Portugaltunas - Tunas de Portugal

8.º CITADÃO: Reportagem
/5 ( votos)

8.º CITADÃO: Reportagem

Num IPV Completamente "à Pinha"!

 

O 8º CITADÃO marca inegavelmente o ano tuneril em Viseu, evento este que proporcionou um animado fim-de-semana quer a participantes quer á comunidade estudantil em particular e cidade em geral, numa trajectória ascendente a nível qualitativo, abrindo-se cada vez e alargando horizontes, este ano, com uma transmissão via Internet de boa qualidade, possibilitando acompanhar-se o evento desde casa.

 

 

A noite de Sexta proporcionou a já habitual ronda de serenatas - e aqui um parêntesis para dizer que ainda há quem, nesta ocasião, toque e cante coisas não apropriadas para aquilo que se convencionou rotular como Serenata - onde podemos assistir, como intróito, a uma actuação do Orfeão do IPV - com "Sôdade" de Cesária Évora, "Queda do Império", "Vejam Bem" e "Acordai" de Fernão Lopes Graça - que deu lugar às Tunas participantes. Abriu a noite a Imperial Neptuna da Figueira da Foz com "Apaixonado" e "Menina estás à Janela", dando lugar á Scalabituna de Santarém com "Balada dos Anzóis" e as "Madalenas". A 3ª Tuna a subir ao palco da aula magna, foi a Desertuna - tuna Académica da U.B.I, que apresentou os originais "Sinfonia de um beijo" e "Balada do Desajeitado", terminando a noite com a Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto que apresentou "Despierta" e "Se os meus Olhos Falassem". A anfitriã Tunadão brindou as donzelas com "Novo Fado da Severa " e "Amor Vadio".

 

 

No Sábado a festa retomou o seu rumo pelas 16h, após a recepção dos participantes na câmara municipal de Viseu, passeando-se pelas ruas de Viseu, onde se ouviram então os primeiros acordes das tunas presentes. Deu-se então início ao pasacalles na Rua Formosa, onde foram as tunas desfilando e espalhando a sua habitual alegria, levando o certame à cidade e suas gentes, promovendo a imagem tuneril em geral.

 

Após o jantar deu-se inicio ao 8º CITADÃO, que teve como apresentadores 3 elementos da TUNADÃO 1998 (Bubu, Barcelos e Casta), cujo espírito humorístico já é bem conhecido das edições anteriores, com alguns momentos de genialidade humorística, pese outros mais alongados.

A abrir a noite musical o grupo de Fados "Fado Livre" com temas como "Último Recado" com letra de Manuela de Freitas e música do grande Alfredo Marceneiro, "Lábios que Beijei" com Letra e Música de J. Cascata e Leonel Azevedo, "Apelo" com letra de Vinícius de Morais e música de Carlos da Maia e por fim "A rima mais bonita" com letra de Tiago Torres da Silva.

 

A vertente competitiva iniciou-se com a Imperial Neptuna da Figueira da Foz, num registo muito "jazzistico" que lhe é reconhecido, onde a presença do saxofone se fez sentir ao longo de toda a actuação. Com 19 elementos no cenário do IPV iniciaram com "Estou Além" de António Variações,um medley instrumental, o original "Louco Desejo" e ainda o medley de temas dedicados á cidade da Figueira da Foz, apresentando pelo meio um novo tema. Uma actuação muito no timbre a que estamos acostumados à Neptuna, sempre animada em palco e fora dele.

 

Do Politécnico de Santarém surgiu a ressuscitada Scalabituna com 35 elementos em palco, e em boa hora se regista tal renascer. Belíssima actuação, cuidada na apresentação - com um tema especialmente feito para o Citadão, com um rap e tudo pelo meio! - desfilando "Noites de Verão", um instrumental composto por 3 temas do mestre Carlos Paredes, o fantástico "Anda Comigo ver os Aviões" (que, assumo, me deixou deliciado e quanto a mim, o melhor tema da noite), "Partida", "Lágrimas do Tejo" e "Chuva de Verão".

 

Da U.B.I. surgiu em cenário a Desertuna, que apresentou cerca de 55 elementos em palco, desfilando uma actuação de originais: "Toninho", "Covilhã" e a sua "Odisseia" - conunto de 4 temas dedicados aos descbrimentos "Praia Lusitana", "A Nau e o Sonho", "Adamastor" e "Chegada à Índia" - numa actuação cenicamente repleta de informação, onde pontificaram as pandeiretas e bandolins.

 

Finalmente, da Invicta Academia a Tuna da Universidade Católica Portuguesa, que se apresentou em cena com cerca de 30 componentes, desfilando temas como ""Torero Quiero Ser" e "Novillero", "Oração", abertura do "Barbeiro de Sevilla" de Rossini como instrumental, "Maria Lisboa" e finalmente de Glória Estefan o cubanissimo tema "Mi Tierra", destacando-se o seu solista e pandeiretas na actuação mais completa da noite.

 

A terminar a noite deste 8º CITADÃO a anfitriã, que viu um auditório do IPV completamente a abarrotar, com gente sentada nas escadas e de pé nas entradas para o mesmo, numa mostra cabal da cada vez maior importância deste evento. Desfilando temas originais como, "Estudante de Viseu" e "Valsa da Madrugada", "Bela Atlante", "Caravelas"e "Menina da Saia Preta" e ainda "Viseu Graciosa".

O júri dos dois dias do certame foi composto por: Carlos Clara Gomes, Renato Santos, Dionísio Vilamaior, João Almas e Joana Cristino, e as suas decisões soberanas foram as seguintes:

 

 

Melhor Serenata - Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Melhor Pasacalles - Imperial Neptuna Académica
Melhor Pandeireta - Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Melhor Estandarte - Scalabituna - Tuna Masculina do Instituto Politécnico de Santarém
Melhor Solista - Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto
Melhor Instrumental - Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto
Melhor Original - Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Tuna Mais Tuna - Desertuna - Tuna Académica da Universidade da Beira Interior
Melhor Tuna - Tuna da Universidade Católica Portuguesa - Porto

 

A noite prosseguiu naquele que é já um must do CITADÃO, o espaço ao ar livre contiguo ao Auditório com as suas roulottes de "comes & bebes" possibilitando assim um convivio agradável entre todos os participantes, sendo que ainda perto das 4 da manhã muita gente se encontrava no recinto.

 

Um grande certame que ficará na memória de todos quanto puderam participar, quer ao vivo quer assistindo online - com uma qualidade acima da média, note-se - em casa e ambas as noites. Ao vivo, um grande espectaculo num auditório completamente cheio!

 

Agradecer ainda as facilidades concedidas pela Organização ao PortugalTunas e para o ano, já sabem, 9º CITADÃO!

Parceiros