Portugaltunas - Tunas de Portugal

/5 ( votos)

18.º Tuna M'Isto

Reportagem

24 de Maio de 2014, o dia em que todas as atenções estão centradas em Lisboa, Las Vegas invade a Cidade Universitária para mais uma edição do Tuna M'Isto, festival organizado e promovido pela escstunis - Tuna Académica da Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa. No dia anterior havia decorrido a Noite de Serenatas.


A festa teve o seu início durante a tarde, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, para quem quisesse descontrair, conviver e, claro, ver a final da Champions. O trio "Novos do Restelo" contribuiu com a sua música à entrada da Aula Magna, enquanto se aguardava pelo início do evento. E que melhor maneira de começar que com o Elvis Presley e as suas seis bailarinas, estilo cabaret? E a Conchita também fez questão de marcar presença.


A honra de abrir este festival coube à Magna Tuna ApolISCSPiana, que nos presenteou com uma adaptação do tema "Acordai" de Fernando Lopes Graça, que marcou uma excelente entrada em palco da tuna proveniente do Pólo da Ajuda, seguido de uma interpretação de "Barcos do Tejo". A cada duas músicas, a Magna Tuna ApocalISCSPiana brindou os presentes com uma apresentação afeta ao tema do festival com "18 Coisas a Fazer em Las Vegas", de contrair dívidas de jogo a negociar com mafiosos. Deram continuidade à sua atuação com uma adaptação da "Mulher de Armas" de Rui Veloso, com um agradável desempenho do seu solista e um original intitulado "Vontade". Para findar, um ambicioso, e bem executado, instrumental adaptado da banda sonora de Star Wars, da autoria de John Williams, "Duel Of The Fates" e, de António Variações, "Canção do Engate". É de realçar a postura e confiança exibidas pelo seu porta-estandarte.


Ao som de Viva Las Vegas, o nosso anfitrião Elvis, regressado de outro mundo, entram em cena os bravos (e bravas, não esquecer!) 29 da Quantunna - Tuna Mista da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra, que deram início às hostilidades com o seu instrumental original "Viagem" com uma "coreografia" especial das suas 6 bailarinas. Os dois temas seguintes foram músicas de solista (primeira masculina, segunda feminina) originais, intitulados respectivamente "Voz de Coimbra" e "Maré de Sorte", tendo este último sido então estreado, criado propositadamente para este festival. Prosseguiram com mais dois originais, "Festa das Latas" e "Um Lugar Diferente", culminando com uma adaptação do tema "Voltar" de Rodrigo Leão. Há que apontar a destreza e flexibilidade das pandeiretas no geral.


Após um curto intervalo, é a hora dos holofotes recaírem sobre a Tuna Económicas - Tuna do Instituto Superior de Economia e Gestão, a mais numerosa da noite, e, sem dúvida, a que mais abrilhantou a Aula Magna, atendendo especialmente à reação positiva do público, arrancando com "La Noyee", instrumental adaptado da autoria de Yann Tiersen. Durante a atuação, a Tuna Económicas apresentou a ascensão de Carlos e Abel no panorama Pop Bimba internacional, ao som de "Stand By Me", "Eye Of The Tiger", "Who Are You?" e "Viva Las Vegas". A grande voz do solista fez-se sentir no tema "Amanhã Por Esta Hora", seu original, e, entre as acrobacias do porta-estandarte, seguiu-se uma adaptação de "Cheira a Lisboa", os originais "Paixão Latente" e "L.I.S.B.O.A. (Lírica Interessante Sobre Boémios, Outros e Afins)"


Os criminalistas do C.S.I. da Escstunis foram enviados para anunciar a subida a palco da VicenTuna - Tuna da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, facto curioso, dado que a apresentação desta última tuna a concurso alusiva ao tema se baseou num episódio da série policial de Las Vegas. Com uma atuação a arrancar de forma algo mais sóbria e não tão vistosa como as restantes, a Tuna de Ciências apresentou em palco temas como o original "Lisboa das Cantigas", uma adaptação de "Tanto Mar" de Chico Buarque, começando a ganhar algum fulgor através de "Mar Desconhecido" e "Quatro Caminhos", terminando em grande com a adaptação do tema dos Trovante, "Xácara das Bruxas Dançando".


Finalmente chega a hora da tuna anfitriã se mostrar ao público presente na Aula Magna, assinalando a passagem a veteranas de 3 dos seus membros e a última atuação de outro. A Escstunis desdobrou-se entre adaptações e originais, desde "Cacilheiro" de Carlos do Carmo e "Desfolhada" de Simone de Oliveira, incluindo um medley entre a "Chaga" de Ornatos Violeta e "Mundos Mudos" de Da Weasel, ao instrumental "Príncipe do Egipto" a "Silêncio do Tom" e "Vida Boémia". Fluentes e vistosas coreografias de pandeireta e estandarte com grande execução animaram ainda mais a casa, culminando com o seu Hino - "Olh'à Escstunis".
Chega o momento da atribuição dos prémios, após os habituais agradecimentos e de se chamar os júris, Dylan "Falópio" Morais, Marta "Slimscreen" Pereira, Bernardo "Estrela" Gonçalves, Henrique Feist e Emanuel Rebelo.

Melhor Pandeireta - Quantunna
Melhor Estandarte - VicenTuna
Melhor Instrumental - Quantunna
Melhor Serenata - Tuna Económicas
Melhor Solista - Tuna Económicas (Feist vai anunciar o nome da tuna vencedora sob cânticos do tema de Dragon Ball GT, ao que este responde, para alegria do público, "Obrigado e um kamehame para vocês")
Melhor Original - Tuna Económicas
Melhor Adaptação - Tuna Económicas (Cheira a Lisboa)
Tuna Mais Público - Tuna Económicas
Tuna Mais Tema - Tuna Económicas
Melhor Tuna - Tuna Económicas

O prémio Tuna Mais Tuna apenas seria anunciado durante a after-party, de volta à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo este sido atribuído à Magna Tuna ApocalISCSPiana.


Com muita diversão, boa música e convívio, o que acontece no Tuna M'Isto, fica no Tuna M'Isto. O Portugaltunas agradece a colaboração.

Parceiros