "dignas de uma gala dos Óscares de Hollywood".

O tema do cinema inspirou as tunas participantes na apresentação do ser espectáculo com encenações, referências, alusões aos grandes clássicos da história do cinema. Com origem em 1993, o CELTA decorre sempre em Dezembro, um mês tradicionalmente pobre em eventos deste género. Desde o primeiro dia que este festival tenta trazer a Braga as melhores tunas nacionais, mas também algumas tunas menos conhecidas mas com muita qualidade musical.
A Azeituna assume que o CELTA se foi tornando um marco no panorama nacional de tunas, não só pela qualidade dos grupos participantes em casa edição, mas também pelo público que ano após anos enche as salas de espectáculos.

CELTA afirma-se como o melhor festival de tunas

Na recta final do XVII CELTA -Certame Lusitano de Tunas Académicas a organização faz um balanço claramente positivo do evento. Daniel Pereira, da Azeituna, diz que ficou patente que "o CELTA é, muito provavelmente, o melhor festival de tunas do país".
"Deu muito trabalho a organizar, mas no final tudo correu muito bem. Estamos orgulho-sos", admitiu Daniel Oliveira, que na Azeituna é conhecido pela alcunha de ‘Cristo', realçando que o festival esgotou o Theatro Circo duas noites seguidas.

A Azeituna tenta sempre surpreender e superar as expectativas do público. Nesta edição, uma das surpresas foi um terceiro dia de festival, em concreto, o concerto que Júlio Pereira deu ontem, ao final da tarde, no Theatro Circo.

"Este concerto é uma prenda que a Azeituna quis dar à cidade. É um concerto com Júlio Pereira que, pelo menos para mim, é o maior dos maiores músicos portugueses. Gostava de ver a sala cheia, mas as pessoas parecem que estão com medo da chuva. É pena", lamentou o representante da Azeituna, que não escondia que esperava mais gente no concerto do músico consagrado que não actuava em Braga há mais de uma década.
Com menos de meia casa, o concerto de Júlio Pereira cativou, no entanto, pela qualidade e pela animação que imprimiu à plateia.

Orçamento na ordem dos 30 mil euros

Dar esta prenda aos bracare-ses não foi fácil para a Azeituna, porque "se já é difícil pagar dois dias de Theatro Circo, três é ainda mais complicado", revelou.
Para dois dias de festival a Azeituna pagou ao Theatro Circo seis mil euros, valor ao qual já está deduzido um pequeno desconto feito pela autarquia.

O dia de ontem "teve um preço especial: 25% da bilheteira, mais 400 euros", revelou Daniel Pereira, realçando que os números são públicos e elucidando as pessoas que pensavam que o Theatro Circo é cedido gratuitamente para estes eventos de índole cultural.
"Além disso temos de contar com o cachet do músico que nos fez um preço super-especial, caso contrário não conseguiríamos", referiu.

Fica assim patente o "esforço muito grande" que a Azeituna faz para realizar o CELTA. "O orçamento do nosso festival quase que atinge os trinta mil euros", frisa.
Certo é que para os elementos que integram a Azeituna "este esforço vale a pena", desde logo por terem enchido o Theatro Circo duas noites seguidas.

"As pessoas divertiram-se imenso. Ouviram muito boa música. Houve muita alegria e irreverência, muita crítica social também. Fiquei muito surpreendido, porque normalmente quando o festival está a acabar começa logo tudo a levantar-se e a abandonar a sala. Aqui não aconteceu assim. O público continuou sentado e a pedir-nos para tocar mais músicas. Foi lindo", rematou Daniel Pereira.

Apesar do espectáculo de ontem ter "dado prejuízo", Daniel Pereira assume que "valeu a pena" e promete que a Azeituna vai repetir este modelo de festival de três dias.
Terminado o XVII CELTA, hoje é dia da Azeituna começar já a pensar no próximo festival. "É sempre assim. Acaba um e começamos já a trabalhar no próximo. É a nossa marca", concluiu
.

in http://www.correiodominho.com/

Parceiros